A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
50 pág.
Apostila_Custos.pdf

Pré-visualização | Página 1 de 13

Contabilidade 
de 
Custos 
 
Apostila de Estudo 
 
O ensino de custos nos meios acadêmicos, constitui um grande 
desafio tendo em vista as dificuldades de proporcionar aos alunos, um 
contato com uma realidade sensível. 
Um sistema de custos não fornece um resultado de aplicação final e 
imediata, porém se destina a proporcionar um conjunto de dados e 
informações para suporte ao sistema decisório da empresa. 
2013 
Prof. Me. José Morais Monteiro 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
1. INTRODUÇÃO.................................................................................................. 4 
 
2. CONTABILIDADE DE CUSTOS.................................................................... 13 
2.1. ORIGEM ......................................................................................................... 13 
2.2. CONCEITO ..................................................................................................... 13 
2.3. OBJETIVO ...................................................................................................... 14 
 
3. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS APLICADOS A CUSTOS................................ 29 
3.1. PRINCÍPIO DA REALIZAÇÃO DA RECEITA............................................. 29 
3.2. PRINCÍPIO DA COMPETÊNCIA................................................................... 29 
3.3. PRINCÍPIO DO CUSTO HISTÓRICO COMO BASE DE VALOR............... 29 
3.4. PRINCÍPIO DA CONSISTÊNCIA OU UNIFORMIDADE............................ 30 
3.5. PRINCIPIO DO CONSERVADORISMO OU PRUDÊNCIA ....................... 30 
3.6. PRINCÍPIO DA MATERIALIDADE OU RELEVÂNCIA............................. 31 
 
4. TERMINOLOGIA DE CUSTOS .................................................................... 15 
4.1. CUSTO ............................................................................................................ 15 
4.2. DESPESA......................................................................................................... 15 
4.3. GASTO ............................................................................................................ 16 
4.4. DESEMBOLSO ............................................................................................... 16 
4.5. PERDA ............................................................................................................ 17 
4.6. SUCATA ......................................................................................................... 17 
 
5. CLASSIFICAÇÃO DE CUSTOS .................................................................... 18 
5.1. COM RELAÇÃO AOS PRODUTOS.............................................................. 18 
5.1.1. Custos Diretos .............................................................................................. 18 
5.1.2. Custos Indiretos ........................................................................................... 18 
5.2. COM RELAÇÃO AO VOLUME DE PRODUÇÃO....................................... 19 
5.2.1. Custos Fixos .................................................................................................. 19 
5.2.2. Custos Variáveis .......................................................................................... 20 
5.3. SEPARAÇÃO ENTRE CUSTOS E DESPESAS ........................................... 20 
 
6. MÉTODO POR CENTRO DE CUSTOS (Departamentalização) 
6.1. CENTRO DE CUSTOS.................................................................................... 23 
6.2. CENTRO DE CUSTOS PRODUTIVOS......................................................... 23 
6.3. CENTRO DE CUSTOS AUXILIARES........................................................... 24 
6.4. FORMAS DE RATEIO.................................................................................... 24 
6.5. MAPA DE LOCALIZAÇÃO DE CUSTO 
6.6. CONTABILIZAÇÃO....................................................................................... 25 
 
7. SISTEMAS DE CUSTEIO 
7.1. PRODUÇÃO POR ORDEM: Tratamento Contábil e utilização 
7.1.1. Casos Práticos 
7.2 PRODUÇÃO POR PROCESSO: Tratamento Contábil e utilização 
7.2.1. Casos Práticos 
7.3. COMPARATIVO DOS SISTEMAS DE CUSTEIO....................................... 38 
 
8. MÉDOTOS DE CUSTEIO......................................................................... 
8.1. CUSTEIO VARIÁVEL OU DIRETO 
8.1.1. Características 
8.1.2. A legislação brasileira e o custeio variável ou direto 
8.1.3. Os Custos fixos e variáveis 
8.1.4. Margem de Contribuição 
8.1.5. Custo dos Estoques 
8.1.6. Casos Práticos 
8.2.. CUSTEIO POR ABSORÇÃO 
8.2.1. Características 
8.2.2. A legislação brasileira e o custeio por absorção 
8.2.3. Custo Unitário 
8.2.4. Custo dos Estoques 
8.2.5. Comparação entre custeio variável e custeio por absorção 
8.2.6. Casos Práticos 
8.3. COMPARAÇÃO CUSTEIO DIRETO X ABSORÇÃO 
8.3.1 Casos Práticos 
8.4. CUSTEIO PADRÃO OU STANDARD 
8.4.1. Conceito 
8.4.2. Tipo de Custo Padão 
8.4.3. Fixação do padrão e orçamento 
8.4.4. Variações de Quantidades, Preços e Custo 
8.4.5. Casos Práticos 
8.5. CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES - “ABC” 
8.5.1. Importância 
8.5.2. Características 
8.5.3. Identificação das Atividades 
8.5.4. Custeando Produtos e Processos 
8.5.5. Casos Práticos 
 
9. PREÇO DE VENDA: QUANDO COMPRAR OU PRODUZIR 
9.1. Quando Comprar ou Produzir 
9.2. Capacidade de Produção 
9.3. Fixação do Preço de Venda – Mark Up 
9.4.. Casos Práticos 
 
10. MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO E PONTO DE EQUILÍBRIO 
10.1. Alocação dos Custos Fixos 
10.2. Utilização da Margem de Contribuição 
10.3. Ponto de Equilíbrio 
10.4.. Casos Práticos 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
1. INTRODUÇÃO 
 
 
O ensino de custos nos meios acadêmicos, constitui um grande desafio tendo em 
vista as dificuldades de proporcionar aos alunos, um contato com uma realidade sensível. 
Um sistema de custos não fornece um resultado de aplicação final e imediata, 
porém se destina a proporcionar um conjunto de dados e informações para suporte ao 
sistema decisório da empresa. 
Ademais, o sistema cultural vigente, não atrai estas pessoas para a nova realidade 
vivenciada no país. 
Por várias décadas o país vivia uma realidade inflacionária, onde a grande 
preocupação das empresas residia nos ganhos financeiros que, em muito sobrepujavam os 
ganhos decorrentes da produção. 
Isto posto, nesta Apostila se faz uma resumida apresentação do conteúdo de uma 
disciplina de Custos vigente, com destaque à: estruturação, finalidades e vantagens 
comparativas entre os vários sistemas. 
 
2. CONTABILIDADE DE CUSTOS 
 
2.1. ORIGEM 
 
 A preocupação com os custos teve início, basicamente, na Revolução Industrial 
com o surgimento das indústrias, pois até o século XVIII praticamente só existia a 
contabilidade financeira, que desenvolvida na era mercantilista, estava bem estruturada 
para servir as empresas comerciais. Para a apuração do resultado de cada período era feito 
o levantamento dos estoques em termos físicos. O cálculo era feito por diferença apurando 
o quanto se possuía de estoques iniciais adicionando as compras do período e comparando 
com o que ainda restava. Desta forma apurava-se o valor de aquisição das mercadorias 
vendidas, representadas pela seguinte fórmula: 
Estoques Iniciais (+) Compras (-) Estoques Finais = Custo das Mercadorias Vendidas 
Com o evento da Revolução Industrial a Contabilidade de custo teve seu grande 
desenvolvimento, quando da necessidade de