A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
8 - Estética em PPR

Pré-visualização | Página 1 de 2

Letícia S Moda Silva 
Estética em PPR - Seleção e montagem de dentes 
Definição 
Estruturas que simulam os dentes naturais, tendo por papel substituí-los quando perdidos, restabelecendo suas 
funções. 
 A reposição é feita com os mesmos dentes que se usa em 
prótese total (dentes de estoque). 
 A marca utilizada na faculdade é Biotone, ou seja, devemos 
comprar dentes de estoque dessa marca, pois a escala de cor usada 
na clínica é a mesma. 
 
Fatores que influenciam na estética e naturalidade 
 Estrutura metálica 
 Dentes 
 Sela: bem adaptada e sem aparecer 
 Resina acrílica: mascara a prótese com os tecidos adjacentes, levando inclusive em consideração, a altura do 
sorriso. 
 Deve ser preferencialmente realizada pelo cirurgião-dentista, pois o técnico não sabe a idade, gênero, altura 
do sorriso, corredor bucal do paciente. 
 
Funções da seleção e montagem dos dentes 
 Conforto e eficácia mastigatória 
 Preservação do osso alveolar 
 Manutenção da dimensão vertical 
 Estética 
 Além da estética, tais fatores favorecem o retorno da estabilidade muscular e uma boa adaptação. 
 
Dentes posteriores: 
 Mastigação  Dimensão vertical de 
oclusão 
 Contorno facial 
 A DVO proporciona mais harmonia dos terços faciais. 
 
Dentes anteriores: 
 Função mastigatória  Fonética  Estética 
 
Fatores de ordem geral que afetam a estética: 
 Idade: 
 Coloração dos dentes: quanto mais idoso maior a pigmentação Inclusive a pacientes com dentes de 
cores diferentes maior dificuldade de equilibrar e fazer a escolha dos dentes de estoque 
 Desgastes desgaste geralmente são fisiológicos e na PPR eu posso fazer adaptações em meus dentes 
de estoque para promover desgastes semelhantes aos dentes remanescentes 
 Perda de tonicidade da pele: idosos possuem características mais enrugados e flácidos 
 
 Letícia S Moda Silva 
 Tipo físico: 
 Forma do rosto: possui semelhança com a forma do incisivo central 
 Forma do biotipo: o resultado é uma maior naturalidade e harmonia estética da prótese, de acordo 
com o tipo corporal 
 
 
 Gênero: 
 Mulheres possuem dentes menores e com ângulos arredondados 
 Homens possuem dentes maiores e com ângulos vivos 
 
Fatores de ordem local que afetam na estética 
 Tonicidade e comprimento do lábio 
 Quanto mais ativa a tonicidade do lábio e quanto mais curto o 
comprimento do lábio mais evidentes ficam os dentes; 
 
 
 Altura do sorriso 
 Sorriso baixo: menos de 75% de exposição dos incisivos 
 Sorriso médio: de 75% a 100% da coroa dos incisivos 
 Sorriso alto: 100% da coroa do incisivo e mais uma faixa gengival 
 
 
 Cor e forma dos dentes remanescentes 
 Além dos dentes remanescentes, a cor está relacionada com a dieta e a higiene 
 A escala de cor para prótese é pequena, não é a escala Vita 
 A forma dos dentes deve seguir o que está presente na cavidade bucal e com relação a cor nós 
devemos tentar equilibrá-la 
 
 Opinião do paciente 
 
 A perda dos dentes acelera a reabsorção óssea a PPR promove estímulos no rebordo, de modo que ainda 
haverá reabsorção óssea, porém ela será lenta. 
 
 Letícia S Moda Silva 
Tipos de dentes 
Porcelana 
 Estético 
 Grande resistência à abrasão 
 Necessidade de retenção mecânica: não se 
adere a resina acrílica podendo cair 
 Estabilidade de cor 
 Manutenção da dimensão vertical 
 
 
 
 
 Desvantagens 
 Difícil adaptação em espaços 
interoclusais 
 Dificuldade no ajuste oclusal 
 Ruídos durante a mastigação 
 Abrasão nos dentes antagonistas 
 Ausência de união química com a base 
 Maior reabsorção óssea: forças 
mastigatórias nos dentes de porcelana 
promovem menor manutenção do 
rebordo 
Resina acrílica 
 Afinidade química com a base da prótese 
 Absorve parte dos esforços 
 Maior comodidade ao paciente 
 Permite acréscimo e desgaste 
 Com o tempo, o desgaste acontece na resina 
acrílica e não nos dentes naturais antagônicos 
 Desvantagem: Não possuem boa estabilidade 
de cor 
 Cadeias poliméricas interpenetradas com a 
inclusão de nanopartículas inorgânicas, 
havendo prensagem em múltiplas camadas 
 
Causas do desgaste dos dentes artificiais 
 Frequência mastigatória 
 Força de mordida 
 Tipo de dieta 
 Hábitos parafuncionais 
 Ação de agentes de limpeza 
 Dentes antagonistas 
 
Dentes artificiais com a oclusal em metal 
 Indicações: pacientes com fortes hábitos parafuncionais 
 Overlay: restabelece e / ou promove a manutenção da dimensão vertical e dos contatos oclusais 
 Pôntico na sela: colocado em espaços interoclusais restritos (que comprometem a resistência de uma resina 
apenas) 
 Casos em que eu não vou ter espaço suficiente na região posterior para colocar um dente 
 Preenche o espaço com metal e na vestibular aplica resina acrílica de coloração semelhante ao dente 
 Desvantagens: 
 Maior tempo clínico, devido fases laboratoriais (fundição) 
 Linha de cimentação 
 Estética deficiente 
 
 
 Letícia S Moda Silva 
Métodos de escolha da forma dos dentes artificiais 
 Rosto do paciente 
 Biótipo corporal (longilíneo, atlético ou arredondado) 
 Formato quadrado, triangular, retangular, oval 
 
 
 Importante avaliar também o formato do arco 
 Dentes anatômicos x Dentes não anatômicos: podemos escolher dentes com formatos anatômicos, ou seja, 
que possuem ângulos nas cúspides (33°) ou não anatômicos, quando, por exemplo, o paciente possui hábitos 
parafuncionais que não permitem a utilização de dentes anatômicos (inclinação 0°). 
 
 Pacientes jovens: dentes artificiais normais 
 Pacientes com hábito parafuncional ou mais idosos: desgastes fisiológicos 
 A individualização dos dentes anteriores pode ser realizada, devido ao gênero / sexo, tipo físico, idade, foto 
do paciente. 
 
Escolha do tamanho dos dentes artificiais anteriores 
Seleção dos dentes anteriores 
1. Medição da largura de canino a canino (levando em consideração a curvatura do arco) 
2. Medição da largura mesial-distal do incisivo central inferior 
3. Medição do comprimento (altura) do incisivo central inferior 
4. Após as medições verifico essas medidas na cartela de tamanhos e formatos (Biotone) 
5. Essas medidas são realizadas apenas no incisivo central pois o incisivo lateral possui altura e largura maiores 
 
 
 
 
 Letícia S Moda Silva 
Seleção da cor 
 Sala do consultório com cores claras 
 Luz natural 
 Comparação com os dentes remanescentes 
 Utilizar a escala fornecida pelo fabricante 
 
 Variações da cor: 
 A cor dos dentes naturais varia no próprio dente de dente para dente e de região para região 
 
 Fatores que afetam a cor dos dentes 
 Localização 
 Sexo 
 Fatores locais 
 Fatores sistêmicos 
 Idade 
 
 Escala de cor utilizada: Biotone 
 Não mostramos aos pacientes todas as tonalidades disponíveis pois eles sempre vão querer os mais 
brancos 
 Evitar utilizar as cores: 61, 77 e 81. 
 Quando há a presença de dentes com colorações distintas, podemos fazer a escolha da cor por hemi-arcos ou 
separando dentes anteriores de dentes posteriores. Abaixo, como os dentes são mais posteriores, o ideal para escolher 
a cor é colocar as duas escalas selecionadas mais próximas da região a ser reposta e depois analisar Qual a escala que 
“some” aos olhos primeiro. A cor que continuar aparecendo com o destaque, vai ser o destaque no sorriso também. 
 
 Após o teste com as escalas, devemos desinfetar os dentes. 
 
Escolha do tamanho dos dentes artificiais posteriores 
Seleção dos dentes posteriores 
1. Medição do sentido mésio-distal da mesial do primeiro pré até a distal do 2° molar 
 Ou seja, é a mesa oclusal, a qual pode ter 30mm, 32mm, 34mm 
2. Medição do sentido ocluso cervical 
 Altura (L - large, M - medium, S – small) 
 Quanto menor o espaço interoclusal, menor essa 
distância 
3. Seleção dos dentes posteriores

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.