A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
DISSÍDIOS COLETIVOS

Pré-visualização | Página 3 de 6

sentença normativa, a qual, como se sabe, pressupõe decisão capaz de formar coisa julgada material.
1.9. Recursos
A sentença normativa proferida pelo Tribunal Regional do Trabalho está sujeita ao recurso ordinário, porém, a sentença normativa que o Tribunal Superior do Trabalho profere em competência originária, pode ser impugnada por meio dos embargos infringentes, desde que a decisão não seja unânime. 
Em ambos os casos, o recurso deve ser interposto no prazo de 8 dias, sendo de competência do Tribunal Superior do Trabalho julgá-los.
No processo do trabalho, os recursos não são dotados de efeito suspensivo, tendo efeito meramente devolutivo. Entretanto, quando se tratar de recurso ordinário de sentença normativa, é admitido a concessão de efeito suspensivo pelo presidente do TST (Lei no 7-701/88, art. 7º, § 6º e art. 14 da Lei no 10.192/01).
2. JURISPRUDÊNCIA
A A C Ó R D Ã O
(SDI-1)
GMALR/ale/vln
AGRAVO EM EMBARGOS EM EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM RECURSO DE REVISTA. BESC. PLANO DE DEMISSÃO INCENTIVADA. ADESÃO VOLUNTÁRIA. QUITAÇÃO GERAL E IRRESTRITA DO CONTRATO DE TRABALHO. PREVISÃO EM NORMA COLETIVA. DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. REPERCUSSÃO GERAL. ARTIGO 543-B, § 3º, DO CPC DE 1973. ART. 894, II, DA CLT. Na hipótese, o Agravante insurge-se contra decisão proferida pela 3ª Turma que constatou, com amparo no quadro descrito pelo Tribunal Regional, a existência de norma coletiva dispondo acerca da quitação geral ao contrato de trabalho para os empregados que aderissem ao PDI. Verificou que consta do acordo coletivo e dos demais instrumentos celebrados pelo Agravante a ampla e irrestrita quitação de todas as parcelas objeto do contrato de trabalho, de forma a caracterizar transação entre as partes. Ressaltou que "...conforme decidido pelo acórdão embargado, a discussão do presente feito se amolda à hipótese retratada na decisão proferida no RE nº 590.415/SC" . Registrou que a adesão ao PDI ocorreu em 2001, de livre e espontânea vontade e que a matéria concernente a adesão antes da vigência do acordo coletivo de 2002/2004 não foi objeto de análise no TRT, o que faz incidir o óbice da Súmula 297 do TST. Nesse esteio, observa-se que a 3ª Turma deu provimento ao recurso de revista interposto pelo Reclamante por entender que a adesão ao PDI implicava quitação apenas das parcelas constantes do recibo, nos termos da supratranscrita Orientação Jurisprudencial. Após a interposição do recurso extraordinário pelo Reclamado, o processo foi sobrestado na Vice-Presidência em face do reconhecimento de repercussão geral pelo Supremo Tribunal Federal. Assim, o STF firmou entendimento no sentido de que a adesão voluntária ao PDI com origem em norma coletiva confere quitação ampla, geral e irrestrita das parcelas objeto do contrato de trabalho (RE 590415-6/SC, Rel. Min. Roberto Barroso, DJe 29/05/2015). Ante a decisão, a Vice-Presidência desta Corte, determinou o retorno dos presentes autos a egrégia 3ª Turma para possível juízo de retratação em relação ao tema, na esteira do artigo 543-B, § 3º, do CPC/73. Com efeito, inexiste controvérsia nos autos no sentido de que o Agravante conferiu quitação a todos os direitos oriundos do contrato de trabalho. Ressalte-se que a data de adesão ao PDI não tem o condão de invalidar o termo de quitação, ressalvadas as hipóteses de vício de vontade, o que não ocorre no presente caso. Dessa forma, verifica-se que a decisão deu-se em consonância com o entendimento sufragado pelo Supremo Tribunal Federal, o que afasta a suscitada contrariedade à OJ 270 desta SBDI-1. Revelar notar, ademais, que após o julgamento do recurso de embargos pela SBDI-1, o Reclamado solicitou a ratificação do recurso extraordinário, não havendo falar, portanto, em trânsito em julgado ante a perda do objeto do recurso extraordinário. Dessa forma, inviável o processamento do recurso de embargos com base na alegação de divergência jurisprudencial uma vez que se encontram superadas pela iterativa e notória jurisprudência desta Corte Superior, em decorrência da redação do artigo 894, II, da CLT. Precedentes desta SBDI-1. Agravo conhecido e não provido.
Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo em Embargos em Embargos de Declaração em Embargos de Declaração em Recurso de Revista n° TST-Ag-E-ED-ED-RR-90100-89.2005.5.12.0026 , em que é Agravante MURILO MOACIR BORGES e Agravado BANCO DO BRASIL S.A. (SUCESSOR DO BANCO DO ESTADO DE SANTA CATARINA S.A. - BESC) .
O Reclamante interpõe agravo (fls.1829/1864) contra decisão exarada pela Presidência da 3ª Turma desta Corte que denegou seguimento ao recurso de embargos(fls. 1822/1827).
Foram apresentadas contrarrazões às fls. 183/1888.
Desnecessária a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho, nos termos do artigo 95 do Regimento Interno do TST.
É o relatório.
V O T O
1 – CONHECIMENTO
Conheço do agravo porque atendidos os pressupostos legais de admissibilidade.
2 – MÉRITO
2.1- AGRAVO EM EMBARGOS EM EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM RECURSO DE REVISTA. BESC. PLANO DE DEMISSÃO INCENTIVADA. ADESÃO VOLUNTÁRIA. QUITAÇÃO GERAL E IRRESTRITA DO CONTRATO DE TRABALHO. PREVISÃO EM NORMA COLETIVA. DECISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. REPERCUSSÃO GERAL. ARTIGO 543-B, § 3º, DO CPC DE 1973. ART. 894, II, DA CLT.
A Presidência da 3ª Turma do TST denegou seguimento aos embargos interpostos pelo Agravante, ante a seguinte fundamentação:
SÚMULA 192 DO TST.
A Eg. 3ª Turma, em resposta aos segundos embargos de declaração apresentados, registrou o seguinte (fls. 1.751/1.754):
"O autor assevera que houve omissão no julgado quanto aos seguintes aspectos: a) ao fato de o recurso extraordinário interposto pelo banco ter perdido o objeto, pois se insurge contra uma decisão que deixou de existir, já que o acórdão da Eg. 3º Turma, que foi objeto do RE, foi substituído pela decisão da Eg. SDI-I, contra a qual não foi interposto qualquer recurso, operando-se, via de consequência, o respectivo trânsito em julgado.
(...) Vejamos.
Não há omissão no julgado.
Verifica-se que após o julgamento do recurso de embargos pela SBDI-1 do TST, o Banco do Brasil, por meio da petição à fl. 1.632, solicitou a ratificação dos termos do recurso extraordinário apresentado às fls. 1588/1628, em face da decisão desta 3ª Turma. Logo, não há falar em trânsito em julgado em razão da perda do objeto do recurso extraordinário.
(...) Dessa forma, conforme decidido pelo acórdão embargado, a discussão do presente feito se amolda à hipótese retratada na decisão proferida no RE nº 590.415/SC.
Verifica-se nítida pretensão recursal do embargante, que não se conforma com os claros fundamentos lançados pela c. Turma no decisum , buscando a reforma da decisão. No entanto, tal mister não encontra respaldo na via estreita dos embargos de declaração, razão pela qual a decisão embargada não merece reforma.
Ante o exposto, nego provimento aos embargos de declaração".
O embargante assevera que o recurso extraordinário do embargado perdeu objeto porque a decisão então impugnada foi substituída pelo acórdão da Eg. SBDI-1 desta Corte. Indica ofensa a dispositivo de Lei e contrariedade à Súmula 192, II e V, do TST. Transcreve julgados.
Pontue-se, de início, que o v. acórdão embargado foi publicado sob a vigência da Lei nº 13.015/2014, que imprimiu nova redação ao art. 894, II, da CLT, no sentido de que somente é cabível o recurso de embargos quando demonstrada divergência jurisprudencial entre Turmas do TST (OJ 95/SBDI-1) ou destas com as decisões proferidas pela Seção de Dissídios Individuais ou contrariedade a súmula ou orientação jurisprudencial do Tribunal Superior do Trabalho ou súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal.
Ociosa, portanto, a indicação de ofensa a dispositivo de Lei.
De outra face, conforme o registrado no acórdão antes transcrito, houve ratificação dos termos do recurso extraordinário, razão pela qual não haveria que se cogitar do trânsito em julgado em razão da perda do objeto do recurso extraordinário.
Diante de tal contexto fático, não há que se falar em

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.