Buscar

Abordagem critico emancipatória

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

Abordagem Crítico-emancipatória 
 
Alunos: João Victor Souza, Laís Ohana, Felipe Gherke, Aycon 
Amâncio, Guilherme Costa, Gabriel Alves, Antônio Higor, 
Vinícius, Laisla, Bruno Engelberg. 
Professora: Mel Oliani 
 
 O que é a abordagem Crítico-emancipatória ? 
 Diferenciando-se das demais, esta abordagem tem como principal objetivo a 
emancipação, visando trabalhar a autonomia dos alunos com uma metodologia que 
valorize a criatividade e a linguagem, sem deixar de lado o movimento através dos 
esportes. 
 Elenor Kunz, visto como maior pioneiro da abordagem e sua obra “Educação Física: 
ensino e mudanças”, o objetivo é formar sujeitos críticos e autônomos para a 
transformação da realidade na qual estão inseridos. Também é válido ressaltar que Kunz 
aborda três competências à respeito da abordagem, sendo elas: 
Competência Objetiva: Visando desenvolver a autonomia através da técnica. 
Competência Social: Referente aos conhecimentos que os alunos devem adquirir para 
entender o próprio contexto sócio-cultural. 
Competência Comunicativa: Que assume um processo reflexivo responsável por 
expressar o pensamento crítico, ocorrendo através da linguagem verbal, escrita ou 
corporal. 
 É necessário salientar que na abordagem crítico-emancipatória, as preposições 
inseridas do processo de ensino possibilitam aos alunos buscas por soluções individuais 
ou coletivas, buscando sempre a formação de um sujeito crítico e emancipado. Sendo 
assim, são notórias três categorias no contexto sociopolítico do aluno, nas quais são: o 
trabalho corporal vivenciado pelos alunos, a interação que possibilita ações de 
características cooperativas, e a linguagem que vão além das capacidades corpóreas. 
 Por fim, os alunos devem expressar pela própria experiência de seus movimentos 
para participações bem sucedidas em atividades e também pela linguagem como forma 
de exposição.

Outros materiais