A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Semiologia Neuromuscular

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 @ju.raminelli – ATM 2026.2 
SEMIOLOGIA 
1. Estado mental, fala e linguagem 
2. Pares cranianos 
3. Sistema motor (tônus, força muscular e coordenação) 
4. Sensibilidade 
5. Reflexos 
6. Marcha 
7. Equilíbrio 
I. Olfatório 
• Oferecer cheiros familiares e não irritativos às cegas, 
porque cheiros irritativos como álcool podem ser 
identificadas pelo trigêmeo 
• Fazer em uma narina por vez 
• Meningioma: investigar anosmia bilateral 
• Sintoma pré-motor de Parkinson 
II. Óptico 
• Pupilas 
o Reflexo fotomotor direto e indireto: exposição à 
luz com uma mão entre os olhos; sempre fazer 
nos dois olhos 
o Isocóricas = simétricas 
o Anisocóricas = assimétricas 
o Reflexo de acomodação: contração quando se 
olha para perto e dilatação quando se olha para 
longe 
• Acuidade visual 
o Tabela de Snellen à 4 m 
o Cartão de Rosenbaum à 1 m 
• Fundoscopia com oftalmoscópio: ver a papila (cabeça) 
do nervo óptico, vasos e mácula ficam pro oftalmologista 
avaliar 
o Fazer no escuro 
o Ao avaliar o olho direito do paciente, seguramos 
o oftalmoscópio com a nossa mão direita e 
usando o nosso olho direito, depois troca 
o Aumento da pressão intracraniana → bordas no 
nervo e vasos irregulares 
III. Oculomotor 
• Reto medial, reto superior e oblíquo inferior 
• Reflexo fotomotor direto e indireto → resposta ao 
estímulo para contração 
o Ex.: esclerose múltipla 
• O estímulo sai pelo segundo e a resposta sai pelo terceiro 
par craniano 
• Acomodação do cristalino (músculo ciliar) 
• Campimetria: visão periférica, olhar nos olhos 
o Tapar um olho enquanto avalia o outro, depois 
troca, tapar o próprio olho reflexo 
o Fazer margens de um campo visual imaginário 
e perguntar se a mão está parada ou se 
mexendo 
o Avaliar também com os dois olhos abertos e 
perguntar qual das mão está se mexendo e qual 
está parada e depois testar também com ambas 
as mãos paradas ou sem mexendo, olhando 
sempre nos olhos 
o Hemianopsias é a perda de metade do campo 
visual 
o Homônima ou heterônima conforme divergem 
para o mesmo ou diferentes lados do campo 
visual 
o Visão em corredor = hemianopsia heterônima = 
compressão do quiasma óptico 
▪ Hemianopsia bitemporal → tumor 
hiposfisário 
o Hemianopsias homônimas → lesão do córtex → 
perda da metade do campo visual 
o Quadrantopsias = perda de um quadrante do 
campo visual → lesão temporal ou parietal 
• Ptose: paralisia do III → VII faz o fechamento da pálpebra 
e o III a abertura, sem antagonista, o VII predomina 
IV. + VI: Troclear + Abducente 
• Bandeira inglesa 
• A cabeça deve estar parada, só os olhos acompanham 
• VI: reto lateral 
• IV: oblíquo superior 
 
V. Trigêmeo 
• Ramos sensitivos: oftálmico, maxilar e mandibular 
o Testar com algodão individualmente cada 
divisão em ambos os lados 
• Reflexo corneopalpebral: piscar (VII) ao sentir o algodão 
na córnea (V) 
o Não faz parte do exame de rotina 
VI. Facial 
• Masseter e temporal 
• Pedir para abrir e fechar a boca pressionando os dentes, 
enquanto palpamos os músculos 
• Paladar 2/3 anteriores da língua, mas normalmente não 
se avalia porque é muito demorado e minucioso 
• Musculatura da mímica: franzir testa, assoprar e segurar 
ar dentro da boca, sorrir, apertar olhos 
 
 
2 @ju.raminelli – ATM 2026.2 
SEMIOLOGIA 
VII. Vestibulococlear 
• Simetria de audição 
• Roçar de dedos ou bater no diapasão 
• Rinne positivo = normal 
o Condução aérea > condução óssea 
o Perda neurossensorial: ouve-se por 
o mais tempo no ar 
o Perda por condução: ouve-se mais quando o 
diapasão está encostado no osso 
• Weber indiferente = normal 
o Perda por condução: ouve mais pelo ouvido 
afetado 
o Perda neurossensorial: ouve mais pelo lado não 
afetado 
VIII. + IX: Glossofaríngeo + Vago 
• Sensibilidade da orofaringe, 1/3 posterior língua 
• Reflexo do vômito: informação captada pelo 
glossofaíngeo e ação realizada pelo vago 
IX. Acessório 
• Elevação dos ombros e lateralização da cabeça 
• Trapézios e esternocleidomastoideos 
X. Hipoglosso 
• Movimentação da língua 
• Desvio para o lado da lesão quando para fora e para o 
lado saudável quando dentro da boca 
1. Tônus muscular 
• Simetria dos músculos entre os membros 
• Distrofia de Duchenne: fraqueza muscular progressiva 
• Inspeção e palpação dos grupos musculares em busca 
de massas ou anormalidades 
• Resistência à movimentação passiva do membro e 
articulações, sempre comparando entre eles 
• Paralisia cerebral é um diagnóstico motor 
• Lesão da via extrapiramidal → não eletiva → 
plástica/rigidez cérea → sinal da roda denteada 
• Lesão da via piramidal → eletiva → elástica → sinal do 
canivete 
• N. motor inferior também é responsável pelo arco reflexo 
• Atrofia: patologia neurônio motor inferior, radiculopatia ou 
neuropatia periférica 
• Espasticidade: aumento do tônus dependente da 
velocidade, que piora nos extremos da amplitude do 
movimento. A resistência aumenta com movimentos 
mais rápidos. → trato corticoespinal 
• Rigidez não dependente de velocidade → núcleos da 
base → Parkinson 
• Desvio do pronador: estender os dois braços com as 
palmas para cima por 10s com os olhos fechados, Se um 
dos braços decair gradualmente, para baixo e para 
dentro → lesão no trato corticoespinal, hemisfério 
contralateral. Se o braço sobe e desce → lesão cerebelar 
 
2. Força muscular 
• Oferecer resistência contra a ação dos grupos 
musculares (bíceps, tríceps etc.) de forma individualizada 
• Diminuição da resistência sugere uma doença do SNP 
ou cerebelo 
• Mingazzini MS e MMII: negativo = normal 
o Manter os braços e mãos estendidos por 10s à 
frente do corpo 
o Manter por 10s, em DD, as coxas fletidas à 90° 
e as pernas retas também 
o Manter por 10s, em DV, as pernas fletidas à 90° 
• Graduação da força: de 0 a 5 
• Paresia: diminuição de força 
o Mono: um membro só 
o Hemi: um lado inteiro do corpo 
• Plagia: 0 movimento 
o Para: totalidade ou parte do tronco, das pernas 
e dos órgãos pélvicos 
o Tetra: quatro membros 
o Di: diplegia facial, de Little, paralisia cerebral 
etc. 
 
3. Coordenação 
• Funcionalidade do cerebelo 
• Sistema motor, para força muscular 
• Sistema vestibular, para equilíbrio e para coordenação 
dos movimentos oculares, cefálicos e corporais 
• Sistema sensorial, para a propriocepção 
• Perda de função = ataxia 
• Ponta do nariz com o dedo (olhos abertos e fechados) 
o Mudando dedo de posição 
• Metria: 
o Index – nariz – index 
o Diadococinesia: bater palma e dorso da mão 
sob a coxa alternadamente → 
disdiadococinesia 
o Joelho – tornozelo com o calcanhar 
• Prova do Rechaço: segurar braço do paciente, pedir para 
ele fazer força e soltar subitamente 
o Se ele continuar com o movimento sem frear até 
o rosto → lesão cerebelar 
4. Reflexos 
• Martelinho: batida brusca e rápida 
• Superficiais: cutaneoabdominal e cutaneoplantar 
• Profundos: Bíceps, tríceps, estiloradial, patelar, aquileu 
o Pôr o dedão sobre o tendão do bíceps 
• Nível 2: Médio/normal 
5. Equilíbrio 
• Manobra de Romberg: paciente em pé, com os pés 
juntos 
o Cair para o mesmo lado sempre → lesão 
vestibular 
o Cair para lados diferentes → lesão cerebelar 
 
 
3 @ju.raminelli – ATM 2026.2 
SEMIOLOGIA 
6. Sensibilidade 
Suspeita de AVC 
• Testar sensibilidade-tátil grosseira de ambos os lados e 
distal e proximal 
• Sensibilidade dolorosa: lesão medular, lesão de nervos 
periféricos → diabetes diminuição da sensibilidade pelas 
diabetes. 
o Fibras grossas são afetadas por sífilis e 
vitamina B12 (majoritariamente) 
o Teste: material pontiagudo cutucar dos dois 
lados; distal e proximal 
• Sensibilidade térmica: tubos de ensaio com conteúdo de 
diferentes temperaturas 
o Mesma área de superfícies com 
temperaturas diferentes 
• Sensibilidade proprioceptiva: noção de onde se está 
o Movimentar pé para cima e para baixo, 
pergunta em qual parou 
o Usa-se sensação vibratória

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.