A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
CORAÇAO

Pré-visualização | Página 1 de 9

Sistema Circulatório22
Si
st
em
a 
C
ir
cu
la
tó
ri
o
Coração
O coração (A1) é um órgão muscular oco 
com forma de cone arredondado. Situa-se na 
cavidade torácica (A), obliquamente (incli-
nado) em relação aos eixos do corpo, de tal 
maneira que o ápice do coração (AB2) está 
voltado para a esquerda, para frente e para 
baixo, enquanto a base do coração (A3) está 
dirigida para a direita, para cima e para trás. 
O tamanho do coração depende, entre outros 
fatores, do sexo, da idade e da compleição do 
indivíduo.
Morfologia externa
Vista anterior
Estrutura. Observa-se o coração em sua po-
sição natural, após a abertura do pericárdio, 
pela sua face anterior, de tal forma que a face 
esternocostal (B) fi ca exposta. A sua parede 
anterior é formada pelo ventrículo direito 
(B4) e por uma pequena parte da parede do 
ventrículo esquerdo (B5). O ventrículo es-
querdo continua-se para a esquerda e termi-
na no ápice do coração (B2). O limite entre 
os ventrículos é marcado pelo sulco inter-
ventricular anterior (B6). Aí se localizam, 
imersos no tecido adiposo, um ramo da ar-
téria coronária esquerda (r. interventricular 
anterior*) e sua veia acompanhante (v. inter-
ventricular anterior). Esses vasos preenchem 
o sulco interventricular anterior de tal modo 
que a superfície do coração torna-se lisa. No 
lado direito, o contorno do coração é formado 
pelo átrio direito (B7) e pela v. cava supe-
rior (B8). A v. cava inferior está oculta nes-
ta vista anterior. O átrio direito contém uma 
expansão sacular, a aurícula direita (B9), 
que ocupa o espaço entre a v. cava superior 
e a aorta (B10). O átrio e a aurícula direitos 
estão separados do ventrículo direito pelo 
sulco coronário (B11). Esse sulco também 
é preenchido por vasos e tecido adiposo. O 
contorno do lado esquerdo do coração é for-
mado por uma parte da aurícula esquerda 
(B12) e pelo ventrículo esquerdo. A aurícula 
esquerda localiza-se junto à divisão do tronco 
pulmonar (B13).
Vasos da base e ramos. Observando-se a 
face esternocostal do coração, vê-se clara-
mente o tronco pulmonar (B13) emergindo 
do ventrículo direito e a aorta (B10) saindo 
do ventrículo esquerdo. A aorta e o tronco 
pulmonar espiralizam-se entre si. Inicialmen-
te, a origem da aorta situa-se posterior ao 
tronco pulmonar, depois ela sobe e se dirige 
para frente como parte ascendente da aorta 
(B10a), curva-se formando o arco da aorta 
(B10b) e cruza sobre o tronco pulmonar en-
cobrindo parcialmente a sua divisão em a. 
pulmonar esquerda (B14) e a. pulmonar di-
reita (não visível anteriormente). As secções 
das margens das vv. pulmonares esquerdas 
(B15) são visíveis pouco abaixo das aa. pul-
monares. Do arco da aorta emergem os va-
sos para a cabeça e os membros superiores, o 
tronco braquiocefálico (B16), que se divide em 
a. subclávia direita (B17) e a. carótida comum 
direita (B18), a a. carótida comum esquerda 
(B19) e a a. subclávia esquerda (B20).
Na região dos vasos da base, a v. cava supe-
rior (B8), a parte ascendente da aorta (B10a) 
e o tronco pulmonar (B13) estão identifi cados 
pela secção da margem do pericárdio (B21) 
(pág. 42). Entre a margem inferior do arco 
da aorta e a margem superior do tronco pul-
monar existe uma curta faixa fi brosa, o lig. 
arterial (B22), que representa o resquício do 
ducto arterial fetal (pág. 20). O limite entre as 
faces esternocostal e diafragmática está mar-
cado, na margem direita (B23), pelo ventrí-
culo direito.
A tonalidade das cores nas ilustrações das estruturas 
internas e externas do coração corresponde larga-
mente às condições in vivo.
 * N. de T. Clinicamente, costuma-se denominar esta artéria 
como a. descendente anterior.
Si
st
em
a 
C
ir
cu
la
tó
ri
o
Morfologia Externa do Coração 23
3 
1 
A Localização do coração 
 no tórax
B Coração (vista anterior)
2 
17 
16 
19 20 18 
21 
8 
9 
7 
11 
23 2 
6 
12 
15 
14 
22 
10 b 
10 a 
10 
13 
4 5 
Sistema Circulatório24
Si
st
em
a 
C
ir
cu
la
tó
ri
o
Morfologia externa (continuação)
Vista posterior (A)
Estrutura e vasos da base. Observando-se 
o coração na sua posição natural, abrindo-se 
o pericárdio posteriormente, vê-se a base do 
coração (I) e uma parte da face inferior do 
coração, a face diafragmática (II). Vêem-se 
também as desembocaduras da v. cava supe-
rior (AB1) e da v. cava inferior (AB2), quase 
verticais, no átrio direito (AB3). O eixo lon-
gitudinal das duas veias está levemente des-
viado para frente. A separação entre as duas 
veias cavas é feita pelo sulco terminal (A4). 
No átrio esquerdo (A5), mais horizontal, de-
sembocam as vv. pulmonares direitas (A6) e 
esquerdas (A7). Na parede posterior do átrio 
esquerdo, distingue-se a secção da margem do 
pericárdio (A8). Acima do átrio esquerdo, o 
tronco pulmonar se bifurca em a. pulmonar 
direita (A9) e a. pulmonar esquerda (A10). O 
local da divisão do tronco pulmonar é cruzado 
pelo arco da aorta (A11), do qual se origi-
nam seus três principais ramos já citados, o 
tronco braquiocefálico (A12), com a a. subclá-
via direita (A13) e a a. carótida comum direita 
(A14), assim como a a. carótida comum es-
querda (A15) e a a. subclávia esquerda (A16). 
Após cruzar o tronco pulmonar, a aorta con-
tinua-se, em direção póstero-inferior, como 
parte descendente da aorta (A17).
Vista inferior (B)
A face diafragmática (II) si tua-se, em gran-
de parte, sobre o diafragma e só é observada 
por completo quando o coração é visto infe-
riormente. No átrio direito (AB3), na vizi-
nhança do eixo das duas veias cavas, vê-se 
a desembocadura da v. cava inferior (AB2) 
e da v. cava superior (AB1). A face diafrag-
mática é for mada, na sua maior parte, pelo 
ventrículo esquerdo (B18), que está sepa-
rado do átrio esquerdo pelo sulco coronário 
(B19), onde aparece o seio coronário (B20) e 
um ramo da a. coronária esquerda. O ventrí-
culo esquerdo, que pela vista inferior é ape-
nas parcialmente visualizado, está separado 
do ventrículo direito (B21) pelo sulco inter-
ventricular posterior (B22) (com o r. inter-
ventricular posterior* e a v. interventricular 
posterior).
Notas clínicas Na clínica, especialmente em re-
lação ao diagnóstico do infarto do miocárdio, 
é importante defi nir os termos parede anterior e 
parede posterior do ventrículo esquerdo. Como 
parede anterior, denomina-se a parte da pa-
rede do ventrículo esquerdo formada pela face 
esternocostal e, como parede posterior, a par-
te formada pela face diafragmática. Na parede 
anterior, distinguem-se os infartos ântero-basal, 
ântero-lateral, ântero-septal e apical; na parede 
posterior, os infartos póstero-basal, póstero-late-
ral e póstero-septal. Estes devem ser diferencia-
dos do infarto póstero-inferior ou diafragmático.
 * N. de T. Clinicamente, costuma-se denominar esta artéria 
como a. descendente posterior.
Si
st
em
a 
C
ir
cu
la
tó
ri
o
Morfologia Externa do Coração (Continuação) 25
A Coração (vista posterior)
B Coração (vista inferior)
2 
3 
1 
6 
17 
7 
20 
19 
18 
21 
22 
14 
13 
12 
11 
17 
7 
20 
9 
1 
10 
I 
I 
15 16 
6 
4 
8 
3 
5 
2 
II 
Sistema Circulatório26
Si
st
em
a 
C
ir
cu
la
tó
ri
o
Câmaras cardíacas
A seqüência de descrição das câmaras cardía-
cas segue a direção do fl uxo sangüíneo.
Átrio direito
O átrio direito (A) é formado por duas par-
tes. Na parte posterior desembocam a v. cava 
superior (A1) e a v. cava inferior (A2). Esta 
parte tem uma parede lisa que se origina, em-
briologicamente, do seio venoso. A parte an-
terior, o átrio propriamente dito, é formada 
pelo átrio embriológico original. Nesta parte 
se salienta uma musculatura cardíaca trabe-
culada para a luz do átrio, os mm. pectíneos 
(A3). Do átrio propriamente dito se origina a 
aurícula direita (A4).
Seio venoso. O orifício de desembocadura da 
v. cava superior, o óstio da v. cava supe-
rior (A1a), está dirigido ântero-inferiormente 
e não apresenta válvula. A v. cava inferior 
desemboca no ponto mais profundo do átrio 
direito. O óstio da v.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.