A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
FORMS FISIOPATO - PATOLOGIAS TRATO GASTRO INTESTINAL - TGI (1)

Pré-visualização | Página 1 de 2

23/08/2021 Patologias do trato gastrointestinal 01
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse 1/7
Questões objetivas
100 pontos
Esofagite aguda pela doença de refluxo gastro esofágico, regeneração celular,
displasia com atipias; adenocarcinoma esofágico.
Esofagite crônica específica pela doença de refluxo gastro esofágico; formação de
folículos linfóides; displasia; adenocarcinoma esofágico.
Esofagite crônica inespecífica devido a doença do refluxo gastro esofágico;
adaptação celular com metaplasia intestinal; adenocarcinoma esofágico.
Esofagite aguda pela doença de refluxo gastro esofágico;regeneração e adaptação
celular com metaplasia intestinal; adenocarcinoma esofágico.
Patologias do trato gastrointestinal 01
Seu e-mail será registrado quando você enviar este formulário.
Não é luizammcanale@uni9.edu.br? Trocar de conta
*Obrigatório
Paciente masculino, 42 anos procura atendimento relatando disfagia,
odinofagia e episódios ocasionais de hematêmese. Perda de peso há
alguns meses que se tornou acentuada há algumas semanas. Paciente
obeso (IMC= 37,5). Tem histórico de doença de refluxo gastro esofágico
tratada com inibidores de bomba de prótons e melhora parcial. Foi
solicitado avaliação endoscópica que identificou massa sólida de
aproximadamente 6 cm em porção esôfago distal. Análise
histopatológica revelou adenocarcinoma esofágico, pT2N0MO.
Considere o caso clínico em questões e assinale a alternativa correta
quanto aos mecanismos fisiopatológicos do processo: *
https://accounts.google.com/AccountChooser?continue=https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse&service=wise
23/08/2021 Patologias do trato gastrointestinal 01
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse 2/7
100 pontos
A figura mostra uma área de epitélio glandular com células caliciformes (esquerda) e
epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado (direita), típicos do Esôfago de
Barret.
O epitélio glandular com células caliciformes são típicos do esôfago e por isso a
imagem não evidencia nenhuma alteração histológica.
Os sinais de doença de refluxo gastro esofágico descritos no caso, não tem
correlação com as alterações vistas nas imagem.
Considerando a evolução desse quadro para uma neoplasia, teríamos o carcinoma
epidermóide.
Sr. JR, 63 anos, masculino, procura atendimento descrevendo: disfagia,
odinofagia, pirose principalmente quando em decúbito dorsal. Relata
que apresenta essas alterações há muitos anos e fazia uso esporádico
de inibidores de bomba de prótons, porém nunca deu atenção. Devido
a perda de peso nos últimos meses resolveu procurar atendimento
médico. Foi solicitado ao paciente endoscopia digestiva alta (EDA) com
biópsia que revelou os achados conforme a imagem abaixo. Sobre essa
situação analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta: *
23/08/2021 Patologias do trato gastrointestinal 01
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse 3/7
100 pontos
1) Acalásia. 2) Relaxamento de esfincter esofágico inferior.
1) Exposição ao álcool e tabaco. 2) Doença de refluxo gastro esofágico.
1) Relaxamento de esfincter esofágico inferior. 2) Acalásia.
1) Doença de refluxo gastro esofágico. 2) Exposição ao álcool e tabaco.
100 pontos
Diferencial para doença de refluxo gastro-esofágico que tem caráter agudo, como no
caso descrito.
Diagnóstico diferencial para esofagite induzida por vírus da Herpes simples cujas
lesões são superficiais e não ulceradas.
Condição prévia de imunossupressão, já que a Candida albicans é um micro-
organismo saprófita de cavidade oral.
Possibilidade de esofagites químicas induzidas por agentes tóxicos, tais como
ácidos e bases fortes.
Considere as seguintes situações: 1) Paciente 50 anos, com diagnóstico
de carcinoma epidermóide apresentando perfurações em esôfago
médio e sintomas respiratórios. 2) Paciente 47 anos, com diagnóstico
de adenocarcinoma esofágico grau I. Assinale a alternativa correta que
indica, respectivamente, para as situações 1 e 2 os fatores de risco mais
frequentemente relacionados ao processo de carcinogênese: *
JSM, 32 anos, feminino. Procura atendimento com queixa de
“queimação e dor no peito”. Relata que os sintomas apareceram há 5
dias precedidos por lesões esbranquiçadas/ acinzentadas na cavidade
oral. No exame físico a paciente apresentava-se emagrecida. Outros
sistemas sem alteração. Foi solicitada endoscopia digestiva alta (EDA)
onde evidenciou-se lesões esbranquiçadas superficiais de aparência
pseudomembranosa difusas pela mucosa esofágica indicativas de
Candidíase esofágica. Nessa condição devemos considerar: *
23/08/2021 Patologias do trato gastrointestinal 01
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse 4/7
100 pontos
Adenoma
Megaesôfago
Atrofia
Papiloma
Homem 40 anos natural de Lassance – MG há dois anos iniciou quadro
de dor torácica, tosse e disfagia inicialmente após ingestão de
alimentos sólidos e nos últimos meses também de líquidos. Relata
moderada perda de peso (4 kg) desde o início dos sintomas e dois
episódios de pneumonia no último ano. Foi diagnosticada
recentemente de Doença de Chagas. Foi realizado raio x como segue a
figura. Qual a consequência dessa doença no esôfago: *
23/08/2021 Patologias do trato gastrointestinal 01
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse 5/7
100 pontos
I e II
I e III
II e III
I, II e III
100 pontos
Hipertrofia
Atrofia
Metaplasia
Hiperplasia
Paciente de 34 anos, sexo masculino, encaminhado para serviço de
gastroenterologia devido a episódios de disfagia para sólidos há 4
meses, associados a emagrecimento discreto Portador de déficit
neurológico desde o nascimento sem outros antecedentes de
relevância. Endoscopia digestiva alta (EDA) inicial evidenciava pólipo de
1,5cm em esôfago distal com achado histológico sugestivo de papiloma
escamoso. Analise as afirmativas a seguir e assinale a alternativa
correta- I- O déficit neurológico que o paciente apresenta pode levar a
doença de refluxo gastro esofágico; II- A doença de refluxo
gastroesofágico é um fator de risco para o papiloma escamoso; III- O
papiloma em questão é uma neoplasia benigna caracterizada por
hiperplasia de epitélio escamoso. *
Um homem de 40 anos foi ao ambulatório de clinicas queixando de
retroesternal após as refeições nos últimos 2 anos. A endoscopia
digestiva alta é realizada e biópsias são feitas de uma área eritematosa
da mucosa esofágica inferior 3 cm acima da junção gastroesofágica. As
biópsias e endoscopia mostram a presença de epitélio colunar com
células caliciformes. Qual o mecanismo patológico em questão? *
23/08/2021 Patologias do trato gastrointestinal 01
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdxB0aPJt5xd_LEcRB7f_FvGfF56-FLHZUpkSYUpQLd8g1_tg/formResponse 6/7
100 pontos
Carcinoma epidermóide (carcinoma escamo celular), presença de pérolas córneas.
Carcinoma epidermóide (carcinoma escamo celular), presença de epitélio glandular.
Adenocarcinoma esofágico, presença de displasia em células caliciformes típicas de
epitélio esofágico. ;
Adenocarcinoma esofágico, presença de epitélio estratificado pavimentoso não
queratinizado.
100 pontos
Efeito químico do refluxo ácido a partir de gastrite pela H. pylori.
Paciente, 63 anos, masculino, residente em Porto Alegre- RS. Tabagista
crônico (2 maços/ dia), etilista consumo diário de aproximadamente 4
latas de cerveja). A história da moléstia atual (HMA) revela disfagia há
alguns meses que iniciou com sólidos e agora com dificuldade de
deglutir líquidos, fezes enegrecidas e com odor fétido. No exame físico,
o paciente está emagrecido (IMC= 17,5 m2/Kg), mucosas pálidas
(++/4+), desidratado (+/4+). O médico suspeita de processo neoplásico,
que foi confirmado após a endoscopia

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.