A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
APOSTILA GÁS NATURAL 1

Pré-visualização | Página 1 de 18

GÁS NATURAL 
Prof. Ricardo Marinho 
 
 
 
 
SISTEMA DE PRODUÇÃO GÁS NATURAL 
 Introdução 
O Gás natural é um gás inodoro, incolor, não tóxico e mais leve que o ar, definido 
quimicamente como uma mistura de hidrocarbonetos parafínicos leves, que permanece 
em estado gasoso à temperatura ambiente e pressão atmosférica. É na verdade uma 
mistura de gases, principalmente o metano (CH4), cerca de 70% da composição. Tem 
uma densidade inferior a 1 e um poder calorífico entre as 9 000 kcal/m3 e 12 000 
kcal/m3. 
Composição Percentual do Gás Natural 
Hidrocarbonetos % 
metano 70 - 98 
etano 1 - 10 
propano traços – 5 
butanos traços – 2 
pentanos traços – 1 
hexanos traços - 0,5 
heptanos + traços - 0,5 
Não-hidrocarbonetos % 
nitrogênio traços – 15 
dióxido de carbono traços – 5 
sulfeto de hidrogênio traços – 3 
hélio traços – 5 
 
Fonte: Fundamentals of Petroleum - Second Edition - The University of Texas at Austin 
A origem do gás natural é fóssil, resultado de milhões de anos de decomposição de 
matéria orgânica, sendo encontrado no subsolo em rochas porosas isoladas do meio 
ambiente por camadas impermeáveis. 
Desde os mais remotos tempos o gás natural é conhecido pela humanidade, 
especialmente pelos Babilônicos, Persas e Gregos que utilizavam o gás que era expelido 
de forma espontânea em seus templos, onde se mantinha aceso o “gogo eterno”, 
resultado da queima do gás. 
Apesar ter sido utilizado pelos chineses nos séculos XVII e XIX em seus alto-fornos 
usados no processamento de cerâmicas e metalúrgica, até o século XIX, era considerado 
um componente indesejado no processo de prospecção do petróleo, exigindo uma série 
de procedimentos de segurança, o que aumentava a dificuldade e os custos da atividade. 
Foi somente a partir dos anos 80 do século XX que o gás natural teve sua importância 
reconhecida, com o aumento do consumo como fonte de energia. 
 
Indústria mundial do gás natural 
 
A partir da constatação da importância do gás natural, como ótima uma energia alternativa, 
houve um ascender de lâmpadas e de mentes para sua melhor utilização. Tal constatação, além 
de estratégica, apresentava um futuro bastante promissor para o gás natural. 
Alguns destaques históricos da indústria mundial do gás natural são: 
 
 1813 – A London and Westminster Gas Light & Coke Company assinou seu o 
primeiro contrato municipal para iluminação pública através do gás. 
 
 1821 – Nos EUA, o gás natural produzido em Fredonia, na Pensilvânia onde foram 
descobertos os primeiros poços de petróleo , é depois era bombeado por gasodutos 
por toda a cidade para iluminar ruas e casas. Na verdade era um dos marcos do 
nascimento da moderna indústria do gás natural. 
 
 1860 – Na Bélgica, Jean Josef Etienne Lenoir conseguiu dá partida no primeiro 
motor a gás “que realmente consegue rodar”. 
 
 1956 – As primeiras descobertas em Shebelinka e na Ucrânia, no Norte do Cáucaso e 
no Uzbequistão, contribuíram para à criação de um Ministério do Gás, base central 
do se tornou a maior companhia de gás do mundo, a Gazprom. 
 
 1974 – O primeiro “choque” dos preços do petróleo acabou levando a muitos países, 
sobretudo ao Japão, partir para a diversificação energética passando do petróleo para 
o gás natural e outras alternativas. No Japão a opção escolhida na época foi a do gás 
natural liquefeito do Pacífico. A França escolheu promover o desenvolvimento da 
energia nuclear, restringindo o uso do gás a “fins nobres”. 
 
A importância e o interesse pelo gás natural ocorreram principalmente pela busca de 
alternativas ao petróleo como fonte mais limpa, menos agressiva ao meio ambiente. 
Com isso, houve um aumento nas atividades de prospecção e exploração e de 
descobertas de reservas provadas. 
 
 No Brasil, a expansão do consumo do gás natural está ligada às transações comerciais 
com a Bolívia, que exporta seu gás através do gasoduto Bolívia/Brasil. 
Hoje é uma das principais fontes de energia mundial, atrás apenas do petróleo e do 
carvão, utilizado principalmente para produzir eletricidade e calor e servir como 
combustível em automóveis e ainda como matéria-prima na indústria química utilizado 
para produção de uma série de compostos usados na fabricação de bens duráveis. 
Gasoduto Brasil-Bolívia-Gasbol 
O Gasoduto Brasil-Bolívia, também conhecido como GASBOL é uma via de transporte de gás 
natural entre a Bolívia e o Brasil com 3.150 km de extensão, sendo 2.593 em território brasileiro 
e 557 em território boliviano. O gasoduto tem seu início na cidade boliviana de Santa Cruz de 
La Sierra e seu fim na cidade gaúcha de Porto Alegre, atravessando também os estados de Mato 
Grosso do Sul, São Paulo, P á, Santa Catarina até chegar ao Rui Grande do Sul, passando por 
cerca de quatro mil propriedades em 135 municípios. 
 
O gasoduto Bolívia-Brasil faz parte de um grande empreendimento da Petrobrás, com objetivo 
de atender a demanda crescente de gás natural no país. 
 
 
2CADEIA PRODUTIVA DO GÁS NATURAL 
 
2.1 Etapas da Cadeia Produtiva 
 
Uma cadeia produtiva é definida como uma determinada rede de inter-relações entre 
vários atores de um sistema industrial que permite a identificação do fluxo de bens e 
serviços através dos setores diretamente envolvidos, desde as fontes de matérias primas 
até o consumo final do produto.” 
 
 
A cadeia produtiva do gás natural, apresentada abaixo, pode ser visualizada em dois 
grandes blocos: um que inclui atividades relacionadas à obtenção do produto, chamada 
de upstream; e um outro com atividades relacionadas à aplicação direta do produto, 
focalizando seus usos, chamado de downstream. 
Bloco de atividades de obtenção ou “upstream” 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tipos de gás 
 
Temos dois tipos de classificação do gás natural: o gás associado (GA) e o não- 
associado (GNA). 
Gás associado: é o tipo de gás natural que está dissolvido no petróleo em forma de uma 
capa de gás, dentro do reservatório. Parte desse gás é utilizada no próprio sistema de 
produção do petróleo, servindo nos processos de reinjeção para aumentar pressão e a 
recuperação do petróleo. Muitas unidades de produção utilizam o gás natural como 
fonte geradora de energia nas suas próprias instalações. 
Gás não-associado: é o tipo de gás natural que se encontra no reservatório e isolado, 
livre de petróleo ou associado em pequenas quantidades. Esse tipo de gás só é utilizado 
na sua comercialização. 
No Brasil, a produção de gás associado é cerca de 73% do total, sendo este destinado 
quase que exclusivamente na geração de energia termelétrica. 
 
Sistema de produção de gás associado 
A maioria das jazidas de petróleo Brasil é constituída de óleo e gás associado. A 
produção do óleo e do gás natural nesse tipo de reserva requer uma série de etapas que 
constitui o processo primário. O fluido do reservatório é um produto bruto, uma mistura 
trifásica composta de água, óleo e gás e ainda sedimentos como areia e outras impurezas 
sólidas em suspensão. Para que esse material se torne viável para a indústria petrolífera, 
torna-se necessário um processamento, dividindo em duas partes: os hidrocarbonetos 
(óleo e gás) e o refugo composto de água e demais detritos. A água recebe ainda um 
tratamento onde a parte tratada é descartada e o que sobre usada na reinjeção. 
Uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA 20.86, 
estabelece que a água proveniente do processo primário da produção de óleo e gás 
natural deve ter temperatura máxima de 40° C e um teor máximo de 20 ppm de óleo 
para com isso evitar danos