Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
90 pág.
APOSTILA INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS

Pré-visualização | Página 1 de 17

INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca da Escola de Negócios e Seguros – ENS
E73i Escola de Negócios e Seguros. Diretoria de Ensino Técnico.
 Introdução aos seguros de danos / Supervisão e coordenação 
 metodológica da Diretoria de Ensino Técnico; assessoria técnica de Jose 
 Eduardo Teixeira Arias, Frederico Martins Peres e Claudio Bizerra de Oliveira.
 Rio de Janeiro: ENS, 2021.
 90 p. ; 28 cm
 1. Seguros de pessoas Seguros de danos. 2. Ramos elementares. I. Arias, 
 Eduardo Teixeira. II. Peres, Frederico Martins. III. Oliveira, Claudio Bizerra de. IV. Título. 
 
 0021-2564 CDU 368(072) 
REALIZAÇÃO
ESCOLA DE NEGÓCIOS E SEGUROS
SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO METODOLÓGICA
DIRETORIA DE ENSINO TÉCNICO
ASSESSORIA TÉCNICA
CLAUDIO BIZERRA DE OLIVEIRA - 2021
FREDERICO MARTINS PERES - 2021
JOSÉ EDUARDO TEIXEIRA ARIAS - 2021 
PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO
ESCOLA DE NEGÓCIOS E SEGUROS – GERÊNCIA DE CONTEÚDO E PLANEJAMENTO
PICTORAMA DESIGN
É proibida a duplicação ou reprodução deste volume, ou de partes dele, 
sob quaisquer formas ou meios, sem permissão expressa da Escola.
RIO DE JANEIRO
2021
INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
A 
Escola de Negócios e Seguros promove, desde 1971, diversas 
iniciativas no âmbito educacional, que contribuem para um 
mercado de seguros, previdência complementar, capitalização 
e resseguro cada vez mais qualificado.
Principal provedora de serviços voltados à educação continuada, para 
profissionais que atuam nessa área, a Escola de Negócios e Seguros 
oferece a você a oportunidade de compartilhar conhecimento e 
experiências com uma equipe formada por especialistas que possuem 
sólida trajetória acadêmica.
A qualidade do nosso ensino, aliada à sua dedicação, é o caminho para 
o sucesso nesse mercado, no qual as mudanças são constantes e a 
competitividade é cada vez maior.
Seja bem-vindo à Escola de Negócios e Seguros.
INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 8 
O Mercado 9
Relevância 9
Conceito Histórico 10
1. CONDIÇÕES CONTRATUAIS – 
 SEGUROS GRUPO PATRIMONIAL 12
 ELEMENTOS MÍNIMOS E OBRIGATÓRIOS 
NAS CONDIÇÕES CONTRATUAIS DO SEGURO 14
Cláusula de Objetivo do Seguro 14
Glossário de Definições 14
Cláusula de Formas de Contratação 14
Cláusula de Âmbito Geográfico 15
Cláusulas de Coberturas 15
Cláusula de Riscos Excluídos 16
Cláusula de Aceitação 17
Cláusula de Vigência e Renovação 18
Cláusula de Concorrência de Apólices e Bilhetes 19
Cláusula de Franquia e Participação Obrigatória do Segurado (POS) 21
Cláusula de Atualização e Alteração de Valores 22
SUMÁRIO
INTERATIVO
INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
Cláusula de Pagamento do Prêmio 22
Cláusula de Indenização 24
Cláusula de Comunicação, Regulação e Liquidação de Sinistros 25
Cláusula de Reintegração 26
Cláusula de Perda de Direitos 26
Cláusula de Rescisão e Cancelamento do Contrato de Seguro 27
Outras Disposições Contratuais 28
 FIXANDO CONCEITOS 1 29
 2. O PRODUTO DE SEGURO 
 DE DANOS E SEUS ELEMENTOS 32
 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO 33
Concepção 33
Processos (Operação) 34
Avaliação, Revisão e Manutenção do Produto 34
 ELEMENTOS DE UM PRODUTO DE SEGUROS 35
Política de Aceitação de Riscos 35
 Segmentação 36
Atividades e Riscos Excluídos 38
Precificação 39
 FIXANDO CONCEITOS 2 46
 3. FORMAS DE CONTRATAÇÃO DE SEGUROS 
 DE DANOS – SEGUROS PROPORCIONAIS 
 E NÃO PROPORCIONAIS 48
 SEGUROS PROPORCIONAIS 50
Seguro a Risco Total 50
Seguro a Risco Relativo 54
Rateio Parcial 57
INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
Prêmios nos Seguros a Risco Relativo: 58
 SEGUROS NÃO PROPORCIONAIS 59
Seguro a Risco Absoluto 59
 FIXANDO CONCEITOS 3 61
4. SEGUROS DE GRANDES RISCOS
– GRUPO PATRIMONIAL 63
 PRINCÍPIOS GERAIS 64
 ENQUADRAMENTO 65
66
68
69
 REGRAS PARA DESENVOLVIMENTO DAS CONDIÇÕES CONTRATUAIS 
 ELEMENTOS MÍNIMOS DAS CONDIÇÕES CONTRATUAIS 
Elementos de Livre Negociação 
CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA OS SEGUROS 
DO GRUPO PATRIMONIAL 01 DA SUSEP 70
Riscos Nomeados e Operacionais (RNO) 70
Global de Bancos 70
Outros Ramos 71
 FIXANDO CONCEITOS 4 72
5. O SINISTRO E SEUS PROCESSOS 73
 ETAPAS DO PROCESSO DE SINISTRO DE BENS 74
Apuração de Danos 74
Regulação 75
Liquidação 76
INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
 VARIÁVEIS TÉCNICAS DE SINISTRO 76
Prejuízos Indenizáveis 76
Salvados 77
Ressarcimento 77
Sub-rogação 77
Indenização 78
Franquia 78
 Participação Obrigatória Do Segurado (POS) 80
 Valor de Novo e Valor Atual 81
 Depreciação 82
 FIXANDO CONCEITOS 5 85
 GABARITO 88
 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 89
8INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 
Como abordado no material de Teoria Geral do Seguro (TGS), os seguros 
são fruto da evolução dos riscos e da necessidade de protegê-los. Os 
Seguros de Danos, que por sua natureza também são classificados como 
Ramos Elementares, se definem como aqueles que visam garantir per-
das por danos ou responsabilidades provenientes de riscos de incêndio, 
transporte, acidentes, roubos/furtos e outros eventos que possam ocor-
rer e afetar pessoas, coisas ou bens. 
Como sabemos, “seguro” é um mecanismo de transferência de riscos, que 
visa restabelecer o equilíbrio econômico perturbado pela ocorrência de 
um evento coberto. Nesse contexto, os seguros contra danos são impor-
tantes, pois, por meio deles, pessoas e empresas conseguem transferir às 
seguradoras os riscos aos quais seu patrimônio está exposto, minimizan-
do assim os impactos financeiros ocasionados na hipótese de ocorrência 
desses riscos. 
Quando falamos de seguros de danos, podemos citar dentre outros: resi-
dências, empresas equipamentos, cargas, veículos automotores, indústrias, 
obras, valores, bens diversos, além das responsabilidades envolvidas. 
Nos seguros de danos, temos um grupo específico denominado Grupo Patri-
monial (Circular SUSEP nº 535/2016 – Grupo 01), o qual é composto pelos 
ramos relacionados abaixo, cujas regras e cujos critérios de operação foram 
alterados pelas Circulares SUSEP nº 620/2020 e 621/2021 e Resolução 
CNSP nº 407/2021 e que serão alvo de nossos estudos neste manual:
 ■ Ramo 14 – Compreensivo Residencial
 ■ Ramo 16 – Compreensivo Condomínio
 ■ Ramo 18 – Compreensivo Empresarial
9INTRODUÇÃO AOS SEGUROS DE DANOS
 ■ Ramo 41 – Lucros Cessantes
 ■ Ramo 67 – Riscos de Engenharia 
 ■ Ramo 71 – Riscos Diversos
 ■ Ramo 73 – Global de Bancos 
 ■ Ramo 96 – Riscos Nomeados e Operacionais
Observação: Enquadram-se também no segmento patrimonial os serviços 
e as coberturas de assistência (todos os bens) bem como as coberturas de 
garantia estendida.
 — O Mercado
Você sabe apontar o porquê de a comercialização dos seguros de danos, no 
mercado brasileiro, ainda ser muito tímida, diferentemente de outros países? 
O cenário econômico, a baixa divulgação de seus benefícios e a falta de 
conscientização da população sobre a relevância desse segmento no 
contexto de proteção do patrimônio podem, em parte, explicar as razões 
para que esses seguros ainda não tenham atingido o seu ápice. 
Vejamos um exemplo sobre a importância da proteção patrimonial e seu 
impacto no aspecto social:
Exemplo
A direção de uma pequena indústria com 100 funcionários resolveu segurar seu 
patrimônio contra o risco de incêndio e garantir a recomposição de lucros cessantes 
(despesas fixas e lucro líquido) em um suposto evento. 
Supondo a ocorrência de um sinistro de incêndio que tenha dentre as consequências a 
paralisação das atividades da empresa, por seis meses, estariam garantidos, além dos 
danos contra o patrimônio, a perda do lucro líquido desse período e as despesas fixas, 
tais como: salário, FGTS, INSS, impostos, entre outras.
 — Relevância
Ainda com base no exemplo anterior, o que podemos destacar como rele-
vante com relação à contratação desse seguro e à hipótese da ocorrência
Página123456789...17