A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Traumato-ortopedia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Traumato-ortopedia 1
🦴
Traumato-ortopedia
IGOR LUIS FREIRE ALMEIDA - MEDICINA UniFG
Fraturas ortopédicas
� Perda da continuidade óssea.
Terminologias.
Localização no osso → ossos longos.
Meio → diáfise.
Extremidade → epífises proximais e distais.
Entre extremidade e meio → metáfise.
Maior vascularização → sangramento.
Consolidação mais facilitada.
Fise → em crianças, placa para crescimento longitudinal.
Lesão de partes moles.
Fechada → não “rasga a pele”.
Aberta ou exposta.
Contaminação óssea.
Denominações especiais.
🌿Galho verde (criança): fratura + envergadura.
Tórus (criança): amassa ao invés de quebrar.
Por estresse/fadiga: trauma crônico em repetitivo - em bailarina, esportista, soldado.
Patológica: osso frágil por doença prévia; trauma de baixa energia; osteoporose, tumor ósseo.
TTO.
Redução (alinhar).
Fechada/incruenta → manipulação.
Aberta/cruenta → cirúrgica.
Estabilização.
Traumato-ortopedia 2
Aparelho gessado.
Cirurgia → fio, placa, parafuso, fixador externo, haste intramedular (fraturas grandes).
Complicações.
Da fratura.
Lesão arterial (rara).
SD compartimental (contratura de Volkmann - causa pela fibrose de um m. lesado).
Embolia gordurosa (fratura de ossos longos - rico em gordura amarela) / TEP.
Osteomielite.
Do TTO.
Consolidação viciosa (deformidade por consolidação defeituosa).
Acentuado → refazer fratura para refazer consolidação.
Pseudoartrose (não-consolidação > 9 meses).
Fraturas exposta
Osso em contato com ambiente externo.
1. ATLS.
2. Curativo estéril + imagem.
3. ATB (em até 1h) + profilaxia antitetânica.
4. Cirurgia (em até 24h).
Desbridamento.
Limpeza mecânica (3-9 L de solução salina).
Estabilização da fratura.
Classificação de Gustillo-Anderson.
Traumato-ortopedia 3
Cefalosporina 1ª G → gram + (pele).
Aminoglicosídeo + cefa 1ªG → gram + e -.
PAF de alta energia = grupo III, independentemente do tamanho.
Classificação de Tscherne.
1 - Lesão cutânea por fragmento ósseo perfurante. Pouca ou nenhuma contusão da pele; fratura geralm. simples.
2 - Qualquer laceração cutânea com contusão simultânea circunscrita ou contusão de partes moles e moderada 
contaminação; qualquer tipo de fratura.
3 - Grave dano às partes moles, pode ter lesão vasculonervosa associada, fraturas com isquemia grave e 
cominuação; acidentes em ambientes rurais e contaminados com materiais orgânicos; sd. compartimental.
4 - Amputação traumática total ou subtotal, com necessidade de reparo arterial para manter vitalidade do membro 
distalmente.
Fratura fisária �.
Na cartilagem de crescimento.
Classificação de Salter-Harris.
Traumato-ortopedia 4
Fratura de fêmur proximal.
Colo ou transtrocanteriana/intratrocanteriana.
Mais frequente em mais velhos com osteoporose.
Postura: encurtamento e rotação externa.
Transtrocanteriana/intratrocanteriana.
Cirurgia nas primeiras 48h.
Colo → pode comprometer perfusão da cabeça femural → isquemia e necrose avascular da cabeça do fêmur.
Cirurgia nas primeiras 12h!
Luxação
Traumato-ortopedia 5
� Perda da congruência (”vai e fica”); urgência ortopédica maior do que uma fratura!
Pode lesionar estruturas vizinhas, comprimir artérias e nervos.
Cotovelo → n. ulnar.
Joelho → a. poplítea; n. fibular.
Quadril, esp. posterior → n. ciático.
Subluxação da cabeça do rádio ou pronação dolorosa do ombro.
Causa → elevar criança com membro superior estendido.
Clínica → membro em pronação fixa.
Manobra de redução → supinação e flexão.
Luxação do quadril.
Causa típica → batida de carro.
Traumato-ortopedia 6
Riscos → lesão n. ciático, necrose avascular, osteoartrite.
Postura → em adução e rotação interna.
Manobras.
de Allis.
de Stimson.
Luxações dos MMSS
Acromioclavicular.
Sinal da tecla.
Incidências → AP e Rockwood (vê o acrômio).
Glenoumeral.
Mais comum.
Sinal da dragona.
90% anterior / posterior: convulsão e choque.
Incidências → AP verdadeiro, perfil escapular, velpeau view.
Cotovelo.
2ª mais comum.
90% posterior.
Incidências → AP, perfil, greasper.
Luxações dos MMII.
Joelho.
Trauma de alta energia; 50% - redução espontânea.
Incidências → AP e perfil.
Palpar pulsos pedioso, poplíteo e retro maleolar.
Quadril.
Traumas de alta energia; 90% posterior.
50% - fratura associada.
Incidências → AP, perfil e cross table.
Traumato-ortopedia 7
Entorse
� Perda momentânea da congruência articular (”vai e volta”).
Tornozelo (virar o pé para fora).
Mais comum → lateral (inversão).
Lesão → lig. talofibular anterior.
Dor óssea à digitopressão ou incapacidade de dar alguns passos → RX para excluir fratura associada.
TTO: RICE.
Repouso.
Ice (gelo).
Compressão.
Elevação.
Lesão do tendão de Aquiles
Teste de Thompsom.
Paciente deitado em decúbito ventral, com pés para fora da maca.
Examinador comprime músculo da panturrilha.
Negativo → discreta flexão plantar.
Positivo → ausência de flexão plantar = lesão do tendão.
Incidências radiográficas
Zanka → perfil da clavícula; tira a sobreposição da escápula.
Ducroquet → impacto acetabular.
Síndrome do manguito rotador
Clínica.
Dor no ombro, dificuldade na abdução do braço e redução da força no membro.
Piora da dor à noite ou em repouso.