A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Queimaduras

Pré-visualização | Página 3 de 3

com maior possibilidade de complicações: face (risco de obstrução
respiratória, gerando uma insuficiência respiratória), genitália, períneo, mãos, pés, grandes
articulações, olhos, circulares
- Tipos: lesão com inalação em ambiente fechado, elétricas (acima de 1000 volts) e químicas
graves
- queimadura de alta tensão = internação
- Pacientes especiais: lactentes, idosos, cardiopatas, diabéticos, renais crônicos e outras
patologias e problemas sociais graves → situações que podem ser pioradas pela queimadura
ou podem piorar o quadro do paciente queimado
- Queimaduras associadas a politraumatismo
Queimadura em vidro de relógio = sinal de maus tratos
Atendimento inicial do paciente queimado
Sem indicação de internação:
- analgesia: nesse caso evitar opioide devido o risco do paciente ficar desorientado ou com
insuficiência respiratória
- curativo
- orientação e encaminhamento para tratamento ambulatorial ou domiciliar
Havendo indicação de internação
- acesso venoso e fluidoterapia
- amostra sanguínea para avaliação e reserva de hemoderivados
- analgesia com opióide por via endovenosa
- profilaxia de tétano: queimadura é lesão de alto risco de transmissão de tétano
- profilaxia de TVP
- limpeza com degermante
- debridamento
- curativo
- não fazer antibiótico VO nem IV
- avaliar necessidade de cateterismo vesical ou outros procedimentos
- definir se precisa de intubação orotraqueal
- providenciar internação/ remoção
Tratamento multidisciplinar
- médicos clínicos, pediatras, intensivistas, cirurgiões plásticos e anestesistas
- enfermeiros e técnicos
- assistente social
- psicólogos
- fisioterapeutas
- nutricionistas
- terapeutas ocupacionais
- fonoaudiólogo
- auxiliares educacionais
- farmacêutico
Tratamento do grande queimado
- Oxigenioterapia e desobstrução de vias aéreas (ambiente fechado e intoxicação por
monóxido de carbono)
- Ressuscitação hídrica e monitorização
- Analgesia e sedação
- Curativos
- Prevenção de hemorragia digestiva alta: alimentação precoce, uso de inibidor de bomba de
próton
- Terapia nutricional
- Reposição eletrolítica
- Tratamento cirúrgico de urgência: escarotomias ou fasciotomias
- Profilaxia de tétano
- Vermifugação
- ascaris lumbricoides migra quando o paciente inala gases
- strongyloides stercoralis
Objetivo da ressuscitação
- Restabelecer a volemia e perfusão tecidual
- Reduzir a formação do edema
- Restabelecer a função da membrana celular, com resgate de áreas de isquemia
- Normalização de função cardíaca
- Achar o ponto de equilíbrio da reposição volêmica e da formação do edema
Ressuscitação deficiente
- Hipovolemia
- Má perfusão tecidual
- Choque
- Insuficiência renal aguda
- Isquemias
- Acidose metabólica
- IMOS
Hiperidratação
- Edemas e seus efeitos
- Síndromes compartimentais periféricas e abdominais
- Edema pulmonar e cerebral
- Síndrome de angústia respiratória
- IMOS
Controle de hidratação
- Diurese: diurese não osmótica
- 1 a 2 ml/Kg/hora em crianças
- 0,5 a 1 ml/Kg/hora ou a 30 a 50 ml/h em adultos
- Sinais vitais:
- nível de consciência
- sede
- FC
- PA
- PVC
- Exame laboratorial
- gasometria arterial: acidose metabólica persistente indica hipoperfusão tecidual
- hemograma: hemoconcentração causa aumento do hematócrito e da hemoglobina
Analgesia
Nos grande queimados usar preferencialmente a via endovenosa (evitar via intramuscular
devido isquemia muscular)
- Opiáceos:
- morfina: 0,1 a 0,2 mg/kg/dose (máximo 15 mg/dose)
- meperidina: 1 a 2 mg/kg/dose (máximo 100 mg/dose)
- Midazolan em associação: 0,2 a 0,4 mg/kg/dose
- Dipirona
- Antiinflamatório não hormonal evita devido ao risco de hemorragia digestiva
Curativos
- Abertos: face, genitália e outros
- Sulfadiazina de prata 1%
- Fechados: troca diária, de 48 em 48 horas ou se necessário
- Outros tipos de curativos
Tratamento cirúrgico de urgência
- Escarotomia
- Fasciotomia
- Outras (trauma)
Queimaduras químicas
- Álcali é pior que ácido porque tende a provocar uma queimadura mais profunda
- NÃO NEUTRALIZAR!
- Lavar com água morna sob baixa pressão para não espalhar o químico
- 15 a 20 litros ou por mais ou menos 30 minutos
- objetivando manter o pH da pele entre 7 - 7,5
Resumo
- Reconhecer uma queimadura potencialmente séria: encaminhar para a unidade de
queimados
- Avaliar adequadamente uma queimadura
- Desenvolver um plano de cuidados baseados em prioridades
- Tratar baseado no tipo, extensão e grau da queimadura
- Conhecer os meios disponíveis
- Saber como contatar o CTQ mais próximo
- Consultar um médico do Centro de Queimados
- Decidir juntamente com o médico do Centro de Queimados sobre o tratamento local e
transporte
- As queimaduras podem ser classificadas de acordo com o grau de acometimento ao longo
das camadas teciduais. Dessa forma
- as de 1º grau são restritas à epiderme e se apresentam com vermelhidão cutânea
(eritema),
- enquanto as de 2º grau atingem a derme e cursam com flictenas (bolhas),
- as de 3º grau atingem toda a derme e parte do tecido subcutâneo, destruindo as
terminações nervosas e, por isso, sendo indolores,
- e as de 4º grau são típicas de queimaduras elétricas e atingem até músculos e ossos
- As queimaduras funcionam, de certa forma, como um trauma, havendo liberação importante
de citocinas que aumentam a permeabilidade capilar (o líquido sai do interior do vaso e vai
para o interstício) e levam ao choque hipovolêmico, de modo que a ressuscitação volêmica é
imprescindível, deve ser sempre feita com cristalóides e ter sua resposta avaliada pela
diurese do paciente. Sendo o cristalóide de escolha o ringer lactato aquecido
- As indicações formais de internação do paciente em Centro de Tratamento de Queimados
são: queimaduras de terceiro grau, queimaduras de segundo grau com SCQ > 10%,
queimaduras envolvendo face, mãos, pés, genitália, períneo ou articulações, queimaduras
elétricas, químicas e circunferenciais, lesões por inalação
- As lesões por inalação de fumaça podem causar intoxicação por monóxido de carbono e
também por cianeto, e são mais prováveis em ambientes fechados, devendo ser suspeitadas
em casos de chamuscamento de vibrissas nasais e escarro carbonáceo. Quando uma pessoa
se queima em local fechado e inala a fumaça, essa fumaça quente pode queimar a via aérea
superior, fazendo-a fechar (por isso que estridor e rouquidão são indicações de intubação), ou
então essa fumaça pode trazer sujeira e gases tóxicos (monóxido de carbono, cianeto) para o
pulmão.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.