A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Questionário_Psicossomática_1B_2022

Pré-visualização | Página 1 de 1

PSICOSSOMÁTICA 
QUESTIONÁRIO – 1º BIMESTRE – 2022 
Nome: Lauana Keren Faria Cardoso
Turma: 7º Termo/ Noturno
1 Em linhas gerais, o que é “psicossomática”? 
R. A psicossomático é o estudo dos efeitos corporais que ocorrem através das questões psicológicos. Em suma, é uma ideologia sobre a saúde, o adoecer e sobre as práticas de Saúde, é um campo de pesquisas sobre estes fatos e, ao mesmo tempo, uma prática – a prática de uma medicina integral. Portanto, é o estudo das relações mente corpo com ênfase na explicação da patologia somática.
2 O que são “doenças psicossomáticas”? 
R. São quaisquer doenças que tenham como fator etiológico proeminente o fator psicológico que desencadeia ou eclode o agravamento da doença, dessa forma, ocorrem quando o biológico é mobilizado a partir do psicológico e são reações do corpo ao sofrimento psicológico. 
3 Que outras expressões psicossomáticas podem afetar o corpo, além das doenças? 
R. Predisposições aos acidentes corporais, falhas no sistema imunológico e adicções. 
4 Com base no que foi discutido nas aulas até agora, responda: o que, provavelmente, torna algumas pessoas mais suscetíveis às expressões psicossomáticas do que outras? 
R. A origem psicossomático geralmente ocorre na primeira infância e na primeira troca mãe-lactante, desse modo, algumas pessoas são mais suscetíveis às expressões psicossomáticas do que outras de acordo com o modo que vivenciaram essas origens psicossomáticas. Portanto, quando não é observado e interpretado os sinais de comunicação do bebê, ele cria um sentimento de frustração e de fúria impotente. Em vista disso, essa experiência pode impeli-lo a construir com os recursos de que dispõe maneiras radicais de se proteger de crises afetivas e do esgotamento que isso pode resultar.
5 O que provoca a eclosão dos sintomas somáticos? 
R. Quando há sobrecarga afetiva e o psiquismo não consegue lidar, a partir dos mecanismos mentais habituais, com o excesso de dor.
6 Para Georg Groddeck, o que é a enfermidade? 
R. A enfermidade é uma forma de o “Isso” expressar alguma coisa
7 Para Sándor Ferenczi, o que é a neurose de órgão? 
R. É uma perturbação da atividade útil de um órgão a partir de um super investimento libidinal, estão relacionadas às experiências afetivas dos sujeitos e a doença pode, pela introversão da libido, produzir ou intensificar uma zona erógena.
8 Para Franz Alexander, como as doenças podem ser explicadas? 
R. Para Franz Alexander, toda tensão emocional crônica tem respostas fisiológicas exacerbada. Quando os estados emocionais são reprimidos, acontece a cronificação das alterações fisiológicas que normalmente acompanham as emoções. Dessa forma, algumas situações reativam conflitos internos da história do indivíduo, consequentemente, há a emergência da doença. 
9 O que explica os sintomas histéricos observados no “caso Anna O.”?
R. A reação à experiência traumática para a Anna O é reprimida, visto que, essas lembranças correspondem a turmas que não foram suficientemente ab-reagidos. 
10 Sobre o caso “Elisabeth von R.”, explique o motivo e o mecanismo para a divisão de consciência observada no caso. 
R. O motivo foi o de defesa: recusa do eu a chegar em um acordo com tal grupo representativo e o mecanismo é o de conversão: em lugar das dores mentais surgiram as dores corporais
11 O que determina o local do corpo onde se expressam as dores histéricas? 
R. A vulnerabilidade física da região e a relação simbólica. 
12 Diferencie “sintoma histérico” e “sintoma somático”. 
R. O sintoma histérico tem origem na solução edípica, há presença da linguagem, se manifesta em um sentido associado a um desejo recalcado e há presença de conflitos simbólicos. Já os sintomas somáticos, tem origem pré-edípica, é pré-verbal, advém do enfraquecimento dos processos implicados na formação do sentido e remete a uma falha no próprio processo de simbolização.
13 O que é “pensamento operatório”? 
R. Forma de funcionamento psíquico caracterizada por “pensamentos sem laços aparentes com a vida fantasiosa, de tom racional e factual, pobres de digressões pessoais, de referências afetivas e de imagens verbais.” (CAPITÃO; CARVALHO, 2006, p. 25). Dessa forma, o pensamento operatório é desprovido de simbolizações, de atividades oníricas, de duplos sentidos, de metáforas, de atos falhos e de fantasia, excessivamente orientado para a realidade externa e estreitamente vinculado à materialidade dos fatos.
14 Para Joyce McDougall, o que explica a vulnerabilidade de algumas pessoas às expressões psicossomáticas?
R. Para McDougall “Todos temos tendência a somatizar toda vez que as circunstâncias internas ou externas ultrapassam os nossos modos psicológicos de resistência habituais.” No entanto, algumas têm a somatização como forma primordial de reação ao sofrimento psicológico