A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
APOSTILA GÁS NATURAL 1

Pré-visualização | Página 5 de 18

separação 
primária. 
 
No geral, o mecanismo de separação do gás e óleo e ação da gravidade, provocando a 
decantação do liquido. Para que essa operação seja feita com sucesso, o óleo deve fica 
retido um certo tempo no depurador, chamado de tempo de retenção, porém essa 
variável depende das características do óleo. Uma determinada especificação, 
normalmente adotada para depuradores, é tempo de retenção de um minuto. 
 
4.4 Mecanismos básicos de formação de névoas 
Uma névoa consiste em toda partícula liquida de menor diâmetro menor ou igual a 10 
μm, imersas em corrente gasosa. Em situações que as partículas liquidas são maiores 
que 10 μm, estas são chamadas de sprays. 
Através da figura ....é possível observar a distribuição típicas de partículas, por meio de 
faixas de diâmetro, expresso em micrometro ( μm ). A névoa constituída na seção de 
crescimento do vaso depurador precisa ser separada, e essa separação acompanha os 
mecanismos de formação de névoas como veremos a seguir : 
Borbulhamento 
Refere-se num tipo de mecanismo que é envolvido no processo de formação das névoas 
e sprays, que acontece em separadores de produção, evaporadores, geradores de vapor 
entre outros. Trata-se de determinadas partículas formadas através de borbulhamento, 
geralmente sendo maiores que 10 μm. 
Arraste mecânico 
Refere-se a um tipo de mecanismo envolvido na formação de névoas que normalmente, 
ocorrem em separadores de produção, tubulação, torres de absorção e também as 
colunas de destilação. Todas as partículas geradas através desse mecanismo por meio de 
ação mecânica são tiradas da corrente liquida pela corrente gasosa. Essas partículas 
geralmente, tem diâmetro que podem ter uma variação de 5 μm até 20 μm. 
Condensação 
 Nas situações que as partículas geradas por meio de condensação, como por exemplo, 
condensação de água e óleo em determinados resfriadores, estas têm diâmetro bem 
reduzidos, via de regra, inferiores que 3 μm. 
Reação química 
 As névoas procedentes de um tipo de reação química, como por exemplo, névoas de 
ácido sulfúrico gerado pela reação de vapor d’água e SO3 , da mesma maneira que as 
névoas advindas de condensação, geram partículas de diâmetro menor que 3 μm. 
 
 
 
 
0,01 0,1 1 10 100 1000 10.000 μm 
 
 Névoas Spray 
 
 Poeiras 
 
 Plumas ...Nuvens e neblinas 
 
 Cabelo humano Fumaça de cigarra 
 
 
Figura: Faixa de distribuição de partículas 
4.4 Mecanismo de captação de névoas 
A aprendizagem é um fenômeno que surge como resultado dos esforços de cada 
indivíduo. Em relação aos mecanismos de formação de névoas, além de compreender 
como acontece o processo, é necessário entender como os mecanismos são utilizados na 
captação da névoa que eventualmente é formada nos equipamentos de separação 
disponíveis. São basicamente três mecanismos de capitação de névoas como podemos 
demonstraremos abaixo: 
 Impacto inercial 
Depois o gás chega próximo das fibras (malha), do elemento filtrante, há um tendência 
dele desviar . No geral, as partículas liquidas são maiores que 3 μm a 5 μm., contudo, 
as mesmas não são capazes fazer os desvio das fibras com a corrente gasosa e acabam, 
em razão da sua inércia, por colidir com a fibras. 
 Interceptação direta 
 Nesse tipo de mecanismo as partículas que não tem inércia considerada suficiente para 
sem interceptadas pelos filamentos do leito são desviadas juntamente com a corrente 
gasosa. Vale destacar que uma parte delas tem um curso no centro de uma determina 
linha que passa perto do leito filtrante, dessa forma, possibilitando as partículas 
chegarem ao leito. Desse modo, a metade do diâmetro dessas partículas, é maior que a 
distância entre a fibra e o centro da linha, na qual segue a partícula. 
 Movimento browniano 
 Partículas pequenas, que geralmente não tem inércia para serem interceptadas pelo leito 
filtrante e cujo diâmetro também é pequeno mas consegue evitar o impacto inercial, 
têm um tipo de movimento considerado aleatório muito acentuado, em função do 
impacto dessas partículas junto com as moléculas do gás. Esse tipo de movimento, faz 
com que as partículas colidam com os filamentos do leito. 
 
 
4.4.1Principais problemas operacionais dos depuradores 
Atualmente, com os frequentes avanços tecnológicos, muitos problemas estão sendo 
atenuados, contudo deve se atentar para os eventuais problemas considerados 
operacionais dos depuradores. Os principais problemas que ocorrem nesses 
equipamentos são, os frequentes descontroles do nível do vaso e a pouca eficiência de 
retenção de névoa, que as principais são as seguintes: 
Tamanho da gotícula 
Neste caso especifico, é possível afirmar que quanto menor for a gotícula mas rápido ela 
acompanhará as vizinhanças da massa gasosa, quando escoada ao redor das curvas. Em 
uma determinada aplicação, inicialmente, todas as gotículas maiores são capturadas, e 
as menores serão chocadas. 
Densidade relativa 
Refere-se ao efeito de quantidade de movimento que é preciso para capturar vai 
depender das gotículas possuírem uma densidade substancialmente, maior que a do gás. 
Neste caso, quanto mais pesada for uma gotícula de um determinado tamanho, mais 
rápido ela vai se chocar com a palheta. Sendo assim, quanto mais denso o gás, com mais 
facilidade ele carreará as gotículas posteriores, sem serem capturadas. 
Velocidade do gás 
Em situações em que a velocidade do gás é baixa, as gotículas são arrastadas em volta 
das curvas sem serem capturadas. Para as operações de escoamento vertical, altas 
velocidades também contribuem para inibir o gotejamento do liquido dos eliminadores, 
resultando em crescimento liquido acumulado, gerando o fenômeno da inundação 
(flooding). 
Capacidade de liquido 
Neste caso, quanto mais rápido o liquido for capturado, mais liquido crescerá nos 
eliminadores no processo de drenagem, e assim, em menor velocidade do gás, que será 
tolerada sem arraste. 
Contorno dos anteparos e espaço 
Quanto mais fechadas forem as curvas no caminho do gás, acompanhadas por anteparos 
mais pertos um dos outros, o efeito captura inercial ira sobressair. Desse modo, o maior 
percentual de gotículas menores pode ser capturadas. 
Molhabilidade da superfície 
O desempenho será melhor caso a superfície esteja molhada pelo liquido arrastado. As 
partículas formam um tipo de filme que adere aos anteparos. Nos casos em que a 
superfície não esteja molhada, as gotículas capturadas ficam melhores para serem 
arrastadas. Desse modo, fica muito claro que a molhabilidade depende da composição 
de liquido, da superfície, da textura e rugosidade da superfície, podendo eventualmente, 
sofrer a influencia da temperatura. 
 
Principais ações corretivas 
Os avanços ocorridos, nas pesquisas tecnológicas, e nas inúmeras formas de minimizar 
os problemas operacionais dos depuradores tem tornado as ações corretivas mais 
eficazes. Diversos fatores determinam a importância das ações corretivas. De acordo 
com Vaz, Célio Eduardo Martins, 2011, as principais são as seguintes: 
 
 
 A injeção de antiespumante nos separadores 
Modificação dos internos dos separadores de produção 
Modificação da localização do eliminador de névoa no depurador 
Modificação dos internos dos depuradores, através de instalação de dispositivos na 
seção de entrada de gás 
Alteração no modelo ou na tecnologia de eliminador de névoa 
Modificação de diâmetro de tubulação