A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
6 - Prótese fixa ultra-conservadora

Pré-visualização | Página 1 de 1

Prótese fixa ultra-conservadora 
 
Objetivos 
• Técnicas restauradoras minimamente invasiva, função 
• Devolver estética e função para o paciente 
• Repor o dente ausente de maneira Fica sem a utilização de implantes ou desgastes de 
dentes pilares semi-higidos e vitais 
• Paciente pode não ter condição financeira, osso para implantes 
 
O que é a prótese UC? 
• É uma prótese mais conservadora do que uma prótese adesiva, que já é conservadora. 
• É aquela em que a perda dentária é suprida por um dente artificial fixado nos dentes 
vizinhos, chamados de dentes pilares, utilizando-se de uma estrutura metálica. 
• Composta por: pôntico e armação metálica. 
• É uma mistura de PPF e restauração dental que proporciona preparos mais simples e 
menos agressivos. 
• Por que? 
o PPF precisa de estrutura metálica, dente pilar, pôntico, coroa de cerâmica e 
cimentação. 
o Restauração usa materiais restauradores inovadores para estética, desgaste, 
polimento e especialmente sistema adesivo que favorece a longevidade da 
restauração. 
 
PPF X Ultra-conservadora X Restauração 
• A prótese UC X PPF: retentor de metal que é inserido entre o preparo proximal e 
oclusal do pilar, que usualmente são supragengivais ou na altura da gengiva, 
favorecendo aspectos biológicos e de higiene. 
• O retentor de metal é recoberto com RC dando longevidade para a restauração, 
preservando a estrutura e restabelecendo a estética. 
 
Vantagens 
• Estética 
• Utilização de materiais convencionais para cimentação e não só cimentos resinosos 
• Fácil execução 
• Mínimo desgaste dos dentes pilares, se atendo à remoção da restauração 
• Não há comprometimento pulpar 
• Menor tempo de trabalho clínico 
• Custo reduzido 
• Reversibilidade do tratamento 
 
Desvantagens – limitações de uso 
• Doença periodontal - duração duvidosa devido sequelas (mobilidade, perda óssea) 
• Áreas estéticas com espaço limitado (canino, IL) – devido a translucidez de 1/3 incisal 
dos dentes anteriores, o metal pode alterar a cor do dente por transparência 
 
Caso clínico 
• Restauração no molar e no pré, com um espaço faltando. Caberia um implante, mas 
não foi a escolha. 
• Foi confeccionado um provisório: 
o Escolha da cor 
o Moldagem com alginato 
o Obtenção do modelo de estudo 
o Confeccionsr a protesencim drnte de estoque e fio ortodôntico (canaleta por 
onde passa o fio e em cima fecha com resina acrílica) 
o Reembasamento direto com resina acrílica 
o Fixação com pasta de hidróxido de cálcio 
 
Preparo dos elementos dentais 
• Preparo do elemento dental, levando em consideração a necessidade de proteção 
pulpar antes de moldar para evitar sensibilidade. 
• Os preparos são confeccionados a partir das restaurações já existentes nos dentes 
pilares, se necessário é realizado pequenos desgastes adicionais e uniformização da 
cavidade 
• O preparo tem algumas características: 
o Largura VL pelo menos 1/3 da dimensão VL dos dentes 
o Design da oclusão ao longo do contorno do istmo 
o Cristas marginais, cúspides e paredes axiais não necessariamente precisam 
estar divergentes (não pode estar convergente, pois não é favorável ter 
retenção no momento da moldagem) 
o A caixa oclusal deve ter cerca de 1,5 a 2mm de profundidade 
o Profundidade de 1mm de depressão do andar da polpa 
o Caixa proximal na altura gengival ou acima do nível da gengiva 
o Não há ângulos agudos ao longo de todo preparo. 
 
Após o preparo deve-se fazer a moldagem 
• Silicone de adição, condensação, poliéter (deve-se fazer moldeira individual), alginato 
• Limpar e secar o preparo cuidadosamente para a remoção de resíduos com escova de 
Robinson e pedra pomes (não usa pasta profilática, pois ela é oleosa é interfere na 
cimentação posterior) 
• Moldagem com a siliconada pesada 
• Refinamento da moldagem com pasta leve da silicona (obs: pode ser feito em apenas 1 
passo também, mas há dificuldade se estiver atendendo sozinha) 
• Análise do molde 
• Desinfecção com clorexidina 2% 
• Obtenção do modelo de trabalho (gesso pedra melhorado) 
Instalação do provisório 
• Para a instalação da prótese provisória é preciso o seu reembasamento sobre os 
preparos, já que o que eu fiz no lab é diferente doc preparo que acabei de fazer da 
boca 
• Com resina acrílica 
• A cimentação é com cimento de hidróxido de cálcio 
• Checagem da oclusão após a cimentação 
• Observar um ponto de referência antes de cimentar 
Remoção do provisório, limpeza é prova da estrutura metálica 
• Analisar primeiro no modelo e só depois em boca (adaptação, oclusão e estabilidade) 
• A estrutura deve estar bem ajustada / adaptada nos dentes pilares, com alguma 
retenção e permanecer no lugar, mesmo suportando esforços no sentido VL ou 
movimentos de torção 
• Verificar a oclusão e os movimentos mandibulares, para eventuais correções deixando 
o espaço necessário para a cerâmica (em RC, lateralidade e protrusão) 
 
Registro de mordida e moldagem de transferência 
• Visão clara e real da oclusão do paciente 
• Poucas distorções, por isso é possível usá-la como base para a construção das peças 
protéticas 
• Realizado com resina acrílica vermelha duralay 
• Moldagem de transferênctransferênciia 
Moldagem de transferência 
• Realizado para compensar a perda de referência do contato proximal com os dentes 
vizinhos, ou seja, ter uma visão mais precisa do que têm-se em boca para que o 
protético faça a peça no modelo 
• Novo modelo de trabalho realizado com infra-estrutura metálica em posição 
possibilita que a porcelana seja aplicada e o contato proximal e oclusal seja 
estabelecido de forma mais precisa 
• Vaza com o gesso especial, não precisa do fio de orto 
Prova da cerâmica 
• Na prótese deve ter suas superfícies proximais ajustadas e os movimentos oclusais 
reproduzidos para a determinação de possíveis contatos, prematuros e interferências 
• Após a avaliação final da cor, forma e textura o trabalho é considerado adequado para 
a cimentação 
Cimentação 
• Cimento resinoso 
• CIV resinoso 
• CIV convencional (não é bom pois a peça solta com facilidade) 
• Se eu não coloquei nenhum tipo de proteção pulpar não devo fazer ataque de ácido, 
apenas nas demais paredes. Uso um adesivo universal da 3M por exemplo ou o 
clearfill de 2 passos próximo à polpa 
 
Outro caso 
• Prótese mista (coroa convencional e um apoio de prótese UC) 
 
Limpeza 
• Agulha ou passa fio 
• Limpeza da parte inferior da prótese, abaixo do pôntico (mais indicado é em formato 
de rampa, jamais em cela, pois a higiene fica prejudicada)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.