A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
LEISHMANIOSE VISCERAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

Camila Shelly de V. Ramos 
 
LEISHMANIOSE 
VISCERAL 
 
 
-Sd hepatoesplenomegalia febril + pancitopenia = 
leucemias (pacientes mais jovens), calazar 
• ABORDAGEM PANCITOPENIA 
→CAUSAS 
 
✓ PRÉ-MEDULARES 
-Falta de substrato #nutricional 
↳Ferro, ácido fólico, vitamina B12 
✓ MEDULARES 
-Infecção 
-Doença maligna 
-Medicamento 
-Tóxicos 
✓ PÓS-MEDULARES 
-´´O que está sendo produzindo é destruído´´ 
↳Distúrbios autoimunes 
• LEISHMANIOSE 
→AGENTE ETIOLÓGICO 
-Protozoários 
↳L. chagasi -> leishmaniose visceral 
↳L. amazonense -> leishmaniose tegumentar 
(lesão de pele) 
↳L. brasiliense -> leishmaniose tegumentar (lesão 
na cavidade oral) 
*mais difícil de ser encontrada no BR 
→TIPOS 
-Duas doenças diferentes 
✓ LEISHMANIOSE TEGUMENTAR 
-Lesões ulcerosas indolores 
✓ LEISHMANIOSE VISCERAL 
-Ausência de lesões de pele 
→EPIDEMIOLOGIA 
-Doença endêmica 
↳Em 76 países 
-Locais de maior prevalência? 
↳América do sul -> Brasil -> nordeste -> município 
com maior prevalência? CE 
-Público mais afetado -> deficiência na imunidade 
↳Idosos, gestantes, crianças 
↳Pacientes com imunodeficiência -> PVHIV 
-Sexo masculino é mais acometido 
-Urbanização da leishmaniose 
↳Cachorros na cidade -> reservatório do 
protozoário 
-Se não tratada adequadamente -> óbito rápido 
→RESERVATÓRIO 
-Na zona urbana 
↳Cão 
 
 
-Na zona rural 
↳Raposas e marsupiais 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
→VETORES 
-Lurzomya longipalpis 
↳Mosquito palha 
 
 
→MODO TRANSMISSÃO 
-Picada dos vetores infectados 
-NÃO ACONTECE TRANSMISSÃO PESSOA A 
PESSOA*** 
OBS:PROFILAXIA CONTRA A PICADA 
NO CACHORRO 
-Coleira 
→SUSCETIBILIDADE E IMUNIDADE 
-Muitas infecções por leishmaniose são 
assintomáticas 
-A infecção de leishmaniose não confere 
imunidade** 
↳Pode ter mais de 1x a doença 
-Quanto mais comprometido o sistema 
imunológico -> maior a probabilidade de 
desenvolvimento da doença 
↳Crianças, idosos são mais suscetíveis 
→FISIOPATOLOGIA 
-Protozoário intracelular obrigatório (só consegue 
se reproduzir e se multiplicar dentro dos 
macrófagos) 
↳Infecta os macrófagos -> diminuição da 
imunidade do paciente infectado -> maior 
propensão a outras infecções 
1)LEISHMANIA INVADE E SE REPLICA 
DENTRO DOS MACRÓFAGOS DO 
HOSPEDEIRO 
2)DESVIA A RESPOSTA IMUNE E 
CELULAR DO HOSPEDEIRO 
-Neutralizando componentes do complemento 
↳As células de defesa não chegam no local da 
infecção de forma efetiva 
-Supressão da indução de linfócitos T auxiliares 
CD4+ específicos do antígeno 
OBS:HIV X LEISHMANIOSE 
-Pacientes com HIV possuem imunossupressão -> 
linfócitos T baixos -> mais propensos ao 
desenvolvimento da leishmaniose 
-Calazar crônico -> HIV + leishmaniose 
CD4 não sobe -> falência medular 
↳Dois mecanismos de diminuição dos linfócitos 
TCD4 auxiliares 
→CICLO DO CALAZAR X 
FLEBOTOMÍNEO (VETOR) X HUMANO 
(HOSPEDEIRO) 
-No homem: promastigota -> amastigota 
↳Transformação ocorre dentro dos macrófagos 
-No mosquito: amastigota -> promastigota 
 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
 
→PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-Homem -> 10 dias a 24 meses (média de 2-6 
meses) 
-Cão -> 3 meses a vários anos (média de 3-7 
meses) 
→MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS 
-Febre (longa duração)**** 
↳Não muito alta 
-Perda ponderal 
↳Baço e fígado crescem -> empurram o estômago 
-> menor área para preencher o estômago com 
alimento 
-Astenia, adinamia 
↳Anemia 
-Hepaesplenomegalia 
↳Fígado e baço são as regiões de maior 
quantidade de macrófagos -> maior replicação 
para tentar combater a infecção 
-Pancitopenia (diminuição do n° de hemácias, 
leucócitos, plaquetas) 
↳Infecção de macrófagos muito abundantes na 
medula -> medula deixa de produzir células 
sanguíneas 
 
✓ COMPLICAÇÕES 
-Icterícia (colestase) 
↳Comprometimento do fígado -> disfunção 
hepática -> bilirrubina alta 
-Edema 
↳Baixa albumina 
-Infecções bacteriana 
↳Infecção do macrófago 
-Hemorragia 
↳Plaquetopenia 
OBS:LEISHMANIOSE VISCERAL É 
DOENÇA DE NOTIFICAÇÃO 
COMPULSÓRIA! 
→CRITÉRIOS DE GRAVIDADE 
-Idosos 
-Sangramentos -> baixas plaquetas 
-HIV 
-Edema 
↳Função hepática alterada 
-Icterícia 
↳Função hepática alterada 
-Dispneia 
↳Aumento do baço, fígado capaz de diminuir o 
espaço pulmonar 
-Infecção bacteriana 
↳Consumo importante de macrófagos 
-Insuficiência renal 
↳Cuidado na medicação 
 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
→LABORATÓRIO 
✓ CITOPENIA 
✓ AEOSINOFILIA 
-Eosinófilos = 0 
✓ INVERSÃO 
ALBUMINA/GLOBULINA 
-Pouca albumina e 
muita globulina 
(inversão) 
↳Diminuição da 
albumina -> disfunção 
hepática 
-Visualizado em quais exames? 
↳Proteínas totais e frações 
↳Eletroforese de proteínas 
→DIAGNÓSTICO 
✓ IMUNOLÓGICO 
Anticorpos contra o protozoário leishmania e 
antígenos 
 IMUNOFLUORESCÊNCIA INDIRETA 
 TESTE RÁPIDO 
IMUNOCROMATOGRÁFICO 
(rk39)*** 
-Detecção de antígenos -> rk39 
-Só tem importância diagnóstica mediante a uma 
suspeita clínica de calazar 
 
 ENSAIO IMUNOENZIMÁTICO 
(ELISA) 
-Detecção de anticorpos IgM e/ou IgG 
para leishmania 
↳Realizado em locais aonde a 
leishmaniose seja pouco prevalente 
 
✓ PARASITOLÓGICO 
Visualização do protozoário 
 MIELOGRAMA 
-Mais realizado na prática 
 
 ASPIRADO ESPLÊNICO (PADRÃO 
OURO)*** 
-Muito sensível 
-Grande risco de romper baço 
 ASPIRADO DO LINFONODO 
 CREME LEUCOCITÁRIO 
-Análise de creme leucocitário em placas no 
laboratório -> macrófagos -> visualização da 
leishmania (amastigotas) 
-Não é muito sensível 
→DIANÓSTICO DIFERENCIAL 
 
→TRATAMENTO 
-Glucantime (antimonial pentavalente) 
↳Primeira linha de tratamento 
↳Para todos 
↳Pode ser administrado a nível ambulatorial 
↳Muitos efeitos colaterais -> cardiotoxicidade 
(alargamento do intervalo QT), disfunção renal, 
hepatotóxica, artralgia, mialgia, pancreatite 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
*necessidade de realização de ECG prévio antes 
da utilização do glucantime 
↳Contraindicada em gestação, disfunção renal, 
doença cardíaca de base 
-Anfotericina B lipossomal 
↳Para exceções 
*grávida, disfunção renal, PVHIV, idoso 
*contraindicação ao uso do glucantime 
→SEGUIMENTO AMBULATORIAL 
-Acompanhamento ambulatorial de 6 meses a 1 
ano 
#não há necessidade de mielograma de 
controle***

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.