A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
HEPATITES VIRAIS

Pré-visualização | Página 1 de 2

Camila Shelly de V. Ramos 
 
HEPATITES 
VIRAIS 
 
-São causadas por diferentes vírus hepatotrópicos 
que apresentam características epidemiológicas, 
clínicas e laboratoriais diferentes 
• EPIDEMIOLOGIA 
-Distribuição universal 
-Diferenças regionais 
↳De acordo com o agente etiológico 
• AGENTES ETIOLÓGICOS 
 
→VÍRUS A (HAV) 
✓ GENOMAS 
-RNA 
✓ MODO DE TRANSMISSÃO 
-Fecal oral 
✓ PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-15-45 dias 
✓ PERÍODO DE 
TRANSMISSIBILIDADE 
-2 semanas antes do início dos sintomas até o 
final da 2°semana da doença 
→VÍRUS B (HBV) 
-Quando cronifica -> não tem cura 
-Se não cronifica -> tem cura 
✓ GENOMAS 
-DNA 
✓ MODO DE TRANSMISSÃO**** 
-Sexual 
-Parenteral (transfusão, tattoo) 
-Percutânea (Ex: Usuário de cocaína -> cheirar) 
-Vertical 
✓ PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-30-180 dias 
✓ PERÍODO DE 
TRANSMISSIBILIDADE 
-2 a 3 semanas antes dos primeiros sintomas 
↳Mantendo-se enquanto HBsAg estiver 
detectável 
↳Portador crônico pode transmitir HBV por vários 
anos 
→VÍRUS C (HCV) 
-Mais cronifica -> mas tem cura 
↳Maior n° de evoluções com carcinoma 
hepatocelular 
✓ GENOMAS 
-RNA 
✓ MODO DE TRANSMISSÃO 
-Sexual 
-Parenteral 
-Percutânea 
-Vertical 
✓ PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-15-150 dias 
✓ PERÍODO DE 
TRANSMISSIBILIDADE 
-Uma semana antes do início dos sintomas 
↳Mantendo-se enquanto HCV-RNA for detectável 
(carga viral) 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
→VÍRUS D 
✓ GENOMAS 
-RNA 
✓ MODO DE TRANSMISSÃO 
-Sexual 
-Parenteral 
-Percutânea 
-Vertical 
✓ PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-30-180 dias 
✓ PERÍODO DE 
TRANSMISSIBILIDADE 
-Na superinfecção -> 2-3 semanas antes dos 
primeiros sintomas 
↳Mantendo-se enquanto HBsAg detectável 
-Na coinfecção -> 1 semana antes do início dos 
sintomas 
↳Mantendo-se enquanto HBsAg detectável 
→VÍRUS E 
✓ GENOMAS 
-RNA 
✓ MODO DE TRANSMISSÃO 
-Transmissão fecal oral 
✓ PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-14-60 dias 
✓ PERÍODO DE 
TRANSMISSIBILIDADE 
-2 semanas antes do início dos sintomas até o 
final da 2° semana da doença 
• RESERVATÓRIO 
-Humanos 
-Roedores, aves, suínos 
 
 
• MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS 
→HEPATITE AGUDA 
-Quando ocorre? 
↳Primeiros 6 meses 
-Ocorre nas infecções por quais vírus 
hepatotróficos? 
↳Qualquer um (A, B, C, D, E) 
-Quadro clínico inicial 
↳Oligo/assintomática ou sintomática 
✓ PERÍODO PRODÔMICO 
-Sintomas inespecíficos 
✓ FASE ICTÉRICA 
✓ FASE DE CONVALESCENÇA 
-Sintomas vão se resolvendo 
→HEPATITE CRÔNICA 
-Quando ocorre? 
↳ Detecção de material genético do vírus ou 
antígeno positivo por mais de 6 meses 
-Ocorre nas infecções por quais vírus 
hepatotróficos? 
↳Vírus B, C e D 
*E pode cronificar, mas é extremamente raro 
✓ OLIGO/ASSINTOMÁTICA 
✓ SINTOMÁTICA 
-Sintomas cirrose 
 
→HEPATITE FULMINANTE 
Degradação maciça dos hepatócitos 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
-Insuficiência hepática aguda em um intervalo de 
até 8 semanas (2 primeiros meses) 
↳Icterícia 
↳Coagulopatia 
↳Encefalopatia hepática 
-Letalidade alta 
-Rara 
-Ocorre nas infecções por quais vírus 
hepatotróficos? 
↳Pode ser causada por todos os 5 tipos de 
hepatite 
OBS:HEPATITE DAS CRIANÇAS X 
HEPATITE FULMINANTE 
-Hepatite fulminante nas crianças 
↳Imunidade fraca -> infecção por adenovírus 49 
(hepatotrófico) + reação imunológica grande 
sobre o vírus -> hepatite fulminante 
• COMPLICAÇÕES 
→CRONIFICAÇÃO 
 
-Fibrose 
-Carcinoma hepatocelular 
-Cirrose hepática e suas complicações 
OBS:SUPERINFECÇÃO X COINFECÇÃO 
-Superinfecção 
↳Já tinha um dos vírus e adquiriu o outro depois 
↳Pior prognóstico 
-Coinfecção 
↳Duas infecções ao mesmo tempo 
 
 
• DIAGNÓSTICO 
→CLÍNICO 
→LABORATORIAL 
✓ FUNÇÃO HEPÁTICA 
-Albumina 
-TAP/INR 
-Bilirrubina (predomínio da direta) 
✓ LESÃO HEPÁTICA 
-AST/TGO 
-ALT/TGP 
✓ PROVAS ESPECÍFICAS 
-Marcadores sorológicos e virológicos 
• DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL 
 
• HEPATITE A 
→GENOMA 
-RNA 
→MODO DE TRANSMISSÃO 
-Fecal-oral 
→PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-Média de 30 dias 
→EPIDEMIOLOGIA 
-Crianças 
→PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE 
-2 semanas antes do início dos sintomas até o 
final da 2° semana da doença 
↳Período longo de transição 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
→SUSCETIBILIDADE 
-Indivíduos sorologicamente negativos para anti-
HAV IgG 
-Imunidade duradoura -> se tem hepatite A uma 
única vez na vida 
↳Pela infecção prévia ou vacina 
→SOROLOGIA 
 
-IgM -> infecção aguda 
• HEPATITE B ** 
→GENOMA 
-DNA 
↳Quando cronifica, normalmente, não tem cura 
→MODOS DE TRANSMISSÃO 
-Sexual 
-Parenteral 
-Percutânea 
-Vertical 
→PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-30-180 dias (média de 60-90 dias) 
→DETALHANDO VÍRUS X ANTÍGENOS 
X ANTIVORPOS 
✓ ANTÍGENOS 
-Antígeno de superfície -> HBsAg 
↳Só dará positivo -> se o vírus estiver presente no 
organismo 
-Antígeno do core -> HBcAg 
↳Verificação de contato prévio ou recente com o 
vírus (IgM e IgG) 
-DNA polymerase -> carga viral do vírus 
-Proteína produzida quando há replicação viral -> 
HBeAg (partícula e do vírus da hepatite B) 
↳Quando positivo -> indica replicação do vírus 
 
✓ ANTICORPOS 
 ANTI-HBC IGM 
 ANTI-HBC IGG 
 ANTI-HBC TOTAL 
 ANTI-HBs 
 ANTI-HBe 
→SOROLOGIA**** 
✓ CARGA VIRAL 
 DNA POLYMERASE 
✓ ANTÍGENOS 
 HBsAg 
-Primeiro marcador sorológico a ser identificado 
-O que significa? Indivíduo tem infecção pelo 
vírus HBV naquele momento 
 HBcAg 
 HBeAg 
✓ ANTICORPOS 
 ANTI-HBC IGM 
 ANTI-HBC IGG 
 ANTI-HBC TOTAL 
-Informa se o indivíduo já teve contato com o 
vírus 
↳Anti-HBc total positivo -> contato prévio com o 
vírus identificado 
 ANTI-HBs 
-Desenvolvimento da imunidade contra o vírus 
↳Quando anti-HBS positivo + antiHBC negativo = 
vacinação 
 ANTI-HBe 
 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
OBS:TRANSMISSIBILIDADE 
-Quanto mais alto HBeAg e HBsAg -> maior risco 
de transmissão 
↳HBeAg = risco de transmissão 
↳HBsAg = indica transmissão 
→PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE 
-2-3 semanas antes dos primeiros sintomas 
↳Se mantendo enquanto HBsAg detectável 
→SUSCETIBILIDADE 
-Quem está suscetível? 
↳Perfil sorológico: HBsAg (+) ; Anti-HBc (-) ; Anti-
HBs (-) 
-Vacinação 3 doses (0-1-6) 
↳Imunossupresso -> 1 dose a mais 
*4 doses dobradas 
• HEPATITE C 
→GENOMA 
-RNA 
→MODO DE TRANSMISSÃO 
-Sexual 
-Parenteral 
-Percutânea 
-Vertical 
→PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-50 dias em média 
→PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE 
-1 semana antes do início dos sintomas 
↳Se mantendo enquanto o paciente apresentar 
HCV RNA detectável (carga viral) 
→SUSCETIBILIDADE 
-Todos os indivíduos são susceptíveis a infecção 
ou reinfecção pelo HCV 
-O perfil sorológico anti-HCV reagente não 
confere imunidade contra o vírus *** 
↳Reinfecção possível 
-Não existe vacina 
OBS:ANTI-HCV X CARGA VIRAL 
-Anti-HCV uma vez positivo -> positiva para toda 
vida 
↳O que vai dizer se o paciente está infectado de 
fato ou não será a carga viral do vírus (HCV-RNA) 
ou do antígeno viral 
• HEPATITE D 
→GENOMA 
-RNA 
→MODO DE TRANSMISSÃO 
-Sexual 
-Parenteral 
-Percutânea 
-Vertical 
→PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-30-180 dias 
→PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE 
 
→SUSCETIBILIDADE 
-Só infecta pacientes que possuam Hepatite B 
-A imunidade para hepatite D pode ser conferida 
indiretamente pela vacina contra a hepatite B 
→SOROLOGIAS 
 
• HEPATITE E 
→GENOMA 
-RNA 
 
Camila Shelly de V. Ramos 
 
→MODO DE TRANSMISSÃO 
-Fecal/oral 
→PERÍODO DE INCUBAÇÃO 
-Média de 42 dias 
→PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE 
-2 semanas antes do início dos sintomas até o 
final da 2° semana da doença 
→SUSCETIBILIDADE 
-São suscetíveis todos os indivíduos 
↳Independente do perfil sorológico 
-A infecção não confere imunidade e não existe 
vacina 
→SOROLOGIA 
 
OBS:RESUMINDO SUSCETIBILIDADE 
 
• TRATAMENTO HEPATITES VIRAIS 
→HEPATITE AGUDA 
 
→HEPATITE CRÔNICA 
 
 
OBS:QUESTÕES DA PROVA! 
-Modo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.