A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Crescimento e desenvolvimento infantil

Pré-visualização | Página 1 de 3

1 
UC7 – Tutoria | Maria Clara Cabral – 3º Período 
 
 
OBJETIVO 1 
IDENTIFICAR OS MARCOS DE DESENVOLVIMENTO DA 
CRIANÇA E AS FASES DE CRESCIMENTO (CONFORME A 
IDADE. 
 
Crescimento 
 
o O processo de crescimento ocorre desde a 
fase intrauterina, sendo influenciado por 
fatores intrínsecos (genéticos, metabólicos, 
malformações etc.) e extrínsecos 
(alimentação, higiene, saúde, habitação). 
o O crescimento adequado é um bom 
indicador de saúde da criança, por refletir 
as condições de vida dela e do meio em 
que ela vive. 
o O fator individual decorrente da herança 
genética varia na população e interfere 
também na velocidade de crescimento das 
diversas partes do corpo. 
o No entanto, as condições dadas durante 
cada etapa da vida da criança (incluindo o 
período intrauterino), irão de fato 
determinar se o potencial de crescimento 
definido pela sua carga genética será 
alcançado ou não. 
 
 
 Um bom exemplo disso é o período 
intraútero, onde se observa maior velocidade 
de crescimento e maior interferência de fatores 
externos de agressão para o feto e com 
repercussões generalizadas, tais como: 
infecções, má nutrição materna, uso de drogas 
de abuso pela mãe (tabaco, álcool e outras 
drogas). 
 
 A altura da medida do fundo uterino 
auxilia a acompanhar se o crescimento do feto 
está adequado e, tal medida, quando associada 
ao ganho de peso materno, tem sensibilidade 
de 75% para predizer bebês pequenos para 
idade gestacional. 
o O recém-nascido (RN) ao nascer mede 
aproximadamente 50 cm (meninos) e 49 cm 
(meninas), além disso, um RN que nasce 
com 3 kg costuma perder 10% do seu peso 
de nascimento na 1ª semana de vida, 
recuperando o mesmo com 10 dias. 
o A velocidade do crescimento é alta ao 
nascimento e vai desacelerando até a idade 
escolar de modo que no 1º ano a criança 
cresce cerca de 24 cm e ganha 6 kg, 
enquanto no 2o ano cresce em média 12 
cm e ganha 2,5 kg. 
o Na fase pré-escolar a criança tem o menor 
índice de massa corpórea (IMC), chegando 
ao período pré-puberal (pré-puberdade) a 
ter um “rebote” desse valor ganhando mais 
adiposidade. 
o Na puberdade ocorre o estirão puberal, 
que acontece mais cedo nas meninas 
apesar de menos amplo, levando a uma 
diferença média de 13 cm da altura do 
homem em relação à mulher. 
o A monitorização do crescimento deve 
ocorrer em todas as consultas, as quais 
podem seguir o calendário mínimo 
orientado pelo Ministério da Saúde para os 
primeiros 5 anos de vida, período este em 
que há maior vulnerabilidade das 
alterações relativas ao crescimento. 
o Os dados coletados de comprimento, peso 
e perímetro cefálico devem ser transpostos 
para as curvas presentes na Caderneta de 
Saúde da Criança onde é possível 
acompanhar sistematicamente o 
crescimento e ganho de peso, o que 
permite identificar aquelas crianças com 
maior risco de morbimortalidade ao 
sinalizar precocemente classificações como 
subnutrição ou obesidade. 
o O acompanhamento do crescimento e 
estado nutricional se dá a partir das 
medidas antropométricas, tendo por 
objetivo promover e acompanhar o 
processo de crescimento, com o intuito de 
sinalizar precocemente anormalidades 
proporcionando intervenção imediata em 
Crescimento e desenvolvimento infantil. 
 
Problema 3 – 24/03/2022 
 
 
2 
UC7 – Tutoria | Maria Clara Cabral – 3º Período 
 
casos de desvios, impedindo o progresso 
de agravos já instalados. 
 
 Avaliar o estado nutricional tem sido 
considerado cada vez mais importante na 
consulta pediátrica, pois, desse modo, é 
possível estabelecer com brevidade situações 
de risco, diagnóstico nutricional, planejamento 
de ações de promoção da saúde e prevenção 
de doenças, podendo com isso acompanhar a 
saúde da criança e para detectar precocemente 
distúrbios nutricionais, como desnutrição ou 
obesidade. 
 
o Os bebês de baixo peso ao nascer podem 
ser: 
• apenas bebês prematuros, assim 
classificados porque não completaram seu 
tempo normal de gestação e, portanto, de 
seu crescimento intra-uterino, sendo 
chamados de bebês com peso adequado 
para a idade gestacional (AIG). 
• bebês à termo (=>37 semanas) que não 
tiveram bom crescimento no útero, ou seja, 
apresentam retardo de crescimento, sendo 
chamados de pequenos para a idade 
gestacional (PIG). 
Pode ocorrer que bebês prematuros sejam 
também pequenos para a idade 
gestacional. 
• bebês grandes para a sua idade gestacional 
(GIG), como ocorre com bebês filhos de 
mães diabéticas. 
Desenvolvimento 
o O conceito de desenvolvimento é amplo e 
se relaciona aos vários aspectos que 
caracterizam a evolução humana desde a 
sua concepção, abrangendo crescimento, 
maturação, aprendizagem e aspectos 
psíquicos e sociais em uma transformação 
dinâmica, complexa e contínua. 
o É importante enfatizar tanto a importância 
da carga genética nesse processo como a 
dos fatores ambientais, sendo que estes 
podem ser otimizados com estímulos e 
experiências apropriadas. 
o A criança deve atravessar cada fase 
seguindo uma sequência com certa 
regularidade e, se não for estimulada no 
momento apropriado, não conseguirá 
superar esse atraso no desenvolvimento. 
o Por isso, a avaliação do desenvolvimento 
faz parte do conjunto de cuidados que 
visam promover uma infância saudável. 
Dado isso, o profissional deve conhecer a 
sequência da evolução das várias funções e 
os fatores que risco que podem 
comprometer esse processo. 
o O desenvolvimento compreende alguns 
domínios de função, todos interligados, 
sendo eles: 
• sensorial 
• emocional 
• linguagem 
• adaptativo 
• cognitivo 
• motor 
 
o O Teste de Denver é uma escala utilizada 
por profissionais de saúde para avaliar e 
identificar crianças entre 0 e 6 anos de 
idade com risco para atraso no 
desenvolvimento (ADNPM). 
 
 
 Essa escala não é um teste de 
inteligência, ou seja, não mede o QI da criança 
e não foi desenvolvida para diagnosticar 
distúrbios de aprendizagem ou emocional. O 
teste baseia-se principalmente na observação 
da execução dos itens, e no relato dos pais, 
comparando o desempenho de uma 
determinada criança com o desempenho de 
outras crianças da mesma idade. É dividido em 
4 áreas: 
• Pessoal-social – envolve aspectos da 
socialização da criança dentro e fora do 
ambiente familiar; 
• Motricidade fina – coordenação olho-mão, 
manipulação de pequenos objetos; 
• Linguagem – produção de som, capacidade 
de reconhecer, entender e usar a 
linguagem; 
• Motricidade ampla – sentar-se, caminhar, 
pular e os demais movimentos realizados 
pela musculatura ampla. 
https://www.medicina.ufmg.br/observaped/atraso-do-desenvolvimento-neuropsicomotor-adnpm/
https://www.medicina.ufmg.br/observaped/atraso-do-desenvolvimento-neuropsicomotor-adnpm/
 
 
3 
UC7 – Tutoria | Maria Clara Cabral – 3º Período 
 
 É importante ressaltar que o Teste de 
Denver não determina de forma definitiva um 
atraso da criança. Ele serve de alerta para um 
risco no desenvolvimento, que pode ser 
confirmado ou não por uma avaliação mais 
específica. 
 
Marcos do desenvolvimento 
 
o Caderneta da criança – parte II. 
 
REFERÊNCIAS 
 
Caderneta da criança - menino. Parte II, acompanhamento 
do desenvolvimento, pág. 78-87 e 88-100, 3ª ed. 2021. 
 
OBJETIVO 2 
CONHECER OS PARÂMETROS DE CRESCIMENTO E 
RELACIONAR COM A IDADE. 
 
Parâmetros de crescimento 
 
Priorizar os parâmetros ao nascer 
 
o Perímetro cefálico para a idade 
o Perímetro braquial para a idade 
o Perímetro torácico 
o Circunferência abdominal 
o Comprimento para a idade 
o IMC para a idade 
o Estatura para a idade 
o Peso para a idade 
o Gráfico de crianças prematuras 
 
REFERÊNCIAS 
 
Caderneta da criança - menino. Parte II, acompanhamento 
do crescimento, pág. 88-100, 3ª ed. 2021. 
 
OBJETIVO 3 
CONHECER O ESQUEMA VASCINAL INFANTIL DE 
ACORDO COM O PNI. 
A maior relevância é saber a composição das 
vacinas, a forma de aplicação delas e as suas 
contraindicações. 
REFERÊNCIAS

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.