A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
3 - Preparo do sistema de suporte

Pré-visualização | Página 2 de 2

evita-se maior desgaste 
dental e dano irreparável ao elemento suporte 
 Em casos de utilização de grampos geminados, é necessário que sejam confeccionados 
canaletas horizontais e depois nichos oclusais contíguas dos dentes. Os nichos dos grampos 
geminados devem apresentar largura de 3 a 3,5 mm e profundidade de 1,5 a 2,0 mm. Pontas 
diamantadas (4103). Se o grampo geminado for confeccionado em um molar adjacente à área 
anodôntica, este molar deve ter um apoio na mesial e um apoio distal do grampo geminado. 
 
 Em casos de dentes hígidos: 
 Deve-se iniciar o preparo do nicho oclusal pelo ápice do triângulo. 
 Arredondamento da crista marginal com desgaste de 1,0 a 1,5 mm 
 Assoalho do nicho deve estar inclinado para o centro do dente, com profundidade de 1,5 a 2 
mm 
 O ângulo formado entre o assoalho do nicho e a parede proximal deve ser menor que 90° para 
que as forças sejam dirigidas ao centro do dente, evitando forças de torsão ao suporte da 
prótese 
 A largura do nicho deve corresponder à metade da distância vestíbulo-lingual e geralmente a 
um terço da distância mésio-distal do dente em questão 
 
 
 
 Em dentes restaurados com amálgama: 
 O amálgama não é o material ideal para suporte de apoios oclusais devido à tendência ao 
escoamento 
 Deve-se realizar um desgaste maior de forma que todo o nicho esteja envolvido pela 
restauração 
 
 Nichos em dentes anteriores 
 Antigamente eram do tipo incisais, mas não são mais utilizados em virtude do grande prejuízo 
estético 
 São realizados nichos no cíngulo 
 Propiciam fulcro menor em relação aos nichos 
confeccionados na incisal 
 Estão mais próximos do centro dos dentes 
 Direcionam as forças próximo ao centro rotacional do 
dente envolvido 
 Proporcionam máxima estabilização 
 
 Dentes anteriores com cíngulos volumosos e proeminentes, como os incisivos e caninos superiores, o 
preparo dos nichos deve ser realizado por desgaste 
 Ponta diamantada tronco-cônica invertida (no 1150 ou 1151) 
 Perpendicularmente em relação ao dente suporte 
 Conformação de meia-lua ou 
canaleta em forma de V 
invertido 
 O assoalho do nicho também 
deve formar um ângulo menor 
do que 90 graus com a parede 
axial do elemento suporte 
para direcionar as forças para 
o centro do dente 
 
 Em casos de dentes anteriores sem esta conformação, ou seja, incisivos e caninos inferiores, pode-se 
acrescentar resina no cíngulo dos dentes criando um nicho em forma de concavidade ou meia-lua para 
alojar o apoio nessa região 
 Desgaste mínimo na superfície 
com uma ponta diamantada 
cone-invertido (no 1032, 1033 
ou 1034) 
 Criar retenção mecânica e 
depois se faz o acréscimo de 
resina 
 Avaliar se a localização dos 
apoios na palatina dos dentes 
anteriores não interfere com a 
oclusão do paciente, em máxima intercuspidação, nos movimentos protrusivos e excursivos 
 
 
 
 
5. Preparo para confecção de retenção adicional 
 Em casos de dentes suportes com insuficiente 
retenção, há necessidade de modificar o 
contorno do dente criando uma retenção 
adicional 
 Antigamente, obtinha-se retenção por desgaste 
de estrutura dental, criando uma depressão no 
esmalte dentário com contornos suaves e 
regulares. Entretanto, hoje em dia com o avanço 
dos sistemas adesivos e das resinas compostas fotopolimerizáveis, é possível obter retenção com acréscimo 
de resina composta, optando-se por uma técnica mais conservadora e que promove rápida modificação do 
contorno dos dentes sem necessidade de remover estrutura dentária. 
 Com esta técnica, acrescenta-se resina acima de onde se deseja criar retenção de forma a promover contorno 
adequado para alojar a extremidade do braço de retenção do grampo do elemento suporte.