DIREITO DE MARCA

Disciplina:Propriedade Imaterial7 materiais77 seguidores
Pré-visualização1 página
DIREITO DE MARCA
“Marca, segundo a lei brasileira, é todo sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços de outros análogos, de procedência diversa, bem como certifica a conformidade dos mesmos com determinadas normas ou especificações técnicas". 

DIREITO DE MARCA
Conceito
 Se entende como marca um nome ou desenho que identifica junto aos consumidores um produto ou serviço oferecido no mercado

Registro da marca
 O registro da marca de seus produtos e serviços é feito junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI que nada mais é do que uma concessão legal para garantir o uso exclusivo e proteção da marca em todo o território nacional.

DIREITO DE MARCA
Da Forma

 Nominativa: Sendo constituída por uma ou mais palavras
 Figurativa: É constituída por desenho, imagem, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número.
 Mista: É constituída pela combinação de elementos nominativos e elementos figurativos ou de elementos nominativos, cuja grafia se apresente de forma estilizada.
 Tridimensional: É constituída pela forma plástica (estende-se por forma plástica, a configuração ou a conformação física) de produto ou de embalagem, cuja forma tenha capacidade distintiva em si mesma e esteja dissociada de qualquer efeito técnico. 

DIREITO DE MARCA
OBS: É importante lembrar que marca se diferencia do Nome Empresarial que é aquele sob o qual o empresário e a sociedade empresária exercem suas atividades e se obrigam nos atos a elas pertinentes.

Prazo de vigência.
 O prazo de validade do registro de marca é de dez anos, contados a partir da data de concessão. Esse prazo é prorrogável, a pedido do titular por períodos iguais e sucessivos.
DOS CRIMES CONTRA A MARCA

 Os crimes contra a marca são regulados pela Lei 9.279 de 14 de maio de 1996, conhecida como Lei da Propriedade Industrial, nos seus arts 189 e 190.

Imitação ou Reprodução (tipificado pelo art. 189)
 Em virtude do direito de exclusividade do titular da marca registrada, é vedada a sua reprodução ou imitação por terceiros desautorizados, pois pode induzir o consumidor ao erro

Alteração de marca
 Outro tipo penal previsto nesta Lei é a alteração de marca registrada de outrem já posta em produto colocado no mercado.

DOS CRIMES CONTRA A MARCA

Adulteração (tipificado pelo art. 190)
 O crime previsto no artigo 190, caput, abrange a importação, exportação, venda, oferta ou exposição à venda, ocultação ou manutenção em estoque de produtos assinalados com marca ilicitamente reproduzida ou imitada, no todo ou em parte.

 A alteração de produto em vasilhame, recipiente ou embalagem que contenha marca legítima de outrem
JURISPRUDÊCIA
AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. MARCAS E PATENTES. PRODUTOS DE NATUREZA E USO TOTALMENTE DISTINTOS UNS DOS OUTROS. UTILIZAÇÃO DA EXPRESSÃO SOMENTE PARA DENOMINAR O AROMA DE SEU PRODUTO, E NÃO PARA IDENTIFICAR O ITEM JUNTO AOS CONSUMIDORES. SÚMULA STJ/7. IMPROVIMENTO. 1.- A convicção a que chegou o Tribunal de origem de que o uso da expressão "cheirinho de bebê" foi utilizado para denominar o aroma do produto, e não para identificar o item junto aos consumidores, bem como que a natureza e uso dos produtos são totalmente distintos uns dos outros, o que levou à conclusão de que não se trata de produtos concorrentes entre si, não havendo risco de confusão decorreu da análise do conjunto probatório. O acolhimento da pretensão recursal demandaria o reexame do mencionado suporte. Incide nesse ponto a Súmula STJ/7. 2.- Agravo Regimental improvido.
 
 (STJ , Relator: Ministro SIDNEI BENETI, Data de Julgamento: 17/09/2013, T3 - TERCEIRA TURMA)