A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Direito Civil - Contrato de troca ou permuta

Pré-visualização | Página 1 de 1

Direito Civil 
 
É o contrato no qual os sujeitos adquirem um bem através da transferência de um outro 
bem, em vez pagar mediante dinheiro. 
Não se envolve dinheiro na relação. Se houver dinheiro em alguma medida, torna-se 
compra e venda. 
Obs.: Ambos os sujeitos são chamados de permutantes. 
Os objetos da permuta serão sempre bens, podendo ser, ou não, da mesma espécie. A permuta 
gera a obrigação de transferir para o outro o domínio da coisa objeto de sua prestação. 
Eventualmente, se um dos contraentes der dinheiro ou prestar serviço, não haverá troca, mas 
compra e venda (no primeiro caso) ou contrato inominado ou atípicos (segundo caso). 
Podem ser trocados todos os bens que podem ser vendidos, ou seja, bens alienáveis – art. 86 
CC. 
• Prazo para anular: aplica-se o prazo decadencial de 2 anos, contados da 
celebração do negócio jurídicos – art. 179 do CC. 
• Natureza Jurídica: é contrato bilateral/sinalagmático ou oneroso, tendo caráter 
apenas obrigacional, em regra, é translativo e consensual, porque se aperfeiçoa 
com o acordos de vontades. 
• Vícios redibitórios e evicção: aplica-se. Os efeitos identifica-se com os da 
compra e venda, inclusive no que toca os riscos da coisa, vícios redibitórios, 
evicção – art. 553 CC 
• Despesas: cada permutante deve pagar metade das despesas com o instrumento 
da troca. 
• Devolução: o contratante pode pedir a devolução da coisa que entregou, se o outro 
não cumprir a sua parte, com base na exceção do contrato não cumprido. 
Contrato de troca ou permuta 
• Troca entre ascendentes e descendentes: art. 553, inciso II do CC, “é anulável 
a troca de valores desiguais entre ascendentes e descendentes, sem consentimento 
dos outros descendentes e do cônjuge do alienante”. Se os valores são desiguais, 
e o objeto que pertence ao ascendente é mais valioso, os demais descendentes 
devem ser ouvidos e consentir expressamente – art. 496, CC. 
Contrato bilateral – existe obrigação para as duas partes. 
Oneroso – porque ocorre redução patrimonial para as duas partes. 
Comutativo – desde o começo da avença as partes sabem exatamente o que tem de fazer, 
o que vão receber e qual a obrigação. É previsto as vantagens e desvantagens que do 
contrato pode advir, devido as suas prestações serem certas. 
Consensual – se aperfeiçoa a partir do acordo de vontades, independentemente da 
tradição; 
Formal ou solene – se for de bem imóvel cujo valor seja superior a 30 vezes o salário 
mínimo vigente. É solene só por exceção, quando tem por objeto bens imóveis. 
Obs.: tudo que condiz a um bem imóvel, seja uma compra e venda, doação, renúncia, 
será solene.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.