A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
IMPLANTAÇÃO E PLACENTAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

IMPLANTAÇÃO / NIDAÇÃO 
 É o contato físico após a dissolução da ZP, entre 
 o trofectoderma e o endométrio; a duração da 
 implantação varia de acordo com o tipo de 
 desenvolvimento placentário; 
 BOVINO 17-20d EQUINO 17-56d 
 CAPRINO/OVINO 14-18d SUÍNO 12-16d 
 CARNÍVORO 12-18d 
 PLACENTAÇÃO 
 A placenta é um órgão intermediário que serve 
 para suprimento de oxigênio e nutrientes, 
 remoção de detritos metabólicos, produção e 
 secreção de hormônios, fatores de crescimento 
 fetal e regulação do ambiente uterino do feto; 
 A placentação é a interação dos vilos do cório 
 com as criptas da mucosa uterina; 
 VARIAÇÃO ENTRE AS ESPÉCIES: 
 FORMA (ANATÔMICA) 
 DISCOIDAL: área do cório com formato de disco se une ao 
 estroma endometrial; 
 Ocorre erosão total do tecido materno e a parte fetal da 
 placenta fica em contato direto com o sangue materno; 
 ZONÁRIA: os vilos coriônicos ocupam uma faixa na região 
 equatorial do saco coriônico, onde se unem ao 
 endométrio (carnívoros); 
 O cório penetra no epitélio uterino e mantém uma relação 
 muito próxima com os capilares maternos; 
 DIFUSA: maior parte do saco coriônico está unida ao 
 endométrio por pregas ou vilos (porca, égua); 
 Os vilos se interdigitam com depressões correspondentes no 
 epitélio uterino e as trocas fisiológicas acontecem através de 
 toda esta superfície; 
 COTILEDONÁRIA: os cotilédones unem-se, as carúnculas; as 
 estruturas materna e fetal combinam- se para formar os 
 placentomas (ruminantes), os únicos pontos de troca 
 materno-fetal; 
 • Bovinos: placentoma convexo 
 • Peq. Rum.: placentoma côncavo 
 INTERAÇÃO ENTRE CÓRIO E ÚTERO (HISTOLOGIA) 
 Número de camadas que separa o sangue materno do 
 fetal; seis camadas celulares funcionam como barreiras 
 potenciais para o transporte de nutrientes e gases entre a 
 mãe e o feto; o número de camadas dos componentes 
 teciduais maternos varia com as espécies: portanto, as 
 placentas são também classificadas com base no número 
 de camadas de tecido uterino: endotélio fetal, conjuntivo 
 fetal, epitélio fetal, epitélio materno, conjuntivo 
 materno e endotélio materno; 
 FETO TEC MATERNO CLASSIFICAÇÃO CAMADAS 
 Trofoblasto 
 (Corio) 
 Epitélio Epiteliocorial 6 
 Conjuntivo Sinepiteliocorial / 
 Sindesmocorial 
 6-5 
 Endotélio Endoteliocorial 4 
 Sangue Hemocorial 3 
 *sinepiteliocorial à células binucleadas 
 ADERÊNCIA 
 ADECÍDUA (semiplacenta): o descolamento do epitélio 
 coriônico ocorre sem perdas de porções da mucosa 
 uterina e sem hemorragia, permanecendo a placenta 
 retida no interior do útero, por um curto período; 
 DECIDUA (placenta verdadeira): ocorre, no momento do 
 parto, o descolamento placentário da parede do útero, 
 com desprendimento e hemorragia da mucosa uterina, 
 sendo os anexos fetais eliminados juntamente com o feto; 
 Equinos: as vilosidades do cório fetal se 
 distribuem uniformemente, sendo a placenta do 
 tipo difuso ; além desta, a égua apresenta 
 placenta do tipo epiteliocorial ; as trocas gasosas 
 são feitas por meio dos microcotilédones; 
 Aos 34 dias de gestação inicia-se a ligação das células do 
 cálice ao endométrio materno, ocorrendo a invasão do 
 epitélio em torno de 36 dias, e o englobamento deste aos 
 37 dias; aos 38 dias a invasão do estroma está completa; 
 ESPÉCIE FORMA TIPO ADERÊNCIA 
 EQUINO Difusa Epiteliocorial Adecídua 
 SUÍNO Difusa Epiteliocorial Adecídua 
 RUMINANTE Cotiledonária Sinepiteliocorial / 
 Sindesmocorial 
 Adecídua 
 CARNÍVORO Zonaria Endoteliocorial Decídua 
 PRIMATA/ROEDOR/ 
 LAGOMORFO 
 Discoidal Hemocorial Decídua