A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
reeducacao funcional

Pré-visualização | Página 1 de 1

Princípios de Reeducação 
Funcional
Profa. Rafaela Wanderley
PRINCÍPIOS DE REEDUCAÇÃO 
FUNCIONAL
Conceito: Reeducar / Funcional 
Resgatar 
Estimular promoção da saúde
cinesioterapia 
Propriocepção 
movimento
O movimento é uma 
unidade senso-psico-
motora. 
Reabilitar é promover o 
desenvolvimento da pessoa 
portadora de deficiência até 
o mais completo potencial 
físico, psicológico, social, 
profissional e educacional, 
compatível com seu 
comprometimento fisiológico 
ou anatômico e limitações 
ambientais. 
OBJETIVOS: visa a reestruturação 
(readaptação e prevenção) da função 
perdida, seja a nível segmentar ou global, 
favorecendo o indivíduo na sua reintegração 
psico-motora sócio-profissional. 
É necessário haver uma integração de todos 
os sistemas do corpo. 
Conceito de FUNÇÃO x Movimento Repetitivo
É a execução de um ato motor cuja 
elaboração é complexa. 
A função requer uma concentração para que 
o mecanismo de percepção, mecanismo de 
decisão (a estratégia) possam ser 
elaboradas para chegar ao mecanismo de 
execução. 
O exercício trabalha estruturas anatômicas, 
fisiológicas. É repetitivo. 
A função trabalha o ser humano 
preparando-o para a realização de 
atividades no dia a dia. É evolutiva. 
A função pede um cérebro atuante, 
associando diversas áreas. 
Ex.: Numa mesma função, estão 
associados a visão, a emoção, a avaliação 
do peso, forma e textura de um objeto que 
se deseja manipular. 
O ato motor funcional está sempre ligado a 
memória a longo prazo. 
Quando executamos um movimento, comparamos 
sempre este movimento com aquele que está na 
nossa memória. 
Quando o movimento apresentar um desvio do 
conhecido, sabe-se que este não ocorrerá com 
tanta facilidade, estando sujeito a erros, portanto,a 
pessoa precisa estar atenta para correções. 
Avaliação Funcional
1. Impressão Geral 
Em poucas linhas, criar um quadro global do 
paciente incluindo relacionamento com o 
responsável, dependência física/emocional, 
comportamento, qualquer problema associado 
óbvio (por exemplo, deficiência visual, órteses). 
Os itens são diferentes para pacientes mais 
capazes e para o que está severamente 
incapacitado.
2. Habilidades e inabilidades funcionais: 
Faça um lista resumida e descreva: isso 
deve dar um quadro geral das funções do 
paciente. 
Paciente capaz:
Faça uma relação e descreva as atividades 
funcionais que o paciente pode realizar sem 
ajuda, por exemplo: comer, seqüências de 
movimentos (brincar), etc. 
Lista de habilidades e inabilidades
Exemplos habilidades:
Engatinhar, mas com muita flexão.
Usar as duas mãos, mas prefere a 
esquerda.
Consegue tomar banho (se ensaboar) 
independentemente, mas não troca de 
roupa.
Lista de habilidades e inabilidades
Exemplos Inabilidades:
Não consegue ficar em pé independente. 
Não consegue abotoar/desabotoar no 
vestir/desvestir.
Não tem meios confiáveis de locomoção.
Pacientes severamente comprometidos: 
Lembrar-se que o paciente é totalmente 
dependente em todas as suas necessidades, 
mas quando manipulado pode conseguir 
certas habilidades que podem ser descritas. 
Dê uma descrição detalhada dos como e 
porquês dos padrões posturais (leitura dos 
padrões posturais).
3. Tônus postural e os padrões de postura e de 
movimento relacionados: 
Tônus postural
Avaliação do tônus postural resulta da observação 
das posturas e movimentos, da reação ao ser 
movimentado, e da mutabilidade do tônus à 
estimulação/manipulação/técnicas de intervenção, 
deste modo, esta decisão exige as habilidade 
analíticas do terapeuta. 
Enquanto você eventualmente manipula o paciente, é 
possível observar como certas coisas são mutáveis e 
isso pode dar algumas dicas para o tratamento. 
Você deve tentar: 
Menos apoio.
Posições diferentes. 
Repostas ao manuseio. 
Tudo isso pode ser feito inicialmente 
pelo cuidador. 
Principal pergunta que você deve se 
fazer constantemente é porquê?
– Porquê tem a assimetria?
– Porquê o lado esquerdo parece mais curto? 
– Porquê o paciente consegue rolar apenas 
para o lado esquerdo? 
A outra pergunta importante é como!
Como a criança faz uma atividade – é
eficiente?
Está faltando alguma coisa, tem algum
padrão de atividade predominante?
Observe:
Quadro geral: o padrão de atividade 
predominante e sua distribuição, por 
exemplo, se tem um padrão de flexão 
predominante. É mais evidente em um 
dos lados? – Se tem assimetria, porquê? 
O que o paciente pode e não pode fazer 
em cada posição, assim como as 
seqüências de movimentos de entrada e 
de saída dessas posições. 
Por exemplo: 
– Faz alcance com as duas mãos à frente, 
mas a direita é melhor que a esquerda. Por 
quê? Isso é significativo para o apoio de 
braço.
– Consegue sentar-se, mas não libera as 
mãos nessa posição. Por quê?
– Pode andar independentemente, mas não 
fica em pé parada. Por quê? 
– Pode arrastar-se, mas usa somente os 
braços. Por quê?
– O paciente passa para sentado somente 
pelo lado esquerdo. Por quê?
METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DE PACIENTES A 
SEREM SUBMETIDOS A CINESIOATIVIDADE
INSTRUMENTO DE INVESTIGAÇÃO
A coleta de dados deve ser realizada a partir da 
aplicação de uma lista de checagem (avaliações 
funcionais) com solicitações de:
– atitudes cotidianas, detalhando as condições 
funcionais de ambos os sujeitos, de forma a 
identificar o perfil funcional de cada um, quanto ao 
desempenho psicomotor, para o espaço de 
alcance . 
INDICADOR NÍVEIS SUJEITO A SUJEITO B
Precisão Normal
Bom
Regular
Insuficiente
Freqüência Normal
Bom
Regular
Insuficiente
Tempo Normal
Bom
Regular
Insuficiente
Consistência Normal
Bom
Regular
Insuficiente
Distância Normal
Bom
Regular
Insuficiente
PROCEDIMENTO
A análise do perfil se dá pela solicitação direta 
ao sujeito para a execução das ações, 
indicadas na lista de checagem, seguida da 
observação direta do comportamento e, 
posteriormente, da demarcação do índice de 
cotação funcional de cada um deles. 
PROCEDIMENTO
O índice se constitui em escalas de 
desempenho que indicam a eficiência 
psicomotora, cuja classificação indica os 
níveis:
I (hábil), II (limitado), III (parcial) e IV (total), 
nas categorias dependente e independente.
1. Postura / mobilidade
Atitudes
Estabilização do segmento
Posiciona segmento
Caminha
Se inclina 
Rola de decúbito dorsal para ventral
Senta-se em decúbito dorsal
Senta-se apoiado nos braços
Sai e volta para cadeira
Entra e sai da cama
Senta-se ao toalete e volta a postura
Entra e sai do carro
Entra e sai do chuveiro
Procura objeto ao lado da cama
2. Destreza manual
Atitudes
Utiliza talher
Bebe no copo
Lava as mãos
Lava o rosto
Escova os dentes
Penteia cabelo
Lava cabelo
Coloca e tira peça vestuário superior
Coloca tira peça vestuário inferior
Calca e tira calçados
Ascende luz
2. Destreza manual
Opera fechadura
Abre e fecha gaveta
Dar descarga
Manipula dinheiro
Pega objeto no solo
Posiciona objetos
Manipula objetos
Transfere objeto com as mãos
Manipula em deambulação 
Realiza gestos
3 Cognição
Atitudes
Se concentra
Retém informações
Pede instruções
Inicia tarefa
Cumpre seqüência
Completa tarefa
Obrigada!!!!!!!!!!!!!!!!