A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Artrópodes quelicerados

Pré-visualização | Página 1 de 3

ARTHROPODA | Ana Flávia Medeiros
ARTHROPODA- CHELICERATA
 
 Faz parte do grupo Panarthropoda composto 
pelos filos: Onychophora, Tardigrada e 
Arthropoda. 
 Táxons de Arthropoda: Trilobita (fósseis); 
Chelicerata; Myriapoda (corpo alongado, 
muitas pernas); Pancrustacea (crustáceos + 
hexapoda) 
 Nome- grego arthros: articulado; podos: 
pés/pernas 
 Apresentam mais mobilidade na locomoção 
 Características comuns de ancestralidade: 
 Corpo segmentado; exoesqueleto de quitina 
(faz ecdise- muda); apêndices segmentares 
articulados pares; ausência de cílios 
locomotores 
 Segmentação: Evidente durante o 
desenvolvimento embrionário; fundiram ou 
teve fusão de segmentos 
 Especialização regional do corpo- tagmose. 
 Tagmas: grupo de segmentos- ex: cefalotórax 
(cabeça + tórax), tronco (tórax e abdome) 
 Cefalização: 
 Tagma anterior- cabeça: recepção sensorial, 
integração neural, alimentação. Composta por 
cérebro (concentração de gânglios 
segmentares), apêndices sensoriais e 
alimentares, porção inicial do tubo digestivo 
(quimiorreceptor e recepção neural) 
 Apêndices segmentares- depois da cabeça; 
são pares e articulados; condição primitiva= 1 
par de apêndice por segmento (semelhança 
com Annelida- poliquetas) 
 Tipos de apêndices segmentares- 
 Cefálicos: recepção química e alimentação; 
ex- antena 
 Torácicos e abdominais- locomoção, 
reprodução, respiração, manipulação de 
alimento; ex- forcícula na lacraia. 
 Parede corporal: com exoesqueleto de 
cutícula- proteção corporal, sustentação 
corporal. Naturalmente é fina e flexível, 
porém depois vai tendo esclerotização ou 
mineralização, onde reações químicas 
causam o endurecimento do exoesqueleto, 
deixando-o rígido. 
 Mobilidade: segmentos corporais são 
divididos em placas—escleritos 
 Estruturas cuticulares: cromatóforos (cor), 
cerdas (estímulos mecânicos, pode ser usado 
para defesa) 
 Camadas da cutícula: 
 Epicutícula: mais externa, tem proteínas, 
lipoproteínas, lipídeos e cera que permite a 
impermeabilidade (evita a perda de água e 
de gases); relacionado com o sucesso dos 
artrópodes no ambiente terrestre. 
 Procutícula: tem proteína e quitina dando 
espessamento e rigidez para artrópodes; 
dividida em exocutícula e endocutícula. 
 Muda/ Ecdise: fases= 
1. Intermuda: período entre as mudas instar, 
atividades normais do animal 
2. Pré-muda: cutícula externa começa a se 
soltar da endocutícula e a nova começa a 
ser formada. Redução do metabolismo 
3. Muda: baixo metabolismo, elimina o 
exoesqueleto velho- exúria 
4. Pós-muda: esclerotização do novo esqueleto 
Muda é controlada por hormônios- ecdisona 
que controla as fases da muda 
Gráfico crescimento corporal x mu
 
ARTHROPODA | Ana Flávia Medeiros
 Com o tempo vai aumentando o 
tamanho corporal e a muda vai 
demorando mais 
 Epiderme: abaixo do exoesqueleto/ cutícula 
 Lâmina basal: fibras protéicas e outras 
substâncias de apoio 
 Camada muscular: com músculos estriados 
especializados que faz movimentos 
antagônicos (músculos flexores e 
extensores) 
 Celoma: cavidade corporal verdadeira. 
 Função celoma- locomoção (esqueleto 
hidrostático), excreção (produção de 
ultrafiltrado do sangue), reprodução (local de 
maturação e armazenamento de gametas) 
 Em artrópodes o celoma é reduzido, pois 
tem maior complexidade e ocupação dos 
sistemas/apêndices. Região com mais 
celoma- gônadas e nefrídios (parte 
reprodutora e excretora) 
 Transporte interno: 
 Sistema hemal- cavidade funcional do corpo; 
com vasos especializados que chegam até os 
órgãos. 
 Função: transporte de nutrientes, retirada de 
resíduos, hormônios e as vezes gases. 
 Sistema hemal: sempre dorsal, constituído 
por sangue e fluido celomático (hemocele). 
Com coração (tem átrios), artérias, seios, 
sangue e hemocele. Espaço amplo com 
vísceras e musculatura, sendo dividido por 
septos 
 Excreção: 
 Nefrídios saculiformes- pode variar, mas 
geralmente é alongado com uma abertura só 
(protonefrídio); persente em artrópodes 
aquáticos (crustáceos e quelicerados), 
excretam amônia (tóxica). 
 Túbulos de Malpighi: aparece principalmente 
em artrópodes terrestres; estrutura que sai 
direto do intestino, derivado do sistema 
digestivo, estende-se pela hemocele; 
excretam nitrogênio- ácido úrico, guanina. 
 Nefrócitos: células excretoras na hemocele. 
Processa resíduos e toxinas que podem ser 
liberadas pelos nefrídios e túbulos de 
Malpighi. Alguns tem as 3 estruturas 
(nefrídios saculiformes, túbulos de Malpighi 
e nefrócitos), outros só tem duas ou uma, 
mas nunca tem só o nefrócito. 
 Trocas gasosas: 
 Artrópodes pequenos pela superfície corporal 
 Artrópodes grandes: aquáticos (brânquias); 
aracnídeos (pulmão foliáceo); aracnídeos, 
hexapoda e myriapoda (traquéia, se conecta 
com músculo e precisa de energia e 
mobilidade maior) 
 Sistema digestório: divisão= 
Estomodeu (anterior) Ingestão, 
armazenamento e 
processamento inicial do 
alimento (trituração), 
tem cutícula envolvendo. 
 
Mesêntero (mediano) Absorção de alimento, 
não tem cutícula 
 
Proctodeu (posterior) Formação e 
armazenamento de 
excretas, tem cutícula e 
epiderme 
 
 
 Sistema nervoso: 
 Cérebro anterior (protocérebro + 
deutocérebro + tritocérebro) + anel nervoso + 
1 par de cordão nervosos ventral anterior 
(SNC) + nervos e gânglios segmentares 
(SNP) 
 Reprodução 
 São gonocóricos; 
 Fertilização externa- aquáticos (límulos, 
aranhas-do-mar e alguns crustáceos) 
 Fertilização interna- terrestres 
 Transferência de esperma direta (pênis) ou 
indireta (apêndices modificados); é comum o 
cuidado parental 
 Desenvolvimento: ovo centrolécito (vitelo ao 
redor do núcleo, clivagem superficial 
meroblástica. Desenvolvimento indireto ou 
direto 
 
 
ARTHROPODA | Ana Flávia Medeiros
 Trilobitomorpha 
 Grupo de artrópodes extintos, do Cambriano 
 Maioria aquáticos 
 Aproximadamente 4 mil espécies descritas 
 Plano corporal: céfalo + tórax+ pigídio 
 Exoesqueleto de calcita- carapaça dorsal 
grossa e calcificada de carbonato de cálcio 
(fácil fossilização), membrana ventral não 
calcificada; 
 Com formas variadas- diversidade de hábitos. 
 
 
 Chelicerata: 
 {aracnídeos, Xiphosura e Picnogônidos}. 
Aracnídeos e xifosura- euchelicerata 
 Divisão corporal: regiões ou tagmas 
 Tagmas: 
Prossoma (cefalotórax) Com 7 segmentos, 6 
pares de apêndices 
articulados 
Opistossoma (abdome) Até 12 segmentos, 
apêndices abdominais 
 
 Apêndices cefalotórax: quelíceras- 1° 
apêndice, auxilia alimentação, normalmente 
perto da boca. Pedipalpos- perto das 
quelíceras, mecano e quimiorreceptores 
(quando pequenos geralmente é sensorial; no 
escorpião tem garra e pinça no final que 
ajuda a segurar a presa para injetar veneno). 
4 pares de pernas locomotoras 
 Apêndices abdominais: varia de acordo com 
o animal; Fiandeiras nas aranhas; apêndices 
com funções respiratórias (alguns animais 
não tem). Escorpião: 10 segmentos, com 
glândula de veneno e aguilhão no final do 
abdome para injetar veneno. 
 Ausência de antenas 
 Características do subfilo Chelicerata: 
 Corpo composto por 2 tagmas- prossomo (6 
pares de apêndices articulados geralmente 
cobertos por escudo semelhante a carapaça) 
e epistossomo (12 segmentos e um télson 
pós-segmentar) 
 Apêndices do prossomo- quelíceras, 
pedipalpos, 4 pares de pernas locomotoras, 
sem antena. Todos apêndices 
multiarticulados. 
 Troca gasosa por meio de brânquias 
foliáceas, traqueia, pulmão foliáceo ou 
através da cutícula. 
 Excreção pelas glândulas coxais e/ou Túbulos 
de Malpighi 
 Olhos medianos simples e olhos laterais (nos 
xifosuros são compostos) 
 Trato digestivo com 2 a 6 pares de cecos 
digestivos, aumentando absorção de 
nutrientes 
 Predominantemente gonocóricos. 
 
 Classe Pycnogonida: 
 Não entra no padrão Euchelicerata por causa 
da divisão corporal 
 1000 espécies, exclusivamente marinhos. 
Exemplo: aranha-do-mar 
 
 Nome grego: pyknós: