A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
trabalhonorma

Pré-visualização | Página 1 de 1

1- Leitura dos capitulos 26, 27 e 28 - as aventuras de ngunga
2- Introdução: Biografia do autor
3- Resumo da obra (primeiros capítulos)
A obra fala de um menino de 13 anos. Logo no inicio do romance ha uma caracterização deste personagem.
Ngunga é um menino órfão de 13 anos. Os pais foram surpreendidos pelo inimigo, um dia nas lavras. Os colonialista abriram fogo. O pai que já era velho, foi morto imediatamente. A mae tentou fugir, mas uma bala atravessou-lhe o peito. Só ficou Mussango, que foi apanhada e levada para o Posto.
Passaram quatro aanos, depois desse triste dia. Mas Ngunga ainda se lembra dos pais e da pequena Mussanga sua irmã quem brincava o tempo todo.
Ngunga era um menino llivre. Por não ter familia, vivia se deslocando de um lugar para outro. Apesar de ser apenas um garoto, era tratado como adulto. Ngunga era crítico e observador.
O menino passa a viver no Kimbo do presidente Kafuxi apos sentir não ter mais motivos para viver em sua aldeia.
Ngunga foi adotado pelo ppresidente. Mas apesar de ser adotado por Kafuxi, sua vida não melhorou em nada; pelo contrario, piorou. Ngunga foi explorado pelo presidente do Limbo. Por mais que trabalhasse não tinha reconhecimento e era maltratado.
Ngunga por ter a vida que tinha, não confiava nos adultos, achava que todos eram egoistas. E então, parte novamente sem rumo em busca de uma nova realidade. Ate que um dia, conhece Uassamba e se apaixona. Mas como todo romance não poderia ser diferente , esse amor é marcado por conflitoa. A paixão, não podia ser correspondida, apesar dela também se apaixonar por ele. Pois, já era casada com um homem bem maia velho. E então, Ngunga marcam de fugir. E Uassamba não aceita por ser casada, e por ter sido vendida pela familia. Com isso, Ngunga se interessa a estudar afim de mudar o mundo.
4- Contexto histórico e analise: Ingrid
O contexto historico , no qual se insere a oobra, é de guerra civil dos angolanos contra os colonialistas portugueses. Por isso, o espaço do romance é em um ambiente de guerrilha. O povoado estava em clima de guerra contra os colonialistas.
O casamento entre mulheres jovens e homens mais velhos era um costume social.
Em relação aos aspectos e costumes sociais temos varias passagens na obra que remetem aos mesmos. Um costume presente na obra, é o fato de um homem poder casar-se com varias mulheres. Uassamba era a quarta mulher de Chipoya. 
Existe na obra um incentivo educativo, Ngunga percebe a importante de estudar. Com isso, nos faz perceber que com o estudo somos superior e temos o poder da voz. Enquanto, ele não estudava tinha a voz silenciada e com o estudo agora, Ngunga vai atraz de um mundo melhor.
As relações possíveis entre tradição e identidade desencadeiam o interesse de teóricos em diversos aspectos dos saberes pós-coloniais. Tomar conhecimento dessas 
tradições nos permite compreender o processo de fixação da identidade angolana. Nesse conto, esclarece a relação entre as tradições tribais e o processo de construção da identidade da nação angolana presentes na ficção As aventuras de Ngunga, 
do escritor Pepetela. Via de regra a literatura angolana traz consigo a procura pela identidade nacional, Pepetela é um dos autores pós-colonistas que discute esse assunto. Na ficção “As aventuras de Ngunga” essa discussão é apresentada aos guerrilheiros que serão educados por essa cartilha. Para dar fôlego ao debate será analisada a relação entre tradição, identidade e nação bem como um breve apanhado histórico da independência de Angola. Conclui-se, portanto, que a obra analisada nesta 
pesquisa exerce um papel de grande relevo na luta pela independência de Angola, vez que alia 
a busca pela liberdade concretizada nas ações bélicas e no pensamento político, com a 
construção literária que dá substrato para a criação de uma identidade cultural.
.