Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Infecção urinária e cistite

Pré-visualização | Página 1 de 1

V
ESTUDO DIRIGIDO - Infecção Urinária e Cistite
REFERÊNCIAS PARA RESPOSTA: Bogliolo (9ª ed)
1. As infecções do trato urinário (ITU) correspondem ao tipo mais comum de infecção bacteriana e abrange uma variedade de entidades clínicas, que vão desde bacteriúria assintomática até um quadro de cistite, prostatite e pielonefrite. Baseado nisso, explique:
a) O que significa bacteriúria assintomática?
Consiste na presença de bactérias na urina de pacientes sem sintomas. A frequência de bacteriúria assintomática varia com idade, sexo, atividade sexual e presença de alterações no trato urinário
b) Descreva como ocorre o processo de infecção urinária que evolui para uma cistite.
ITU ASCENDENTE → A infecção urinária começa pela colonização dos microrganismos, facilitada pela aderência bacteriana ao epitélio da vagina e da uretra. Alcançando a bexiga, normalmente estéril, inicia-se a multiplicação bacteriana quando há redução dos fatores locais de defesa (a capacidade inibitória da substância intercelular do epitélio vesical e de outros fatores antibacterianos) e/ou estase urinária. A infecção vesical (cistite) pode ficar isolada ou entender-se ao ureter, mesmo contra a gravidade e o fluxo urinário, e continuar a ascender até o rim, causando uma pielonefrite.
c) Porque as mulheres são as mais afetadas pelas ITUs?
Nas mulheres, a uretra é mais curta e mais calibrosa e sua vizinhança com cavidades naturalmente contaminadas (períneo, ânus, reto) favorecem a penetração de microorganismos. Além disso, a aderência bacteriana parece ser favorecida por fatores hormonais. Traumatismos na relações sexuais são também mais intensos na uretra feminina. Em homens, o líquido prostático tem atividade antibacteriana.
d) As ITUs podem ser recorrentes. E a recorrência ser resultado de recidiva ou reinfecção. Diferencie os dois conceitos.
RECIDIVA → mesmo microorganismo causador de uma infecção prévia volta a causar infecção após tratamento (infecção subtratada e tem melhora clínica mas não tem a eliminação completa do microorganismo)
REINFECÇÃO → a infecção é tratada, o microorganismo causador da ITU é totalmente eliminado, e agora houve uma nova inoculação, da mesma ou outra espécie de microorganismo, que causa uma nova ITU
e) Porque a obstrução do fluxo urinário favorece o processo infeccioso do trato urinário?]
	Microorganimos na bexiga são normalmente eliminados com o fluxo de urina. Quando há obstrução urinária, porém, as bactérias não são eliminadas, multiplicam-se e causam infecção. Por isso mesmo, deve-se suspeitar de obstrução urinária em todos os casos de infecção urinária persistente. A obstrução pode ocorrer:
a. na uretra: anomalias congênitas, estenose cicatricial, hiperplasia e tumores na próstata
b. na bexiga: bexiga neurogênica, tumores, cálculo, hipertrofia do colo vesical, extrofia da bexiga
c. nos ureteres e na pelve renal: anomalias congênitas, cálculos, vasos aberrantes, tumores fibrose retroperitoneal, irradiação
d. no interior dos rins, por precipitação intratubular de cristais de ácido úrico, nefrocalcinose e doença policística autossômica dominante
Estase vesical aumenta o volume residual após a micção e inibe fatores antibacterianos locais. Infecção urinária, inclusive por via hematogênica, é muito mais comum quando existe estase urinária; o problema é agravado pelo fato de ese caos serem frequentemente submetidos a instrumentação urológica.
f) Quais as vias que os microrganismos podem utilizar para alcançar o trato urinário superior? Qual a mais comum? 
E. coli (a mais comum de todas), enterobactérias, Enterococcis, faecalis, Klebsiella, Proteus, Pseudomonas, Candida albicans…
g) Cite alguns fatores de risco para infecção de trato urinário e explique-os.
Diabetes, gravidez, insuficiência renal, obstrução do trato urinário, dispositivos (SVD, duplo J), anormalidades anatômicas ou funcionais, transplante renal, imunossupressão, microorganismos MDR