A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Neoplasia de Penis - Resumo

Pré-visualização | Página 1 de 1

João Pedro // Cirurgia 
Cirurgia Especializada 
Neoplasia de Pênis 
 
Epidemiologia: 
® Neoplasia mais prevalente na 6º década de vida (pouco 
encontrado em jovens e raro na infância) 
 
Fatores de Risco: 
® Indivíduos incircuncidados 
® Portadores de fimose 
® Más condições de higiene e nutrição 
® Infecção pelo HPV, subtipos 16 e 18 
 
Histopatologia: 
® Cerca de 95% dos casos de neoplasia de pênis é do tipo 
carcinoma epidermoide (CEP) => constituído por célu-
las escamosas e forma tumorações exofíticas ou ulceradas 
que infiltram em diferentes profundidades os tecidos vizi-
nhos 
® Outras neoplasias: melanoma, sarcomas... 
 
História Natural (CEP): 
® Lesão exofítica, superficial ou ulcerada, que pode se tornar invasiva 
® Localização: mais comumente na glande (50% dos casos) e no prepúcio, mas também pode 
acometer haste peniana e escroto 
® A invasão uretral não é comum, sendo encontrada apenas nos casos avançados 
® Disseminação: predominantemente por via linfática para os linfonodos inguinais, pélvicos e pe-
riaórticos 
® É uma doença de progressão lenta 
® Dor e sintomas sistêmicos são incomuns 
 
Estadiamento: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tratamento: 
® Cirurgia: 
§ T1 na glande ou T2 de localização favorável = amputação parcial do pênis 
§ T3 = amputação parcial ou total 
§ T4 = amputação total com ressecção de todas as estruturas envolvidas 
® Radioterapia: 
§ Pode ser radioterapia externa ou braquiterapia 
§ Existe um certo índice de radiorresistência e recorrência tumoral por volta de 20% 
§ Resultados melhores são obtidos em pct com lesões superficiais 
® Laser: 
§ É reservado para lesões benignas, pré-malignas e malignas de estadio Tis, Ta, T1 e, mais 
raramente T2 
§ Não há indicação para seu uso em lesões grandes 
® Linfadenectomia (Indicações): 
§ Tumores de alto grau (II ou III) 
§ Estadiamento local avançado (≥ T2) 
João Pedro // Cirurgia 
§ Invasão microscópica linfovascular 
§ Linfonodos inguinais palpáveis após tratamento local e atb 
§ Linfonodos inguinais palpáveis que surgiram no acompanhamento sem evidencia de doença 
a distância 
§ Ressecção de lesão ulcerada para paliação de sintomas 
® Doença Avançada: 
§ Locorregional avançada: medicações citotóxicas, como bleomicina, cisplatina, 5-fluorura-
cila, Metotrexato, mitomicina C 
§ Recidiva: aqueles com bom estado geral podem se beneficiar de QT paliativa

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.