A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
bioestatística2

Pré-visualização | Página 1 de 1

Planilha1
PACIENTE
N° DE 
DOSES
N° MÉDIO DE 
CONVULSÕES PACIENTE
N° DE 
DOSES
N° MÉDIO DE 
CONVULSÕES PACIENTE
N° DE 
DOSES
N° MÉDIO DE 
CONVULSÕES 
A 5 8 A 2 8 A 4 4
B 1 0 B 1 0 B 8 2
C 0 10 C 5 1 C 2 0
D 6 8 D 6 9 D 5 11
E 2 7 E 1 10 E 3 8
F 4 2 F 4 13 F 3 1
G 3 7 G 8 12 G 4 1
H 4 4 H 7 9 H 8 6
I 3 5 I 7 5 I 0 13
J 6 8 J 1 11 J 6 13
K 1 1 K 6 6 K 3 4
L 0 1 L 3 11 L 2 1
M 1 9 M 1 11 M 1 11
N 8 5 N 3 3 N 8 8
O 4 5 O 3 11 O 1 4
P 6 8 P 8 4
Q 1 12 Q 4 13
R 6 0 R 4 3
S 2 3 S 3 4
T 3 9
U 4 9
ENFERMARIA A – ZENIR ENFERMARIA B – CONGO ENFERMARIA C – PAURAH 
Observe-se que toda evolução, argumentos e todos os cálculos devem ser demonstrados na prova, que deve ser entregue em formato PDF
Em um hospital escola estão desenvolvendo diversos medicamentos para combater a epilepsia focal. 
Atualmente a instituição estuda 3 componentes que já demonstraram ser efetivos para o controle de crises 
epiléticas. Porém, existe uma especulação que diz respeito a posologia e dinâmica farmacológica desses 
produtos. Pesquisadores querem saber, entre outras questões, qual é a melhor forma de administração desses 
novos medicamentos para sua melhor atuação.
Um questionamento específico diz respeito ao fracionamento da administração do medicamento. Os 
pesquisadores estão divididos: um grupo defende que o máximo de fracionamento das doses diárias garante 
um melhor metabolismo e maior eficácia clínica no controle das convulsões; um segundo grupo de 
pesquisadores defende que seria o contrário, doses mais concentradas em reduzidas administrações seria a 
chave para a menor incidência de convulsões; um terceiro grupo defende que não faz a menor diferença o 
fracionamento da dosagem, isso não afeta a incidência de convulsões.
Cada um dos medicamentos está sendo testado em grupos distintos de pacientes, todos com o mesmo 
diagnóstico de epilepsia focal, em 3 grupos, cada grupo de pacientes usando um dos medicamentos testados. 
Os pesquisadores fazem um levantamento de 2 dados desses pacientes:
- O número de vezes que o medicamento é prescrito diariamente, ou seja, o fracionamento da dose individual 
de cada paciente (cuja dose se manteve constante por um mês).
- O número médio de convulsões diárias apresentadas durante um mês de uso do medicamento.
Cada grupo de pacientes está em uma enfermaria cujo nome remete ao medicamento testado: enfermaria 
Zenir; enfermaria Congo e enfermaria Paurah.
Considerando os dados abaixo, e usando o coeficiente de pearson, é possível dizer para cada um dos 
medicamentos testados se existe, e qual é o nível e o tipo de correlação entre a dosagem e a incidência de 
convulsões? Qual é o medicamento que corresponde as expectativas de cada grupo de pesquisadores?
Página 1

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.