A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
1-10 Trabalho Estrutura de mercados _ Passei Direto

Pré-visualização | Página 2 de 3

mercado
de um bem é formação pelo confronto entre oferta e demanda de um bem. 
Para uma firma isoladamente, hipótese que caracteriza uma empresa nessa 
estrutura de mercado, ela é incapaz de alterar o seu preço, um a vez que a curva 
de demanda do produto é , ou seja ela é horizontal, perfeitamente elástica
partindo do eixo da variável preço, sendo portanto, paralela ao eixo da variável 
quantidade. Assim, a empresa nesse mercado ela somente fixará a quantidade a 
ser vendida (ofertada), uma vez que o preço do produto para as todas firmas é 
uma ou seja, o preço não é determinado por ela. variável exógena, 
Embora uma curva de demanda, como já vimos, é descendente da esquerda para 
a direita. Contudo, em concorrência perfeita, ela é horizontal (note bem isso!!!). A 
razão é que, em concorrência perfeita, estamos nos referindo à curva de demanda 
para uma firma apenas. Ou seja, em concorrência perfeita, uma firma, 
individualmente, é incapaz de alterar o preço para um determinado produto. O 
preço do mercado está dado pela oferta e demanda; contudo, a firma apenas 
“recebe” ou “toma”o preço de mercado como dado, ou seja são “take prices”. 
Resumindo: 
Lembre-se no mercado em concorrência perfeita é aquele no qual existem muitos 
compradores e muitos vendedores, de forma que nenhum comprador ou vendedor 
individual exerce influência sobre o preço. 
Impresso por Yuran Arsenio, CPF 237.495.428-56 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e
não pode ser reproduzido ou repassado para terceiros. 10/05/2022 10:08:20
 6 
Vejamos a demanda de uma empresa individualmente: 
 
P 
 
 D= Rme 
 
 
 
 Q (dezenas) 
 
Nesse sentido, é importante observar que como há livre entrada (e saídas) de 
empresas nesse mercado, no longo prazo as empresas só realizarão lucro 
normal, dependendo de sua estrutura de custos. Lembre-se que nesse mercado 
poderá haver empresas de diversos tamanhos, o que refletirá na sua estrutura de 
custos e consequentemente na lucratividade. 
 
2.2 - MONOPÓLIO 
 
É uma situação de mercado em que uma única firma vende um produto que 
não tenha substitutos próximos. De uma outra forma, monopólio é uma situação 
de mercado em que existe um só produtor de um bem (ou serviço) que não tenha 
substitutos próximo. Devido a isso, o monopolista exerce grande influência na 
determinação do preço a ser cobrado pelo seu produto. 
Conforme Vasconcellos (1999), o mercado monopolista se caracteriza por 
apresentar condições diametralmente opostas às da concorrência perfeita. Nele 
existe, de um lado, um único empresário (empresa) dominando inteiramente a 
oferta e, de outro, todos os consumidores. Não há, portanto, concorrência, nem 
produto substituto ou concorrente. Nesse caso, os consumidores se submetem às 
condições impostas pelo vendedor, ou simplesmente deixarão de consumir o 
produto. 
 
Impresso por Yuran Arsenio, CPF 237.495.428-56 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e
não pode ser reproduzido ou repassado para terceiros. 10/05/2022 10:08:20
 7 
2.2.1HIPÓTESES BÁSICAS DO MODELO MONOPOLISTA 
i) um determinado produto é suprido por uma única empresa; 
ii) não há substitutos próximos para esse produto; e 
iii) existem obstáculos (barreiras) de novas firmas na indústria (nesse caso a 
indústria é composta por uma única empresa). 
 
Nessa estrutura de mercado, a curva de demanda da empresa é a 
própria curva do demanda do mercado como um todo. Ao ser exclusiva no 
mercado, a empresa não estará sujeita aos preços vigentes. Mas isso não 
significa que poderá aumentar os preços indefinidamente. 
Para que um monopólio exista é preciso manter os concorrentes em 
potencial afastados da indústria. Isso significa que devem existir barreiras que 
impeçam o surgimento de competidores, protegendo, dessa forma, a posição do 
monopolista. 
Para a existência de monopólios, deve haver barreiras que 
praticamente impeçam a entrada de novas firmas no mercado. Essas 
barreiras podem advir das seguintes condições: 
Ø elevado volume de capital: a empresa monopolista necessita de um elevado 
volume de capital e uma alta capacitação tecnológica; 
Ø controle sobre o fornecimento de matérias-primas: se uma empresa monopolista 
detém o controle sobre o fornecimento das matérias-primas essenciais a um 
processo produtivo ela pode bloquear o ingresso de novas firmas no mercado; 
Ø proteção de patentes: a posse de patentes dá ao monopolista o direito único de 
produzir uma mercadoria particular. Nesse sentido, tem um efeito semelhante ao 
controle sobre o fornecimento de matérias-primas essenciais, uma vez que 
impede a entrada de novas firmas na indústria; 
Ø monopólio legal: existem casos em que o Governo concede a uma empresa um 
direito exclusivo para ela operar, conferindo a essa empresa um status de 
monopólio legal. Em contrapartida, o Governo pode fazer exigências em relação à 
quantidade e qualidade do produto e impor preços e taxas a serem cobrados. 
Exemplos: serviços de água, eletricidade, os meios de transportes coletivo, etc. 
Impresso por Yuran Arsenio, CPF 237.495.428-56 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e
não pode ser reproduzido ou repassado para terceiros. 10/05/2022 10:08:20
 8 
Ø existência de economias de escala monopólio natural: uma firma já existente e –
de grandes dimensões pode suprir o mercado a custos mais baixos do que 
qualquer empresa que deseje entrar na indústria. Exemplos de indústria neste 
sentido: energia elétrica, transporte ferroviário, etc. 
Curva de Demanda de Mercado para uma Firma Monopolista 
 
 
 
 
 
 
 
 
Por ser a única empresa supridora de seu produto, a curva de demanda que a 
firma monopolista enfrenta é a própria curva de demanda de mercado. Tal curva 
apresenta o fato de ser negativamente inclinada, indicando que o preço e 
quantidade variam inversamente. Nessas condições, se o monopolista estabelecer 
níveis elevados de preços a quantidade vendida diminuirá; inversamente, preços 
mais baixos farão com que a quantidade vendida aumente. 
 
3. OUTRAS ESTRUTURAS CLÁSSICAS 
 
3.1 OLIGOPÓLIO 
 
É um tipo de estrutura normalmente caracterizado por um pequeno número 
de empresas que dominam a oferta de mercado e muitos consumidores. Pode 
caracterizar-se como um mercado em que há um pequeno número de empresas, 
como a indústria automobilística indústria de petróleo, indústria de telefonia, , ou 
então, onde há um grande número de empresas, mas poucas dominam o 
mercado, como a indústria de bebidas. Este modelo tem uma participação muito 
grande no mundo Ocidental, inclusive no Brasil. 
P 
Q 
D 
Impresso por Yuran Arsenio, CPF 237.495.428-56 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e
não pode ser reproduzido ou repassado para terceiros. 10/05/2022 10:08:20
 9 
O setor produtivo brasileiro é altamente oligopolizado, sendo possível 
encontrar inúmeros exemplos: montadoras de veículos, setor de cosméticos, 
indústria de papel, indústria de bebidas, indústria química, indústria farmacêutica, 
etc. 
O oligopólio pode ser . Ele será considerado puro ou diferenciado puro 
caso os concorrentes ofereçam exatamente o mesmo produto homogêneo, iguais, 
substitutos entre si. Exemplo: cimento, da indústria de cimento; alumínio, da 
indústria de alumínio. 
Caso o produto não seja homogêneo, o oligopólio será considerado 
diferenciado. Exemplo: indústria automobilística ou de cigarro. Ou seja, embora 
semelhantes entre si, esses produtos não são idênticos G é diferente do Fiat – ol
Uno. 
O oligopólio apresenta como principal característica o fato de as firmas 
serem interdependentes. Isso decorre do pequeno número de firmas existentes 
na indústria, e significa que as firmas levam em consideração e reagem às 
decisões

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.