A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Resumo Saúde da Criança

Pré-visualização | Página 9 de 9

● Desenvolve-se: 7º mês de gestação;
● Desaparece: 4º - 6º mês de vida.
Marcha automática
● Execução: inclinação do tronco do
RN após obtenção do apoio
plantar;
● Resposta: cruzamento das pernas
→ movimentos de marcha;
● Desenvolve-se: 34ª semana de
gestação;
● Desaparece: 3-4 meses de idade.
Reflexo de Galant
● Execução: estímulo tátil na região
dorsolateral com o RN sobre a
palma da mão do examinador;
● Resposta: encurvamento do tronco
ipsilateral ao estímulo;;
● Desenvolve-se: 8º - 9º mês de
gestação;
● Desaparece: 2-3 meses de idade.
Reflexos osteotendíneos ou profundos
● O mais fácil de ser obtido é o
patelar;
● Martelo: pequeno, redondo ou com
ponta de borracha.
● Pode-se avaliar: bicipital, radial,
tricipital, patelar, aquileu.
Ananda – 66 SC – UC4
Icterícia
Causas da icterícia em RN
● Maior massa eritrocitária e menor
meia-vida;
● Menor captação da BI (deficiência
das ligandinas Y e Z);
● Imaturidade hepática: menor
conjugação (glicuronil-transferase)
→ maior BI;
● Maior circulação entero-hepática:
mais tempo do leite no intestino →
mais betaglicuronidase que
desconjuga a BD;
● Ausência de flora bacteriana (maior
ação da β-GLICURONIDASE);
Peculiaridades do metabolismo da
bilirrubina no feto
● A Bb é detectada no LA após a 12ª
semana de gestação e desaparece
ao redor da 36ª-37ª semana;
● A capacidade do fígado fetal em
remover a bilirrubina da circulação
e conjugá-la é limitada;
● O intestino do feto também não é
uma via de excreção da bilirrubina
e sim a placenta;
● Assim, o RN raramente nasce
ictérico.
Icterícia fisiológica
● Predomina bilirrubina indireta;
● Percebida 2º-3º dia (5-9 mg/dL) →
máximo 12-13 mg/dL. Desaparece
em 7 a 10 dias;
● Normaliza 5º-7º dia: <2mg/dL.
● Se pré-termo: percebida 3º-4º dia →
máximo 14-14 mg/dL.
Desaparecimento to no 15º dia.
Icterícia patológica
Suspeitar:
● Icterícia precoce (<24h);
● Persistente (>1 semana);
● BT>12 mg/dL;
● BI>5 mg/dL em 24h ou >0.2
mg/dL/hora;
● BD>2mg/dL ou 20% BT → pensar em
colestase;
● Alterações clínicas.
Tabela de Kramer
Icterícia relacionada a amamentação
Icterícia do leite materno
● Tardia: após 1 semana;
● Normal: após 3-12 semanas;
● Causa: substância do leite;
● Suspender leite materno por 48h
(queda da bilirrubina).
Icterícia do aleitamento materno
● Precoce: 1ª semana;
● Perda de peso > 7%;
● Causa: baixa ingesta de leite
materno;
● Aumentar a quantidade de leite
materno ofertada.
Investigação icterícia patológica
Propedêutica
● TS e fator Rh;
● BT e frações;
● Coombs direto (no bebê):
○ Positivo → hemólise;
○ Negativo → solicitar Hb e
reticulócitos.
○ Hb Alta → excesso de
hemáticas;
○ Hb normal ou baixa →
reticulócitos altos
(esferocitose, deficiencia
G6PD, talassemia),
Ananda – 66 SC – UC4
reticulócitos normais ou
baixos (síndrome hepática,
hipotireoidsmo, DM
gestacional → fígado menor).
Icterícia por hemólise
● Anticorpos da mãe pro feto →
hemólise (ictéria precoce);
● Coombs direto + reticulócitos alto.
Incompatibilidade ABO
● Mais comum;
● Mãe O e RN A u B;
● Pode ter coombs direto negativo.
Incompatibilidade RH
● Anticorpos maternos anti-D;
● Mãe Rh negativa e RN Rh positivo;
● Gestação prévia (coombs indireto);
● Gestação progressiva.
Hiperbilirrubinemia direta
● Distúrbio da captação/conjugação
da bilirrubina → intra-hepática
(hepatite neonatal, galactosemia,
infecções congênitas, NPT
prolongada).
● Colestase → atresia de vias biliares
(extra-hepática):
○ Ductos biliares
extra-hepáticos obstruídos
(pode ser progressivo);
○ Aparece 2ª-6ª semana +
colúria + acolia fecal +
hepatomegalia.
Exames laboratoriais
● Bilirrubina total e frações;
● Hemoglobina e hematócrito com
morfologia de hemácias,
reticulócitos e esferócitos;
● Tipo sanguíneo da mãe e
recém-nascido para sistemas ABO e
Rh (antígeno D);
● Coombs direto no sangue de
cordão ou do recém-nascido;
● Pesquisa de anticorpos anti-D
(Coombs indireto) se mãe Rh (D)
negativo;
● Pesquisa de anticorpos anti-A ou
anti-B, se mãe tipo O (teste do
eluato);
● Pesquisa de anticorpos maternos
para antígenos irregulares (anti-c,
anti-e, anti-E, anti-Kell e outros) se
mãe multigesta/transfusão
sanguínea anterior e RN com
Coombs direto positivo;
● Dosagem sanguínea quantitativa
de G6PD;
● Dosagem sanguínea de hormônio
tireoidiano e TSH (exame do
pezinho);
● Ultrassonografia cerebral em
recém-nascido pré-termo.
Fatores de risco para neurotoxicidade da
bilirrubina em recém-nascidos
pré-termos
● Peso ao nascer < 1.000 g;
● Apgar < 3 no 5º minuto;
● Pressão arterial de oxigênio < 40
mmHg por > 2 horas;
● pH < 7,15 por mais de 1 hora;
● Temperatura corpórea < 35 °C por >
4 horas;
● Albumina sérica < 2,5 g/dL;
● Sepse;
● Rápido aumento de BT, sugerindo
doença hemolítica;
● Deterioração clínica, apneia e
bradicardia, ventilação ou
hipotensão com necessidade de
tratamento nas últimas 24 horas.
Neurotoxicidade
● Encefalopatia Bilirrubínica Aguda:
achados clínicos precoces
decorrentes do comprometimento
do sistema nervoso pela bilirrubina
indireta “livre”
● Kernicterus: achados clínicos
tardios com seqüelas neurológicas
permanentes decorrente da
toxicidade da bilirrubina indireta
“livre”, que fica depositada no corpo
dos neurônios.
● As zonas do cérebro mais
frequentemente atingidas são:
núcleos da base e do oculomotor e
Ananda – 66 SC – UC4
a função auditiva no tronco
cerebral.
Precoce (Encefalopatia Bilirrubínica) –
fase aguda
● 1ª fase - letargia, sucção débil,
hipotonia
● 2ª fase - irritabilidade, gritos,
hipertonia, opistótono
● 3ª fase – aparente melhora
Tardio (Kernicterus) – fase crônica
(instala-se no 1º ano)
● Coreoatetose, Paralisia cerebral
● Surdez, Retardo mental
● Incoordenação motora visual
Fototerapia
● Terapia padrão-ouro.
● A fototerapia atua nos capilares e
nos espaços intersticiais
superficiais da pele e do tecido
subcutâneo, tornando a BI
(bilirrubina não conjugada)
hidrossolúvel → pode ser excretado
na urina e na bile sem ser
necessária a formação da
bilirrubina conjugada pelo fígado.
● Para o melhor efeito terapêutico, a
luz precisa agir na maior superfície
corpórea (área exposta à luz), com
comprimentos de onda adequados
para penetrar na pele, ser
absorvida pela bilirrubina e
produzir os derivados para serem
excretados.
● Na prática clínica, uma forma de
ampliar a área da pele exposta à
luz é utilizar fontes adicionais de
fototerapia, para emitir luz na
maior área corpórea, por exemplo,
nas superfícies anterior e dorsal da
pele do RN, concomitantemente.
Exsanguineotransfusão
● Os objetivos da EST são diminuir os
níveis de bilirrubina para reduzir o
risco de encefalopatia bilirrubínica,
além de substituir hemácias
sensibilizadas e reduzir os
anticorpos circulantes.
● Remoção das hemácias com
anticorpos ligados e/ou circulantes,
redução da bilirrubina e correção
da anemia.