Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
MAPA Seminário e Saúde

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 
 
 
NOME: Ione Silva Ribeiro RA: 22089271-5 
MÓDULO: 2022/51 DISCIPLINA: Seminário Temático 
em Saúde, Educação e Habitação 
 
 
 
 
Diante de um caso como o estudado o profissional num primeiro momento 
deve atender a vítima com uma escuta qualificada para que esta se sinta acolhida 
sem qualquer julgamento moral, o que facilita na identificação dos casos. O próximo 
passo é prestar assistência adequada de acordo com os protocolos deixando bem 
claro (a vítima) que a violência é uma situação de alta ocorrência, tem caráter social 
e esta sociada as desigualdades nas relações de gênero. E importante também 
identificar o tempo decorrido entre a violência e a procura pelo atendimento, pois a 
partir desta confirmação que vai depender o fluxo em que a criança seguirá entre os 
serviços oferecidos pelo município. 
É necessário e se for do interesse da vítima encaminhá-la para serviços 
especializados, sendo que em casos de suspeita ou confirmação de violência o 
profissional deve notificar o Serviço de Vigilância em Saúde da Unidade, sendo a 
vítima criança ou adolescente deve se comunicar via relatório ao Conselho Tutelar. 
De acordo com o relato deste caso, é possível definir mais de uma natureza, 
como sendo principal a de abuso sexual do tipo intrafamiliar, violência sexual 
cometida contra a vontade por meio de força física com intimidação do menor, o que 
implicará prejuízos tanto a saúde psicológica, quanto a autodeterminação e 
desenvolvimento pessoal da vítima. Vejo também crime de natureza psicológica, 
pois ocorre dentro do âmbito familiar, o que abala o emocional tanto da vítima 
quanto da mãe, que neste momento pede ajuda ao mesmo tempo que se sente 
coagida a tomar atitudes contra o criminoso, pois, se sente humilhada na 
dependência financeira do agressor no que se refere ao sustento da casa e dos 
filhos. 
O profissional deve encaminhar a vítima para realizar investigação de ISTs 
(realização de exames), profilaxias (quando for o caso), notificação compulsória de 
violência (Ficha do SINAN) e agendamento para atendimento psicológico, 
2 
 
encaminhamento ao CREAS e demais serviços da rede, conforme necessidade do 
caso. É importante ressaltar que para os casos de violência sexual após 72 horas, a 
orientação para que as informações da violência sejam repassadas por telefone ou 
e-mail antes de encaminhar ao próximo serviço. O atendimento psicológico às 
vítimas de violência, na modalidade de psicoterapia individual ou coletiva, deverá ser 
oferecido pelos serviços de saúde mental do município, no âmbito do SUS. 
Mediante todas as situações citadas acima no atendimento ao UPA, e/ou 
independente de qual seja a porta de entrada da vítima de violência sexual, esta 
deve ser encaminhada aos trabalhos articulados das esquipe multiprofissionais das 
redes de atenção à saúde e de proteção social. Todos os procedimentos devem 
obedecer a mesma lógica, seguindo orientações pré-definidas, sendo que cada 
serviço é corresponsável pelo seu atendimento. 
O Conselho Tutelar deve ser acionado obrigatoriamente, pois trata-se de 
abuso sexual em menor de idade, este tem o dever de orientar e encaminhar a 
vítima sobre a denúncia de violência sexual, na sequencia encaminhando para 
realização dos exames laboratoriais necessários e o atendimento psicológico. 
 
 
Referências 
Fluxo de Atendimento a Violência Sexual 
(SUBPAV/SAP): http://subpav.org/download/prot/CLCPE/S.mulher/Smulher_Violenci
a.pdf 
 
Fluxo de atenção a criança e ao adolescente e atuação em rede na exploração 
sexual: 
ttps://www.cnmp.mp.br/portal/images/Comissoes/CIJ/2018/Enfrentamento_ao_Traba
lho_Infantil/explora%C3%A7%C3%A3o_sexual-_pdf.pdf 
 
VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR Violência Intrafamiliar - Orientações para pratica em 
serviço: (MS): http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd05_19.pdf 
 
SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Linha de cuidado da atenção integral 
3 
 
à saúde do adolescente (SMS/SUBPAV/SAP; Coordenação de Linhas de Cuidado e 
Programas 
Especiais): http://subpav.org/download/prot/CLCPE/S.adolescente/s.adolescente.pdf 
 
Linha de cuidado para atenção integral à saúde de crianças e adolescentes e suas 
famílias em situação de violência 
(MS): http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/linha_cuidado_criancas_familias_vi
olencias.pdf 
 
Protocolo de Atenção Integral A crianças e Adolescentes vítimas de violência: 
https://crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/unicef/protocolo_atencao_criancas_viti
mas_violencia.pdf. 
 
Orientações Técnicas Centro de Referência de Assistência Social – CRAS: 
https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/orienta
coes_Cras.pdf. 
 
Manual Atendimento As Vítimas De Violência Saúde Publica - 
https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_atendimento_vitimas_violencia_
saude_publica_DF.pdf 
 
 
https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_atendimento_vitimas_violencia_saude_publica_DF.pdf
https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_atendimento_vitimas_violencia_saude_publica_DF.pdf