A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Embriologia- desenvolvimento embrionário

Pré-visualização | Página 1 de 3

EMBRIOLOGIA | Ana Flávia Medeiros
Embriologia
 
 O desenvolvimento humano inicia na 
fecundação: ovócito (célula 
germinativa) é fertilizada pelo 
espermatozoide forma zigoto (uma 
única célula) que vai fazendo divisões 
mitóticas e se desenvolvendo 
 
 
 Período embrionário: até a 8° semana 
de desenvolvimento do embrião 
 Período fetal: a partir da 9° semana 
 Maioria dos avanços ocorre entre a 3° 
e 8° semana 
 
 
 
 Reprodução humana: 
 
 Órgãos reprodutivos= produzem e 
transportam células germinativas das 
gônadas (testículo e ovário) para o sítio 
de fertilização- na tuba uterina 
 Paredes do corpo do útero: perimétrio 
(fina camada externa), miométrio 
(espessa camada de músculo liso), 
endométrio (fina camada interna) 
 
EMBRIOLOGIA | Ana Flávia Medeiros
 
 Tuba uterina- carrega os oócitos do 
ovário e os espermatozoides para o 
sítio de fertilização na ampola. 
Transportam o zigoto (resultado da 
fecundação) para cavidade uterina 
 Ovários- gônadas femininas, produzem 
os oócitos, estrogênio e progesterona. 
Oócito liberado na ovulação segue 
pela tuba uterina até o útero 
 Testículo- localizados na cavidade do 
escroto, são envolvidos pela túnica 
albugínea produz espermatozoides 
são armazenados no epidídimo, 
transportados pelo ducto deferente até 
o ducto ejaculatório e desemboca na 
uretra 
 Gametogênese: formação de células 
germinativas espermatozoide e 
ovócito são gametas 
 Cada gameta tem 23 cromossomos 
presentes nas células somáticas por 
meiose- epermatogênese oogênese. Na 
meiose o n° de cromossomos das 
células germinativas (espermatozoide e 
ovócito) se reduz de diploide (2n) para 
haploide (n), cada um com 2 
cromátides 
 Espermatogênese- espermatogônias 
ficam latentes nos túbulos seminíferos 
do testículo até a puberdade 
sofrem mitose e originam 
espermatócito primário que sofre 
meiose e torna secundário- 
espermátides—se transformam em 4 
espermatozoides maduros 
(espermiogênese) espermatozoides 
entram no lúmen dos túbulos 
seminíferos do testículo deslocam 
para epidídimo (armazenamento + 
maturação). Espermatozoides 
constituídos por cabeça (com núcleo e 
coberto por acrossomo que é uma 
organela que contém enzimas que 
facilitam a penetração na zona 
pelúcida) e cauda (motilidade) 
 
 Oogênese: oogonias (oócitos 
primordiais) se transformam em 
oócitos primários maturação no 
período fetal e conclui na 
puberdadeoócito primário conclui a 
primeira divisão meiótica um pouco 
antes da ovulação forma oócito 
 
EMBRIOLOGIA | Ana Flávia Medeiros
secundário recebe quase todo o 
citoplasma, é fertilizado por 
espermatozoide e a 2° divisão meiótica 
é completa 
 
 Ciclo reprodutivo feminino- regulado 
pelo hipotálamo, hipófise e ovários. O 
FSH (hormônio foliculoestimulante) 
estimula o desenvolvimento dos 
folículos ovarianos e a produção de 
estrógeno pelas células foliculares. LH 
(hormônio luteinizante) estimula as 
células foliculares e o corpo lúteo a 
produzir progesterona. FSH e LH 
produzem mudanças cíclicas nos 
ovários (ciclo ovariano), o FSH promove 
em cada ciclo o crescimento de 
folículos primários 
 Falha na gametogênese- falha na 
separação dos cromossomos, onde 
alguns gametas não ficam com 23 
cromossos e ao ter a fecundação 
podem ficar com 47 cromossomos por 
exemplo- monossomia, trissonomia. 
 1° semana- 
 Ocorre fecundação + divisão celular 
forma zigoto fixação no endométrio. 
 
 Espermatozoide penetra a zona 
pelúcida e se funde com a membrana 
do ovócito, se desenvolve através de 
divisões celulares e forma zigoto 
 
 
 Zigoto sofre clivagem (várias divisões 
mitóticas e resulta em forma de 
blastômero 
 
EMBRIOLOGIA | Ana Flávia Medeiros
 De 12 a 32 blastômeros= forma mórula 
 
 
 Mórula alcança o útero e forma 
cavidade blastocística 
 O blastocisto tem camada externa 
(trofoblasto) e fica aderido ao epitélio 
do endométrio, logo o trofoblasto 
começa a se proliferar e diferencia em 
2 camadas 
 
 Blástula ocorre 5 dias após a 
fertilização 
 Trofoblasto + endométrio = placenta 
 Embrioblasto ou massa celular interna 
forma o embrião 
 2° semana: 
 Blastocisto implantado no endométrio- 
células endometriais sofrem apoptose 
facilitando a fixação do blastocisto 
 Quanto mais o blastocisto implanta 
mais o trofoblasto entra em contato 
com o endométrio e se diferencia em 
2 camadas 
 Citotrofoblasto- forma novas células 
trofoblásticas que migram para massa 
de sinciotrofoblasto 
 Sinciotrofoblasto- massa multinucleada 
que produz hCG (gonadotrofina 
coriônica humana) que entra no 
sangue materno. 
 Forma disco embrionário bilaminar 
(com 2 camadas) = epiblasto + 
hipoblasto; forma camadas 
germinativas de tecidos e órgãos 
 Epiblasto- células colunares altas, tem 
mais contato com a cavidade 
amniótica, forma assoalho da cavidade 
amniótica 
 Hipoblasto- células menores cuboides 
abaixo do epiblasto, adjacente a 
cavidade exocelômica. 
 
EMBRIOLOGIA | Ana Flávia Medeiros
 
 Forma cavidade amniótica, âmnio, saco 
vitelino, pedúnculo e saco coriônico 
 Quando o âmnio, disco embrionário e 
saco vitelino primário se formam 
aparece lacunas que são preenchidas 
por sangue materno 
 Início da circulação uteroplacentária 
 Cavidade amniótica: cavidade 
preenchida por líquido amniótico e 
envolve o embrião, aparece a medida 
que o líquido amniótico se acumula 
entre as células do epiblasto e 
trofoblasto 
 Saco vitelino: estrutura membranosa 
formada pela endoderme e mesoderme 
extraembrionária, função de armazenar 
substâncias nutritivas utilizadas pelo 
embrião. Transferência de nutrientes 
para embrião durante a 2° e 3° 
semana antes que a circulação 
uteroplacentária seja estabelecida. 
Durante a 4° semana a parte dorsal do 
saco vitelino é incorporada ao embrião 
como o intestino primitivo. Células 
germinativas primordiais aparecem no 
revestimento da parede endodérmica 
do saco vitelino na 3° semana 
 Âmnio e fluido amniótico: âmnio forma 
saco amniótico que contém o líquido 
amniótico; chamado também de bolsa 
amniótica, originada da ectoderme e da 
mesoderme extraembrionária. 
 Líquido amniótico tem função no 
crescimento e desenvolvimento fetal, 
barreira contra infecção, 
desenvolvimento do pulmão fetal, 
impede aderência do âmnio no 
embrião, amortecimento, controle de 
temperatura, movimentação do feto, 
homeostase; 
 Na 11° semana o feto contribui para 
formação do fluido amniótico, 
expelindo urina na cavidade amniótica; 
líquido amniótico é engolido pelo feto 
 Saco coriônico: no final da 2° semana 
surge vilosidades coriônico. O 
mesoderma somático extraembriona´rio 
e 2 camadas do trofoblasto formam o 
cório que vai formar a parede do saco 
coriônico. 
 Vilosidades coriônicas- região rica em 
vasos sanguíneos que é formada a 
partir do trofoblasto, constituem a 
parte fetal da placenta, chamados 
também de cório viloso 
 Cório: proteção ao embrião, reveste 
cavidade coriônica. Formado pelas 
células do citotrofoblasto, 
sinciotrofoblasto e mesoderme 
extraembrionário. Dividido em liso ou 
viloso 
 Embrião + saco amniótico + saco 
vitelino são suspensos por pedúnculo 
na cavidade coriônica 
 
 
EMBRIOLOGIA | Ana Flávia Medeiros
 3° semana: 
 Aparece a linha primitiva; notocorda se 
desenvolve; 3 camadas germinativas 
 
 
 Acontece a gástrula- disco embrionário 
bilaminar passa a ser trilaminar (com 3 
camadas), sendo: ectoderme, 
endoderme e mesoderme, que originam 
tecidos e órgãos específicos. 
 Ectoderme: células menores que 
revestem o embrião externamente e se 
proliferam. Responsável pela formação 
da epiderme e anexos, epitélio de 
revestimento das cavidades nasais, anal 
e bucal, glândula hipófise, sist.. nervoso 
central e crânio, e outros. 
 Endoderme- células maiores que 
revestem internamente o arquêntero 
(cavidade embrionária, é uma espécie 
de tubo digestório do embrião, se 
comunica com o meio externo pela 
abertura do blastóporo). Responsável 
pela

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.