A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Tronco, Diencefalo e Cerebelo - RESUMO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
1
Tronc�, Diencéfal� � Cerebel�
polígono de hiles
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
2
função de integração - toda parte que envolve o telencéfalo
zona de intercomunicação formando núcleos -> núcleos de
rafe - produtores de serotonina
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
3
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
4
funções mais endócrina
abaixo e posteriormente ao tálamo ->
epitalamo onde fica a glândula pineal
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
5
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
6
Cerebel�
Cerebelo vem do latim “cerebellum” e quer dizer “pequeno cérebro”. É localizado na
fossa posterior do crânio, inferior ao cérebro e posterior à ponte e bulbo. O cerebelo,
juntamente ao cérebro e ao tronco encefálico, forma o encéfalo, um dos componentes do
sistema nervoso central.
Ele é dividido anatomicamente em dois hemisférios laterais denominados de hemisférios
cerebelares e uma região mediana, denominada vérmis. Essa estrutura apresenta ainda
uma região superficial, chamada de córtex cerebelar, uma parte intermediária,
denominada de substância branca, e uma porção mais interna, onde são encontrados os
núcleos do cerebelo ou núcleos centrais.
O cerebelo é separado do cérebro por um folheto da dura máter, o tentório do cerebelo, que
faz uma divisão em região supratentorial e infratentorial. Outro folheto da dura máter é a foice
do cerebelo, que divide parcialmente os hemisférios cerebelares.
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
7
Funções Primárias:
coordenação dos movimentos; manutenção da postura e equilíbrio; dar forma aos
movimentos, cronologicamente; aprendizagem motora; permitir movimentos
sequenciais; controle dos movimentos oculares e funções não motoras (análise
matemática, puzzle, associações entre objetos e palavras)
Anatomicamente, o cerebelo é dividido em três lobos: lobo anterior, posterior e floculonodular.
Existem duas fissuras que realizam essa divisão, a fissura primária, que divide o lobo
anterior e posterior, e a fissura póstero-lateral que separa o lobo floculonodular do lobo
posterior.
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
8
A vascularização do
cerebelo se dá por três
artérias: a artéria cerebelar
superior, que é ramo da
artéria basilar; a artéria
cerebelar póstero inferior,
ramo da artéria vertebral;
e a artéria cerebelar
ântero inferior, que
também é ramo da artéria
vertebral.
O cerebelo, assim como o cérebro,
possui externamente a
substância cinzenta, que forma
o córtex do cerebelo, e
internamente a substância branca.
Nessa substância branca,
existem núcleos cerebelares.
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
9
Anatomia microscópica do cerebelo (Histologia)
Microscopicamente, o córtex cerebelar pode ser dividido em algumas camadas formadas
por diferentes tipos celulares. São três camadas: camada externa (nuclear ou molecular -
formada por 2 neurônios (estreladas e cesto)), camada de células de Purkinje, e a
camada interna (ou granular - células de Golgi).
Camada Cerebelar
Núcleos Cerebelares
Núcleo Fastigial - controle motor de músculos para equilíbrio dinâmico - mais central
Núcleo Denteado - controle motor de membros
Núcleos Globoso e Emboliforme - controle de equilíbrio estático - mais lateralizado
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
10
Zonas Longitudinais
influência na complexidade funcional
zona medial - vermis cerebelar
zona intermédia - paravermis cerebelar
zona lateral - predomínio cortical
por conta da avaliação da gravidade, pensando que se for mais medial (Vermis), mais grave
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
11
As fibras aferentes chegam ao cerebelo pelo Fascículo Vestibulocerebelar, têm
origem nos núcleos vestibulares e se distribuem ao lobo floculonodular. Trazem
informações da parte vestibular do ouvido interno sobre a posição da cabeça
(manutenção do equilíbrio e da postura básica). - Com relação as conexões
eferentes, as células de Purkinje do vestibulocerebelo projetam-se para os
neurônios dos núcleos vestibulares medial e lateral. Pelos núcleos vestibulares
laterais, os neurônios modulam os tratos vestibuloespinhais lateral e medial,
responsáveis pela musculatura axial e extensora dos membros (manutenção do
equilíbrio na postura e na marcha – fazendo parte do sistema motor medial da
medula). Pelos núcleos vestibulares mediais, as projeções inibitórias das células de
Purkinje controlam os movimentos oculares (movimentos da cabeça e dos olhos
através do fascículo longitudinal medial).
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
12
- Trato Espinocerebelar Posterior => Pedúnculo Cerebelar Inferior => Córtex da Zona
Intermédia. - As fibras do trato espinocerebelar anterior são ativadas pelos sinais
motores que chegam pelo trato corticoespinhal => Avalia o grau de atividade no
trato corticoespinhal. - Pelo trato espinocerebelar posterior, o cerebelo recebe
sinais sensoriais originados em receptores proprioceptivos (e outros receptores
somáticos) => Avalia o grau de contração dos músculos, a tensão nas cápsulas
articulares e nos tendões, posição e velocidade do movimento das partes do corpo.
III) Cerebrocerebelo: - Núcleos pontinhos => Pedúnculo Cerebelar Superior =>
Córtex da zona lateral dos hemisférios cerebelares. - Via Cortico-ponto-cerebelar
Carolina Pithon Rocha | Medicina | 4o semestre
13
através da qual chegam informações das áreas motoras e não motoras do córtex
cerebral. - Conexões Eferentes: os axônios das células de Purkinje da zona
lateral fazem sinapses no núcleo denteado, de onde seguem os impulsos seguem
para o tálamo do lado oposto e, depois, para as áreas motoras do córtex
cerebral (Via Dento -tálamo-cortical). - Via Dento-tálamo-cortical é onde se o rigina
o trato corticoespinhal. O núcleo denteado participa da atividade motora
(musculatura distal – movimentos delicados).

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.