A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Metabolismo de AAs - Bioquímica Metabólica -

Pré-visualização | Página 1 de 1

Metabolism� d� Aminoácid�
1. Oxidaçã� d� AA�
→ a oxidação de proteínas da dieta ou de proteínas intracelulares podem ter
diversos destinos
→ AAs são precursores de diversas moléculas biológicas como nucleotídeos,
fosfolipídeos, neurotransmissores, em especial por seu grupo amino
→ AAs podem fornecer energia, a partir do ciclo de krebs, que, a partir dessa
mesma via, também podem formar glicose
2. Classificaçã� d� AA�
→ glicogênicos: aminoácidos que podem formar glicose
→ cetogênicos: podem formar acetil-coA ou acetoacetato
1° pass� d� �idaçã� d� aminoácid�
→ Transferência do grupamento amino para o glutamato
→ Enzima responsável: aminotransferase / transaminase → Citosol
→ coenzima: vitamina B6
alfacetoglutarato + AA→ glutamato + alfa cetoácido correspondente
● �empl� de aminoácidos e o alfa cetoácido correspondente:
alanina (+amino)→ piruvato(s/ amino) aspartato → oxaloacetato (s/amino)
● transaminases possuem como coenzima a PLP - piridoxal fosfato, ou também
conhecida como vitamina B6, é um carreador transitório do agrupamento amina, e
enquanto carrega esse grupo é denominado piridoxalamina.
● transaminases são indicadores de dano celular e auxiliam no diagnóstico de
doenças, como a hepatite, intoxicação, ataque cardíaco. isso porque essas enzimas
(citosólicas) na corrente sanguínea podem indicar extravasamento do conteúdo
celular.
● essa etapa envolvendo aminoácidos essenciais normalmente é irreversível, e, por
isso, esses recebem essa classificação, uma vez que não é possível sintetizá-los.
2° pass� d� �idaçã� d� aminoácid�
→ Retirada do grupamento amino do glutamato (desaminação oxidativa)
→ Enzima responsável: Glutamato desidrogenase → Mitocondrial [hepatócitos]*
→ Reversível
glutamato + H2O → alfa cetoglutarato + NH4+
● Reguladores alostéricos
→ negativo: GTP (alta energética, baixa demanda de intermediários do CK)
→ positivo: ADP (baixa energética, favorável a formação d intermed. do CK)
● A amônia é gerada no metabolismo celular e pode ser tóxica. Para que essa
molécula não fique livre na corrente sanguínea, podendo causar danos, existe
um transporte especializado, que diminui sua concentração no sangue e a
direciona para as mitocôndrias hepáticas, que possuem mecanismos para lidar
com esse composto.
→ O transporte consiste na captura e incorporação da amônia livre ao
glutamato, pela glutamina-sintetase, formando a glutamina. A glutamina
transporta a amônia até os hepatócitos, onde é quebrada pela enzima
glutaminase e ocorre a liberação do glutamato e da amônia na mitocôndria.
(ciclo da ureia)
● Hiperamonemia → condição de alta concentração de amônia no organismo,
podendo ser ocasionada pela alta taxa de degradação proteica.
→ tratamento proposto: diminuir os AAs da dieta, os substituindo por
alfa-cetoácidos.
esse tratamento visa um estímulo à detoxificação de amônia, uma vez que o
aumento da concentração de alfa cetoglutarato conduz a reação para a
formação de glutamato, e o NH4+ é então capturado e incorporado ao
glutamato, diminuindo a concentração desse composto.
Oxidaçã� d� aminoácid� n� múscul� - cicl� alanin� glic��
→ o músculo pode oxidar suas proteínas para fins energéticos. [exercício vigoroso,
hipoglicemia]
→ nesse ciclo, a alanina (aminoácido) é a precursora de glicose
→ no músculo, há consumo de glicose [via glicolítica] gerando piruvato [alanina
desaminada], que recebe um agrupamento amino pelo glutamato, formando
alanina e alfa cetoglutarato (glutamato desaminado - pode ir p CK)
→ a alanina, do músculo, é liberada na corrente sanguínea e entra no fígado.
→ no fígado, alanina é novamente desaminada formando piruvato, e o grupamento
amino é transferido para o alfa cetoglutarato, que se transforma em glutamato.
→ esse piruvato no fígado, proveniente da alanina, é um intermediário da
gliconeogênese e irá formar glicose.
→ essa glicose, liberada na corrente sanguínea, entra novamente no músculo,
gerando piruvato, que será convertido em alanina, que entra na corrente sanguínea
até o fígado, gerando piruvato novamente, permitindo a gliconeogênese para o
início do ciclo novamente.
principais vias de transporte do nitrogênio após proteólise muscular
● ciclo da ureia
oxaloacetato + glutamato —-> aspartato + alfa ceto glutarato
aspartato (aminado) + amônia —-> ureia
CARBAMOIL-FOSFATO SINTETASE - IMPORTANTE!!!!!!!!!!!!!!
CO2 + NH3 → carbamoil-fosfato
→ a síntese

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.