A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
RESUMO - TECIDO ÓSSEO

Pré-visualização | Página 1 de 2

RESUMO – TECIDO ÓSSEO | Luís Eduardo A. C. Vasconcelos 
TECIDO ÓSSEO 
DEFINIÇÃO 
É um tipo de tecido conjuntivo especializado 
e denso devido à alta mineralização 
(principalmente por cálcio) da MEC, a matriz 
óssea também é extremamente abundante em 
colágeno. É um tecido vascularizado, inervado e 
possui elevada plasticidade (capacidade de se 
adaptar e se moldar em diversas situações) 
FUNÇÕES 
Sustentação, rigidez, proteção de órgãos, 
reserva de Ca, P e Mg o que é essencial para a 
manutenção do equilíbrio iônico do corpo, reserva 
de tec. adiposo na medula amarela, reserva de 
tec. hematopoiético. 
TIPOS DE TECIDO ÓSSEO 
• Osso esponjoso 
✓ Também chamado de substância esponjosa 
ou osso trabecular. 
✓ Formados pelo cruzamento em todas as 
direções de finas estruturas chamadas de 
trabéculas (responsável pelo aspecto 
esponjoso). 
✓ O espaço oco é ocupado por medula óssea. 
✓ A nutrição ocorre por capilares sinusoides 
(capilares que formam redes com outros 
capilares devido as suas diversas 
ramificações. 
 
• Osso compacto 
✓ Também chamado de substância cortical ou 
compacta. 
✓ Formada por massa compacta, condensada 
e organizada. 
✓ Devido a sua organização condensada não 
é possível observar os espaços a olho nu. 
✓ Nutrição ocorre pelos canalículos dos 
osteócitos (prolongamentos das células 
maduras do tecido ósseo -osteócitos-). 
Ocorre a comunicação entre células 
adjacentes através dessas estruturas e a 
passagem de nutrientes por elas. A 
mineralização da MEC dificulta a difusão de 
nutrientes, então essa estratégia de nutrição 
passou foi adotada pelo tecido ósseo. 
 
 
 
✓ A organização dos osteócitos no osso 
compacto se dá em lamelas concêntricas 
(“anéis”) e no meio dessas lamelas estão 
presentes os canais de Havers (estima-se 
que em torno de cada canal estejam em 
média 15 lamelas concêntricas e o conjunto 
dessas lamelas com o canal formam o 
sistema de Havers) por onde passam vasos 
e nervos e são responsáveis pela nutrição 
dos osteócitos adjacentes, a partir de onde 
vai ocorre o transporte pelos canalículos. 
✓ Comunicando os canais de Havers de um 
osso estão os canais de Volkman ou 
perfurante. 
✓ A rede formada por esses canais é a 
responsável pela manutenção do tecido 
ósseo e é essencial para sua sobrevivência. 
 
RESUMO – TECIDO ÓSSEO | Luís Eduardo A. C. Vasconcelos 
✓ Espaço em que não ocorre a formação das 
lamelas: sistema intermediário (espaço em 
que está osso em formação ou reabsorção). 
 
Obs.: As células do tecido ósseo apresentam 
lacunas, assim como o tec. cartilaginoso porem 
com a função de preservar MEC não mineralizada. 
PARTES DE UM OSSO (LONGO) 
• Diáfise: A maior área do osso (corpo ósseo), ou 
seja, a região entre as áreas de crescimento. 
• Epífise: extremidade óssea, recoberta por 
cartilagem articular do tipo hialina. 
• Metáfise ou disco epifisário: disco de cartilagem 
que separa a diáfise da epífise durante o 
período de crescimento. 
• Periósteo: Membrana externa de tecido 
conjuntivo denso que envolve a diáfise (só não 
recobre a região articular) e se fixa a ela pelas 
fibras de Sharpey (fibras colágenas). Possuem 
células osteoprogenitoras (células-mãe) e 
osteoblastos (camada e interna) e uma região 
vascularizada e inervada (camada externa). 
• Endósteo: Tecido conjuntivo que reveste 
internamente o osso (separa osso compacto de 
esponjoso). Possuem células 
osteoprogenitoras e osteoblastos. 
Obs.: a população de células progenitoras diminui 
ao longo da vida, isso é um dos principais motivos 
para a maior frequência dos problemas ósseos 
com o decorrer da idade. 
 
 
PREPARADO HISTOLÓGICO 
• Descalcificação: Banho em ácido > 
Remoção de sais de Ca > rotina de coloração 
o Ponto positivo: ótima visualização da MEC 
o Ponto negativo: Ocorre deformação dos 
osteócitos pelo acido 
 
• Por desgaste: Fragmento de tecido é 
fixado > desgaste por fricção entre duas placas. 
o Ponto negativo: possibilidade de destruir 
algumas estruturas e o acumulo do 
material desgastado nas cavidades. 
ESTÁGIOS DE MATURAÇÃO ÓSSEA 
• Osso primário ou imaturo: 1° formado, 
primórdio do osso fetal e na reparação óssea 
Rico em osteócitos e colágeno não-modelado 
• Osso secundário ou maduro: osso organizado 
em lamelas circunferenciais 
Rico em Ca e as fibras colágenas estão 
organizadas em feixes 
 
RESUMO – TECIDO ÓSSEO | Luís Eduardo A. C. Vasconcelos 
CARACTERÍSTICAS HISTOLÓGICAS 
• Matriz óssea: Substância extracelular com 
material orgânico e inorgânico. 
Composta por uma parte orgânica (colágeno 
majoritariamente do tipo I + proteoglicanos e 
proteínas de adesão) e uma inorgânica (sais 
inorgânicos – principalmente Ca e P em 
cristais de hidroxiapatita e Mg) e essas partes 
são as responsáveis pelas características 
macroscópicas desse tecido. O colágeno 
confere elasticidade e os sais dureza e 
resistência a compressão 
• Lacunas/espaço periosteocítico: Onde ficam 
os osteócitos 
• Canais de Havers: Canais para a passagem 
de vasos e nervos circundados por lâmina de 
osteócitos 
• Sistemas de Havers/Ósteons corticais: Canais 
de havers e suas estruturas + 15 lâminas 
concêntricas 
 
 
 
• Canais de Volkman: Canal que estabelece a 
comunicação entre os canais de Havers e 
entre as regiões interna e externa do osso 
 
 
 
• Lâminas intersticiais: Regiões irregulares do 
osso com ósteons degradados 
• Células osseas: 
Célula mesenquimal indiferenciada 
↳ Células osteoprogenitoras 
↳ Osteoblastos (célula jovem) 
↳ Osteócito (célula madura) 
1. Células osteoprogenitoras 
✓ Origem das células mesenquimal 
indiferenciada 
✓ Presentes no periósteo 
✓ Sofrem mitose e diferenciação em osteoblastos 
(podem se diferenciar em condroblastos em 
condições de baixa oxigenação) 
✓ Atuam na vida fetal, na fase de crescimento e 
na reparação de fraturas 
2. Osteoblastos 
✓ Células formadoras dos ossos 
✓ Início da produção da matriz óssea orgânica 
✓ Quando nas lacunas recebem o nome de 
osteócitos 
✓ É possível analisar a formação óssea pela 
dosagem de fosfatase alcalina sanguínea 
(substância liberada pelos osteoblastos) 
3. Osteócitos 
✓ Célula óssea madura 
✓ Possuem canalículos para nutrição por difusão 
do osso 
 
 
 
Células osteogênicas 
e 
Osteoblastos 
 
Osteócitos 
 
RESUMO – TECIDO ÓSSEO | Luís Eduardo A. C. Vasconcelos 
 
 
 
4. Osteoclastos 
✓ Células multinucleadas originadas da medula 
óssea (não se sabe exatamente de quais 
células ela foi originada). 
✓ Promovem a degradação óssea pela secreção 
de enz lisossômicas (ácidas). Esse processo 
ocorre no compartimento sub osteoclástico. 
✓ Localizam-se em cavidade endosteais (lacunas 
de Howship). 
✓ Sofrem apoptose após a degradação óssea. 
.
 
REABSORÇÃO ÓSSEA 
I. A anidrase carbônica dos osteoclastos estimula 
a acidificação do espaço sub osteoclástico, 
promovendo a dissolução do material 
inorgânico. 
II. Outras enzimas como a colagenase degradam 
a matriz óssea descalcificada. 
III. Os minerais absorvidos e o material é 
endocitado são encaminhados aos capilares 
próximos. 
OSSIFICAÇÃO 
Formação do tecido ósseo, por síntese e secreção 
de matriz óssea orgânica pelos osteoblastos, com 
posterior mineralização. 
O processo é de dois tipos: ossificação 
intramembranosa e endochondral 
Ossificação intramembranosa: 
Acontece no tecido conjuntivo primitivo fetal e 
origina alguns ossos do esqueleto fetal (ossos 
chatos do crânio, maxilar superior e inferior). 
Células mesenquimais dão origem aos 
osteoblastos que secretarão matriz óssea 
orgânica que será posteriormente mineralizada a 
partir dos centros de ossificação. 
Tecido mesenquimal indiferenciado > Formação 
de centros de ossificação > Células 
osteoprogenitoras > Osteoblastos transformando-

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.