A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Imunização

Pré-visualização | Página 1 de 1

Imunização
Introdução
● A imunização é definida como a aquisição
de proteção imunológica
● Prática que tem como objetivo aumentar a
resistência de um indivíduo contra
infecções ou acidentes com animais
peçonhentos
● É administrada por meio de vacina,
imunoglobulina ou por soro de anticorpos
Vacinas
● Consistem em um método de imunização
ativa e artificial, o qual estimula a resposta
imune adaptativa que é induzida pela
exposição a um antígeno externo
PRODUÇÃO DE ANTICORPOS e CÉLULAS
DE MEMÓRIA
● Objetivo: imunização prévia do indivíduo, de
modo que ele passe a responder rápida e
eficientemente quando em contato com o
agente infeccioso, evitando assim a
ocorrência ou desenvolvimento da doença
Composição das vacinas
Podem conter:
● Antígeno
● Água estéril
● Soro fisiológico
● Conservantes
● Estabilizantes
● Adjuvantes (potencializadores da
resposta imune)
● Proteína do ovo
● Traço de antibióticos
• Thimerosal (contém mercúrio)
Tipos de vacinas
1. Vacinas de antígenos atenuados
2. Vacinas de antígenos inativados
3. Vacinas de subunidades
4. Vacinas conjugadas
5. Vacinas recombinantes
6. Vacinas de vetores virais
7. Vacinas de RNAm
Luana Brajão Campana - Medicina TXXXI
1. Vacinas de antígenos atenuados
● Vivos/Atenuados: o Ag da vacina está
atenuado, ou seja, foi enfraquecido para
que não seja capaz de causar a infecção.
Esse tipo de vacinação é o mais parecido
com a exposição natural que acontece
durante nossa vida
● Desvantagens: Risco de reversão à
patogenicidade
● Contra indicação: Imunodeficiência
● Resposta imune celular (TCD4+/ TCD8+)
de memória devido à replicação do vírus
vacinal e humoral (IgG e células B de
memória)
● Exemplos: febre amarela, sarampo,
caxumba, rubéola – tríplice viral, Sabin
(poliomielite), BCG
2. Vacinas de antígenos inativados
● Inativadas: Ag inativados correspondem a
Ag mortos, que perderam a capacidade
de parasitar uma célula hospedeira .
Devido a isso requer mais uma dose de
vacina para estabelecer a imunidade
● Vantagens: Sem risco de transmissão
● Desvantagens: O patógeno deve ser
cultivado in vitro, Uso de adjuvantes
● Resposta imune humoral (IgG e células B
de memória), LTCD4+ memória
● Não promove a ativação de LTCD8+
memória
● Exemplos: Sars-Cov-2 - CoronaVac,
influenza, raiva, (SALK) Poliomielite e S.
pneumoniae
3. Subunidades
● Subunidades - Toxóides ou toxinas
inativadas: são vacinas dirigidas contra as
toxinas produzidas por um patógeno. Os
toxóides do tétano e da difteria têm
participado, por longo tempo, da
série-padrão de inoculação infantil
● Vantagens: Ação direta na inativação do
agente causador da doença - toxina
● Desvantagens: É necessária uma série de
injeções para se obter imunidade
completa, seguida de reforço a cada 10
anos
● Resposta imune humoral (IgG e células B
de memória), LTCD4+ memória
● Não promove a ativação de LTCD8+
memória
Exemplos: tétano e difteria
4. Conjugadas
São aquelas em que um produto
imunologicamente menos potente, p.ex.,
um polissacarídeo, é conjugado a um
outro produto imunologicamente mais
potente, p.ex., uma proteína. O primeiro
produto adquire características de maior
potência imunológica
Resposta imune humoral (IgM, IgG e
células B de memória), LTCD4+ memória
Não promove a ativação de LTCD8+
memória
Exemplos: vacina pneumocócica
10-valente, vacina meningocócica c,
vacina meningocócica b
5. Recombinantes
● Recombinantes: vacinas de
subunidades produzidas por técnicas de
engenharia genética, onde outros
microrganismos são programados para
produzir a fração antigênica desejada
● Vantagens: produção em larga escala,
Sem risco de patogenicidade
● Desvantagens: múltiplas doses
Luana Brajão Campana - Medicina TXXXI
● Resposta imune humoral (IgG e células
B de memória), LTCD4+ memória
● Não promove a ativação de LTCD8+
memória
● Exemplos: HPV, Hepatite B
6. Vetor viral
Resposta imune celular (TCD4+/ TCD8+) de
memória devido à produção de proteínas
virais no interior da célula e humoral (IgG e
células B de memória)
7. RNAm
Resposta imune celular (TCD4+/ TCD8+) de
memória devido à produção de proteínas
virais no interior da célula e humoral (IgG e
células B de memória)
Soroterapia
● Modalidade de imunidade a um antígeno,
estabelecida em um indivíduo por
TRANSFERÊNCIA DE ANTICORPOS de um
outro indivíduo imune àquele antígeno
● Ação imediata
● É considerada transitória, pois o indivíduo
não desenvolverá sua própria imunidade –
NÃO TEM MEMÓRIA
Imunização passiva artificial –
imunoglobulina
SORO HOMÓLOGO: A imunoglobulina
específica, chamada de gamaglobulina
hiperimune, é obtida de doadores humanos
que receberam imunização ativa recente ou
de convalescentes de doença infecciosa
contra a qual se pretende proteger. São
exemplos de imunoglobulina humana
específica:
▪ Anti-hepatite B
▪ Antitetânica
▪ Antirrábica
▪ Anti varicela Zoster
▪ Palivizumabe (anticorpo monoclonal anti
vírus sincicial respiratório – VSR ou RSV).
Usado em casos de deficiência congênita
ou adquirida de LB; exposição a doenças
que causam complicações rápidas; quando
não existe vacina ou o paciente não foi
vacinado
Imunização passiva artificial - soro
Tratamento efetivo, porém deve ser feito
com cautela:
● Produção de IgE contra o anticorpo
estranho pode gerar reações alérgicas e
anafilaxias
● Produção de IgM e IgG contra o
anticorpo estranho pode gerar
imunocomplexos que se depositam em
tecidos
Luana Brajão Campana - Medicina TXXXI

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.