A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
APOSTILA GÁS NATURAL 1

Pré-visualização | Página 2 de 18

amo meio ambiente marinho. 
A produção marítima de petróleo e gás associado apresenta 15 Etapas que vão do 
estágio de condicionamento do material bruto para transporte até o condicionamento 
para utilização nas UPGN. 
 Etapa 1 – Nessa etapa o fluido, um composto trifásico (óleo, gás e água) 
encontra-se ainda no reservatório. 
 Etapa 2 – Perfuração e instalação de poços de produção com a finalidade de 
extrair o fluido contido no reservatório. 
 Etapa 3 – Instalação no fundo do mar da árvore de natal que é o nome dado a um 
equipamento de segurança composto por um conjunto de válvulas e acessórios. 
Esse equipamento utiliza de válvulas gavetas ou flanges que permite que o poço 
seja fechado em caso de emergência ou alguma demanda operacional. Existem 
dois tipos: o ANM conhecidas como Árvore de Natal Molhada e ANC, Árvore 
de Natal Convencional ou Seca. 
 Etapa 4 – Inicia-se a movimentação do fluxo do reservatório para a unidade de 
produção através de dutos submarinos chamados linhas de produção. Nessa 
etapa o fluxo ocorre no trecho denominado Flowtine no leito oceânico. 
 Etapa 5 – Ocorre a elevação do fluxo pelo trecho denominado Riser do leito 
oceânico até a unidade de processamento na plataforma. Nessa etapa, a pressão 
do óleo da mistura declina-se devido ao fato dos hidrocarbonetos mudarem do 
estado líquido para o gasoso. 
 Etapa 6 – É quando o fluxo atinge a plataforma. 
 Etapa 7 – O fluxo então alimenta a planta de processo onde ocorre o sistema de 
separação primária das fases óleo, gás e água. 
 Etapa 8 – O óleo tratado é transferido tanques em plataformas do tipo FPSO, 
sigla para "Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência" 
(em inglês Floating Production Storage and Offloading). Esse tipo de plataforma 
tem uma forma de navio e é utilizado para produção e armazenamento de óleo 
ou gás natural. São muito usados onde a produção é distante da costa, o que 
inviabiliza o transporte do produto por dutos. 
 Etapa 9 – Operação de Offloading. Que ocorre quando capacidade de carga do 
FPSO é atingida a carga é transferida para outro navio chamado aliviador por 
meio de mangote flutuante. 
 Etapa 10 – Etapa de escoamento do gás tratado por meio de um gasoduto de 
transferência. 
 Etapa 11 – O gás corre por uma malha submarina de dutos. 
 Etapa 12 – Os dutos submarinos são unidos por manifold, disposivos coletores 
compostos por um conjunto de válvulas montadas, formando um bloco. 
 Etapa 13 – Ao manifold é ligado um duto que eleva o gás até uma plataforma do 
tipo submerssivel SS. 
 Etapa 14 – Da plataforma o gás é movimentado por um gasoduto terrestre; 
 Etapa 15 – O gás chega à UPGN – Unidade de Processamento de Gás Natural 
 
A seguir estudaremos processos que darão mais detalhes dessas etapas 
 
 Mecanismos de produção de reservatório 
A produção de um poço de petróleo ocorre através dos mecanismos de drenagem dos 
fluidos contidos em rochas-revervatório. Para haver produção é necessário que haja 
certa quantidade de energia natural ou primária, resultado de milhões de anos de 
formação geológica da jazida. 
O deslocamento do fluxo do reservatório até os poços de produção enfrenta resistência 
dos canais porosos que são tortuosos e causa estrangulamentos, o que exige que os 
fluidos apresentem uma energia que é pressão natural suficiente para realizar essa 
drenagem. Essa descompressão causa uma expansão dos fluidos contidos no 
reservatório e a contração do volume poroso. 
É necessário que o espaço poroso resultante da descompressão seja ocupado por outro 
fluido para ocorrer a produção, como por exemplo água do aqüífero (região do 
reservatório contendo água de formação). 
Existem vários mecanismos de produção de reservatório, sendo que os principais são: 
 Mecanismo de gás em solução 
 Mecanismo de capa de gás 
 Mecanismo de influxo de água 
 Mecanismo de segregação gravitacional 
 
 
3.3 Sistema de produção do Campo de Mexilhão 
 
Comprovadamente, o polo de Mexilhão tem um grande potencial de produção. A 
Unidade de Produção é uma plataforma fixa, instalada numa lâmina d’água de 172 
metros distante pelo menos 22 km do Campo de Mexilhão, cerca de 142 km do litoral 
Norte do Estado de São Paulo, na cidade de Caraguatatuba. Nesse campo o sistema de 
coleta submarino é feito através da ligação de oitos poços a um Manifold submarino de 
produção (MSP) através de linhas flexíveis .Do manifold seguem duas linhas 
consideradas rígidas de produção, para realização de serviços e testes dos poços, em um 
duto flexível para injeção de MEG. 
 
 
Fluxo do processo 
 
 
Processamento + MEG + água 
 
 
 
 
 MEG 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Processamen
to de fluidos 
Processamento de gás 
natural condensado 
Transferência por 
submarino 
 UTGCA 
Sistema de regeneração de 
MEG 
Geração de 
energia 
Agua produzida 
Descarte no mar 
 
 
 Campo de Mexilhão 
 
 
 
 
Depois da absorção da água do gás, o TEG passará por regeneração através do processo 
recuperação e enviado novamente para a torre observadora, fechando assim, o ciclo de 
desidratação. O gás que passou pelo tratamento, será misturado ao condensado, 
procedente do sistema de desidratação do condensado, na sequencia é destinado para o 
gasoduto de transferência. 
 
 
3.3.1 Sistema de produção do Campo de Peroá-Cangoá 
 
O Brasil tem alguns campos de produção, principalmente na região sudeste, que se 
destacam, pelo grande potencial de gás natural. Um desses campos é o de Peroá-
Cangoá, que é localizado no litoral Norte do Estado do Espírito Santo, na Bacia 
Capixaba, cerca de 50 km da costa, em lâmina d’água 67 metros com um estimativa de 
reservas de 17 bilhões de m
3
/d
 
. 
 
 
3.3.2 Sistema de produção do Campo de Manati 
 
Poço produtor 
Descoberto no quase no final do ano de 2000, o Campo de Manati, localizado na Bacia 
de Camam, na costa do município de Cairu, no Estado da Bahia em profundidade de 35 
a 50 metros entre a lâmina d´água e o fundo do mar e mais 1.266 metros entre o 
fundo do mar e o reservatório. Segundo levantamentos realizados, na oportunidade, as 
reservas atingiam cerca de 24 bilhões m
3
/d
 
 de gás natural que correspondem, 
aproximadamente, a 40% da reserva de gás da Bahia e estão em sete poços produtores, 
com vazão estimada em torno de 6 bilhões m
3
/d
 . 
 
 CONDICONAMENTO DO GÁS NATURAL 
 Introdução 
O óleo e o gás natural nos poços se apresentam como uma mistura de óleo, gás, água e 
sedimentos. Para que esse produto possa ser transportado para as refinarias e centros 
consumidores é necessário que haja um tratamento primário para remover a água e 
demais sedimentos que possam dificultar tanto o transporte quanto a manutenção das 
linhas de transporte. 
A água encontrada na mistura apresenta um alto teor de sal e forma eumulsões com 
viscosidades superiores ao petróleo desidratado que deve ser removida para não 
comprometer o dimensionamento do sistema de bombeamenteo e transferência. 
Alguns autores consideram os termos condicionamento, processamento e manuseio 
como sinônimos, referindo-se a operações que apresentam etapas como: 
 
 
 Demonstração das etapas das operações: 
 
 
 
 
 
Separação 
 
Depuração 
 
Adoçamento 
 
 
 
 
 
 
 
. 
Podemos definir condicionamento do gás natural como um conjunto de operações 
físicas ou químicas