Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO

Pré-visualização | Página 1 de 6

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO 
 
PERGUNTAS 
1) Como fazer a avaliação do crescimento? Quais os parâmetros mais 
utilizados? 
2) Quais as fases do desenvolvimento infantil? Como é mensurado 
 
3) O que é obesidade infantil e sobrepeso ? Quais as consequências? 
A obesidade é um problema pediátrico de saúde pública importante 
associado ao risco de complicações na infância e ao aumento da 
morbidade e mortalidade na vida adulta. A prevalência de obesidade 
infantil vem aumentando, e sua prevenção e tratamento emergiram 
como foco importante de pesquisas pediátricas e assistência clínica; A 
obesidade dos pais está relacionada com maior risco de obesidade em 
seus filhos. Fatores pré-natais, incluindo o ganho de peso durante a 
gravidez, peso elevado ao nascer e diabetes gestacional estão 
associados ao risco de desenvolver obesidade mais tarde. 
Paradoxalmente, a restrição de crescimento intrauterino seguida por 
crescimento súbito no início da infância está associada a 
adiposidade central e risco cardíaco; 
Os profissionais da saúde definem obesidade ou aumento de 
adiposidade usando o índice de massa corporal (IMC), que é um 
excelente substituto para a mensuração da medição mais direta de 
gordura corporal. IMC = peso em kg/(altura em metros2 ). Os adultos 
com IMC ≥ 30 satisfazem o critério de obesidade e os com IMC entre 25 
e 30 apresentam sobrepeso. Durante a infância, os níveis de gordura 
corporal mudam, começando com uma adiposidade elevada nos 
lactentes. Os níveis de gordura corporal diminuem por 
aproximadamente 5,5 anos até o período chamado rebote de 
adiposidade, quando a gordura corporal tipicamente encontra-se em 
seu nível mais baixo. Depois, a adiposidade aumenta até o início da 
vida adulta. Consequentemente, a obesidade e o sobrepeso são 
definidos pelos percentuais de IMC. Crianças com mais de 2 anos de 
idade com IMC maior ou igual ao percentil 95 satisfazem o critério 
de obesidade e aquelas com índice entre os percentis 85 e 95 caem 
na faixa de sobrepeso. A terminologia usada para a obesidade infantil 
era “sobrepeso” e “risco de sobrepeso”. Essa terminologia foi alterada 
para melhorar a uniformidade com os critérios de adultos e com as 
definições internacionais de obesidade infantil. 
Vários neuropeptídeos do cérebro, incluindo o neuropeptídeo Y, o 
peptídeo relacionado ao gene agouti e a orexina, parecem estar 
envolvidos na estimulação do apetite, enquanto as melanocortinas 
e o hormônio estimulante da melanocortina estão envolvidos na 
saciedade. O controle neuroendócrino do apetite e do peso ocorre 
em sistema de feedback negativo equilibrado entre o controle de 
curto prazo do apetite (inclusive grelina, PYY) e o controle de longo 
prazo da adiposidade (inclusive leptina). 
As comorbidades mais imediatas incluem diabetes tipo 2, 
hipertensão, hiperlipidemia e esteatose hepática não alcoólica A 
resistência à insulina aumenta com o aumento da adiposidade e 
afeta de forma independente o metabolismo lipídico e a saúde 
cardiovascular. A esteatose hepática não alcoólica ocorre em 10%-
25% dos adolescentes obesos e pode progredir para cirrose. 
 
 
CRIANÇA EM IDADE ESCOLAR: 
Durante o período escolar (6-11 anos de idade), anteriormente 
conhecido como latência, as crianças se separam progressivamente dos 
pais e procuram a aceitação de professores, outros adultos e de seus 
pares. A autoestima passa a representar um problema importante 
porque a criança desenvolve a capacidade cognitiva de considerar ao 
mesmo tempo sua própria autoavaliação e a percepção do modo como 
os outros a veem. Pela primeira vez, ela é julgada de acordo com sua 
capacidade de gerar um produto final socialmente valorizado, como ter 
boas notas, tocar um instrumento ou fazer gols. As crianças são 
pressionadas para agir de acordo com o estilo e os ideais do grupo de 
crianças com as quais convive 
DESENVOLVIMENTO FÍSICO (6-11) 
O crescimento das partes média e inferior do rosto ocorre gradualmente. 
A perda dos dentes decíduos (de leite) é o sinal mais marcante da 
maturação e tem início por volta dos 6 anos. A substituição total por 
dentes adultos ocorre em aproximadamente 4 anos; assim, por volta dos 
9 anos, a criança tem oito incisivos e quatro molares permanentes. A 
erupção dos pré-molares ocorre com 11-12 anos de idade (Cap. 299). 
Os tecidos linfoides se hipertrofiam, provocando, às vezes, o 
aparecimento de amígdalas e adenoides impressionantes. A força 
muscular, a coordenação motora e o vigor físico au 
A força muscular, a coordenação motora e o vigor físico aumentam 
progressivamente, assim como a habilidade para executar movimentos 
complexos, como dançar ou jogar basquete. As habilidade motoras de 
ordem mais elevada resultam tanto do amadurecimento quanto de 
treinamento; o grau de alcance reflete ampla variabilidade da 
capacidade inata, do interesse e da oportunidade. Tem havido um 
declínio geral da atividade física entre as crianças em idade escolar. 
Nessa idade, os hábitos sedentários estão associados a aumento do 
risco de obesidade e de doença cardiovascular por toda a vida (Cap. 
44). O número de crianças acima do peso e o nível desse excesso de 
peso está crescendo; embora a proporção de crianças com sobrepeso 
tenha aumentado no último meio século em todas as faixas etárias, essa 
taxa cresceu mais de quatro vezes nas crianças de 6-11 anos (Tabela 
11-1). Apenas 8% das escolas exigem aulas de atividades físicas 
diárias. Um quarto dos jovens não se engaja em qualquer atividade 
física em seu tempo livre, embora o recomendado seja de 1 hora por 
dia. 
Implicações para Pais e Pediatras A idade escolar, em geral, é um 
período de excelente saúde. No entanto, as crianças têm tamanhos, 
formas e capacidades variáveis. As crianças dessa idade fazem 
comparações entre elas mesmas e as outras, despertando sentimentos 
sobre seus atributos físicos e capacidades. O receio de serem 
“defeituosas” pode induzi-las a evitar situações que revelem suas 
diferenças físicas, como aulas de ginástica ou exames médicos. As 
crianças com incapacidades físicas reais podem enfrentar estresses 
especiais. Riscos médicos, sociais e psicológicos tendem a ocorrer 
conjuntamente. As crianças devem ser arguídas sobre sua atividade 
física regular. A participação em esportes ou em outras atividades 
organizadas pode estimular suas habilidades, o trabalho em equipe e a 
aptidão física, além do sentimento de realização, mas a pressão 
excessiva das competições, quando a atividade deixa de ser prazerosa, 
tem efeitos negativos. As crianças pré-púberes não devem praticar 
esportes de alto estresse e alto impacto, como levantamento de peso e 
futebol americano, porque sua imaturidade esquelética aumenta o risco 
de traumas. 
 
 
 
ADOLESCENCIA: Avaliação do crescimento 
Um componente fundamental do acompanhamento da saúde em 
pediatria é a avaliação do crescimento da criança. O crescimento resulta 
da interação entre genética, saúde e nutrição. Muitos problemas 
biofisiológicos e psicossociais podem afetar o crescimento de forma 
adversa, sendo que o crescimento anormal pode ser o primeiro sinal de 
um problema subjacente. A ferramenta mais poderosa para avaliar o 
crescimento é o gráfico do crescimento (site em 
www.elsevier.com.br/ expertconsult), usado em conjunto com 
medidas precisas de altura, peso, circunferência cefálica e cálculo 
do índice de massa corporal (IMC). 
Os problemas desenvolvimentais-comportamentais são as 
condições mais comuns da infância e adolescência. Quando 
associados à reprovação escolar e a índices de abandono escolar, 
a prevalência chega a atingir uma em cada quatro ou uma em cada 
cinco crianças. Em ambientes de baixa renda dentro das cidades, os 
índices de abandono escolar podem chegar a 50%. Se a intervenção for 
realizada antes do ingresso na escola, é possível evitar muitos 
problemas (e melhorar possivelmente todos). A
Página123456