A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
INTERVENÇÃO - FEDERAL E ESTADUAL

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ato político – pode-se nomear um interventor, 
que pode ser qualquer pessoa. (Temer nomeou 
um militar) 
Em 24h deve ir para análise do Congresso (Leg) 
e Assembléia Legislativa (Leg – âmbito 
estadual) 
Não podem aprovar ou não quem é o interventor 
→ liberalidade do Presidente/ Governador. 
No caso da intervenção não for aprovada: 
Chefe do Poder Executivo deve parar 
imediatamente –crime de responsabilidade → 
Impeachment 
Exceção: que não vão para o Congresso – 
questões que se tratam do judiciário: lei 
federal (apenas lei no âmbito estadual), ordem 
ou decisão judicial. Tudo para não invadir a 
competência do outro poder. 
 Governador – Estadual 
 Presidente – Federal 
Intervenção federal e estadual (≠ 
intervenção militar) 
CONCEITO: A intervenção é um ato de 
natureza política excepcional dotado de 
necessidade que consiste na supressão 
temporária da autonomia do ente em 
virtude de hipóteses taxativamente 
previstas na Constituição. 
- Intervenção é a antítese da autonomia. 
- Via de regra, não há controle jurisdicional 
na intervenção. 
- Situações: segurança do Estado em risco, 
desequilíbrio federativo, finanças estaduais 
e estabilidade da ordem constitucional. 
- Quando ocorre a intervenção, em 24 
horas, vai para a análise do Congresso 
Nacional (União) e para a Assembleia 
Legislativa (Estado). 
EXCEÇÃO: JUDICIÁRIO; quando se 
tratar de lei federal, ordem ou decisão 
judicial NÃO vai para a o Congresso 
Nacional; quando se tratar de lei, ordem ou 
decisão judicial NÃO vai para a Assembleia 
Legislativa. -> seria uma afronta à 
separação dos poderes. 
- Materializa-se por meio de Decreto 
presidencial de intervenção. 
- Não se analisa o interventor, apenas a 
intervenção. 
- Caso não vá para a análise, a intervenção é 
considerada inconstitucional; se for e for 
julgada inconstitucional, o chefe do 
executivo deve encerrar a intervenção sob 
pena de responder por crime de 
responsabilidade. 
- Hipótese extraordinária: ocorre a 
intervenção quando o Congresso não está 
reunido -> são convocados para se reunir 
imediatamente. 
FEDERAL: União vai intervir nos Estados e 
nos municípios que fazem parte de 
território federal – NUNCA NOS 
MUNICÍPIOS 
 Intervenção 
ESTADUAL: Estados vão intervir nos 
Municípios 
- União não pode intervir nos municípios, 
apenas naqueles que estão localizados em 
territórios federais. Art 35 
Súmula 637 do STF – não cabe recurso 
extraordinário contra acórdão de tribunal 
de justiça que defere pedido de 
intervenção estadual e município. 
PRINCÍPIOS QUE NORTEIAM A 
INTERVENÇÃO 
• Excepcionalidade 
• Necessidade 
• Taxatividade -> trazem todos os 
casos 
• Temporalidade -> quando o chefe do 
executivo decreta, vai especificar as 
condições, a amplitude e prazo da 
intervenção. -> sob pena de ser 
inconstitucional. 
- Após a intervenção, a regra é que a 
situação retorne a normalidade. 
INTERVENÇÃO FEDERAL: 
Art. 34 -> rol taxativo 
Decretados de ofício pelo presidente: 
VALOR ($), TERRITÓRIO, ORDEM 
PÚBLICA (I, II, III e V) 
I -> manter a integridade nacional; EX: RS 
queria se separar do resto do BR 
II -> repelir invasão estrangeira 
III -> comprometimento da ordem pública -
> EX: RJ, 2018 
V -> finanças (não repassar receitas 
tributárias aos municípios ou suspender o 
pagamento da dívida fundada por mais de 
dois anos consecutivos e não for por força 
maior) 
Não decretado de ofício pelo presidente, 
solicitado 
IV -> garantir o livre exercício de qualquer 
dos Poderes nas unidades da Federação 
(decreto interventivo solicitado pelo 
legislativo ao presidente e o presidente vai 
fazer o decreto interventivo; por meio do 
STF, o judiciário vai requisitar ao 
presidente e este vai fazer o decreto 
interventivo) -> o poder que não consegue 
exercer as atividades deve solicitar 
VI -> ordem ou decisão judicial -> 
STF/STJ/TSE requisitam ao presidente 
o decreto interventivo 
STF -> matéria constitucional 
STJ -> matéria infraconstitucional 
TSE -> direito eleitoral 
VI, VII -> execução de lei federal em 
relação aos princípios constitucionais 
(princípios sensíveis) 
Procurador Geral da República (PGR) -> 
Representação no STF (não requerimento) -
> provimento ao presidente 
INTERVENÇÃO ESTADUAL 
Art. 35 -> rol taxativo 
I, II, III -> governador decreta de ofício 
I -> deixar de pagar a dívida fundada por 
dois anos consecutivos, sem motivo de 
força maior. Comprovação voluntária e 
intencional – DOLO. 
IV -> Procurador Geral da Justiça -> 
representação no TJ -> TJ dá provimento 
perante o governador

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.