Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Aula 4

Pré-visualização | Página 1 de 3

SSistemas de Transmissões Veiculares
Classificação
(Aula 4)(Aula 4)
73
Classificação Meios de Transporte e Tipos deClassificação Meios de Transporte e Tipos de 
Transmissão
Meio de Transporte
Marítimo Aéreo Terrestre
R Construção E iRuas
Rodovias
100% Construção
Construção
100%OFF 
road
Agrícolas Especiastracionados Ferroviário
100% em
ruas/rodovias
Construção
ON/OFF 
Road
Caixas de 
ê C i d
74
Transm Transm Tomada de Força
Transferência
.Diferenciais
planetários
Caixas de 
direção
Classificação dos Sistemas de Transmissão
Continuamente VariávelTransmissões por engrenagens com "z" veloc.
e 
M
es
h
iz
ad
as
om
át
ic
a
M
es
h 
ou
ni
za
da
át
ic
a
ci
on
al
ag
em
 
pl
a
ol
ia
s
id
al
cç
ão
)
tá
ti
ca
ic
a
Continuamente VariávelTransmissões por engrenagens com z veloc.
C
on
st
an
t
S
in
cr
on
i
S
em
i A
ut
o
C
on
st
an
t 
M
S
in
cr
on
A
ut
om
á
C
on
ve
nc
E
m
br
ea
D
up
P
or
 P
o
T
or
oi
(p
or
 fr
ic
H
id
ro
st
E
lé
tr
Seleção 
Semi 
A t
Sem Interrupção de PotênciaCom Interrupção de Potência
Seleção Manual
de Marchas
Totalmente Automática
Autom
Com Gerenciamento EletrônicoSem Gerenciamento
 Eletrônico
75
Efeito da Transmissão em Fatores Críticos doEfeito da Transmissão em Fatores Críticos do 
Veículo
Confiabilidade
Vid S i
Economia
C d C b tí /C id d d T t
Confiabilidade
Vid S iVida em Serviço Consumo de Combustíve/Capacidade de Transporte Vida em Serviço
76
Ciclo de Vida do Produto
DESENVOLVIMENTO
PRODUÇÃO
UTILIZAÇÃO
PRODUTO
ATUALIZAÇÃO DE
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
ANOS
UTILIZAÇÃO
ANOS
77
Fabricantes Globais Independentes deFabricantes Globais Independentes de 
Sistemas de Transmissões
78
T i ã M lTransmissão Manual
• Finalidade;• Finalidade;
•Funcionamento;
•Arquitetura dos elementos 
de transmissão;
Mercedes Benz Actros - Manual
•Relações de transmissões 
ou marchas; 
•Sincronizadores;
Mercedes Benz Classe C Sport Coupe
ARRANJO AUTOMOTIVO
TÍPICO
81
ARRANJO AUTOMOTIVO
TÍPICO
82
Finalidade
Motor desenvolve potência• Motor desenvolve potência,
torque e rotação de maneira
limitada;
• O veículo precisa desenvolver• O veículo precisa desenvolver
velocidades que podem
ultrapassar a rotação
governada do motor;
• E mais importante o veículo
precisa receber torque nas
rodas superior ao torque
máximo desenvolvido pelo
tmotor;
• As transmissões permite o
escalonamento de velocidades
e torque conforme ae torque conforme a
necessidade de desempenho
do veículo;
Funcionamento Básico
•Eixo verde, de entrada, está
conectado ao motor através da
embreagem
• O eixo secundário transmite• O eixo secundário transmite
torque , potência e rotação do
motor ao eixo de saída que
levará essas grandezas ao
diferencial e rodasdiferencial e rodas
• As engrenagens do eixos de
entrada, secundário e saída
estão sempre em contato
•As engrenagens do eixo de
saída giram sobre mancaisg
internos e só transmitem o
movimento ao eixo de saída
através do garfo
Arquitetura (5 Velocidades)Arquitetura (5 Velocidades)
Relações de Transmissão (ou marcha)Relações de Transmissão (ou marcha)
Marcha Relação Rotação do eixo de 
saída com motor a 
6000 rpm
1a. 2.315 2591
2a. 1.568 3826
3 1 195 50203a 1.195 5020
4a. 1.000 6000
5a. 0.915 6557
Ré -3.125 -1920
Sincronizadores •Invenção da Cadilac em 1928, 
1a automação das 
transmissões manuais
SincronizadoresSincronizadores
• O sincronizador tem por finalidade
alinhar os dentes caninos do anel e da
engrenagem para que a embreagem seja
acionada uma única vez;
O•O alinhamento da-se pelo atrito entre o
cone da engrenagem (macho) e o
alojamento no anel (fêmea)
O• O contato entre os cones acontece
“antes”que os dentes estejam em
contato. O objetivo é que o anel tenha a
mesma rotação da engrenagem;
•Com o anel e a engrenagem na mesma
rotação o movimento da haste será único
e permitirá o engate correto dos dentes
d i i d ( l )do sincronizador (ou colar)
89
..\Movies\Fatec Videos\How Manual 
Transmission Works.wmv
90
Embreagem
Fi lid dFinalidade
– Como efetuar as trocas de marcha com o motor em
rotações elevadas? Como garantir a suavidade de trocas e
que o engate de marchas seja preciso e imperceptível aoq g j p p p
motorista e passageiros?
– O sistema de embreagem de um veículo tem por finalidade,O sistema de embreagem de um veículo tem por finalidade,
“desconectar” o motor da transmissão para que neste
intervalo de tempo ocorra a mudança do par de
engrenagens que transmitirá o torque necessário as rodasg g q q
do veículo.
– A precisão nos engates de marchas é um desafio constanteA precisão nos engates de marchas é um desafio constante
as montadoras de veículos e aos fabricantes de
transmissões 92
Elementos Básicos
Princípio
• Quando o pedal de embreagem não está aplicado, as molas
empurram a placa de pressão contra o disco de embreagem,
que por sua vez é pressionado contra o volante. Dessa forma o
motor é ligado ao eixo de entrada da transmissão, levando-osg
a mesma rotação devido ao atrito entre as superfícies de
contato,
• Quando o pedal da embreagem é aplicado, por cabo ou pistão
hidráulico, o garfo é empurrado, pressionando o rolamento dahidráulico, o garfo é empurrado, pressionando o rolamento da
embreagem contra o centro da mola-diafragma. Quando o
centro da mola-diafragma é empurrado, uma série de pinos
próximos ao lado de fora da mola levam-na a afastar a placa
pressão do disco para longe do disco de embreagem Istopressão do disco para longe do disco de embreagem Isto
desacopla o disco de embreagem do motor em funcionamento,
permitindo a mudança de marcha;
PrincípioPrincípio
Pedal
PressionadoPedalSolto
..\Movies\Fatec Videos\Clutch Industries How 
a clutch works.wmv
96
Funcionamento 
“A embreagem mostrada está na posição acionada.
Nessa posição, o volante, preso ao eixo do motor, está
transmitindo o torque através de parafusos à placa de
pressão. As molas, normalmente de 6 a 10, pressionam
essa placa contra o disco que também se apóia noessa placa contra o disco, que também se apóia no
volante do lado oposto. O disco é identificado na figura
pelas laterais que atritam com os elementos citados,
chamadas de planos de fricção. O conjunto volante-eixo
do motor funciona como um cubo, no qual é colocado
um rolamento para apoiar o eixo de saída dap p
embreagem, que vai para a transmissão. Assim, ambos
os eixos permanecem alinhados e podem trabalhar em
rotações diferentes quando a embreagem não está
transmitindo torque.
Utilizar a expressão “embreagem acionada” poderia dar
i ã d dmargem a uma interpretação errada do que ocorre.
Quando o condutor aciona a embreagem, os eixos se
desacoplam e a embreagem poderia ser considerada
como que na posição não acionada. Assim, é necessário
definir o que se deseja dizer: quando for dito que a
embreagem está acionada fica convencionado que oembreagem está acionada fica convencionado que o
condutor acionou a alavanca de embreagem e os eixos
deixaram de estar acoplados. Na figura ao lado, quando
o condutor aciona o pedal da embreagem,um cabo
aciona a alavanca mostrada com o nome “aliviar”, que
desloca o cubo mostrado ao longo do eixo. Esse
97
movimento move a alavanca de alívio comprimindo as
molas contra a cobertura externa da embreagem,
fazendo com que a placa de pressão se afaste do disco e
a embreagem seja desacoplada “ fonte:: Apostila Freios e Embreagens Unicamp
Prof Dr. Auteliano Antunes dos Santos Jr
“Plato” (Placa de Pressão) e Disco dePlato (Placa de Pressão) e Disco de 
Embreagem
Disco sinterizado
Area de contato
com disco
Plato de Disco dePlato de
Embreagem Embreagem
Amortecedores de vibração torcional
98
Embreagens Automotivas
Atualmente, o tipo mais comum
de embreagem automotiva não
utiliza molas helicoidais, mas um
tipo especial de mola prato,
chamada de chapéu chinês. A
figura ao lado mostra esse tipo de
elemento, à esquerda. Mostra
também, a direita, um disco de
embreagem comum. As molasembreagem comum. As molas
Página123