Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
HAYANDS - 22 08 2022 - RELATO DE EXPERIENCIA EM UMA REDE DE FRIO

Pré-visualização | Página 1 de 3

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM 
ENSINO CLÍNICO EM SAÚDE COLETIVA PRÁTICO 
 
HAYANDS BATISTA ALVES 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA À REDE DE FRIO 
Meu relato de experiência nesta visita técnica 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
TERESINA 
2022 
 
 
SUMÁRIO 
 
1. INTRODUÇÃO .................................................................................................... 03 
2. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ........................................................................ 04 
3. AVALIAÇÃO DA VISITA TÉCNICA..................................................................... 12 
4. REFERÊNCIAS ................................................................................................... 13 
3 
 
VISITA TÉCNICA AO DEPARTAMENTO DA REDE DE FRIO FMS 
1. INTRODUÇÃO 
No dia 15 de junho de 2022 no período das 14:00 às 16:00 horas, foi realizada 
uma visita técnica com os estudantes do curso de Enfermagem da Faculdade Estácio-
Teresina, ao Departamento Coordenação de Imunização da Rede de Frio Municipal, 
na cidade de Teresina- Piauí. A Coordenação está localizada na rua Abid Salim Tajra, 
S/N no Bairro Marquês, CEP 64003-260. 
O horário de funcionamento está disponível, às regionais básicas de saúde, 
por 24 horas de sobreaviso, para executarem serviços imprevistos para substituição 
ou resgate de vacinas por oscilações na rede elétrica ou falta desta. Também atende 
em horário especial, para o apoio de campanhas locais e/ou campanhas extramuros. 
A visita foi realizada com a orientação do enfermeiro responsável pelo 
departamento e pela professora da disciplina Ensino Clínico em Saúde Coletiva na 
modalidade prática. 
Rede de Frio é um sistema amplo, com equipe técnico-administrativa 
orientada pelo PNI (Política Nacional de Imunização), por meio de normatizações, 
planejamentos, avaliação e financiamento para que haja manutenção adequada da 
cadeia de frio, respeitando a conservação dos imunobiológicos, desde o laboratório 
produtor até o usuário, respeitando as etapas de recebimento, armazenamento, 
distribuição e transporte, assegurando a preservação de suas características originais. 
A estrutura da Rede de Frio permeia as três esferas de gestão e esta é organizada 
em instâncias: Nacional, Estadual, Regional (conforme estrutura do estado), Municipal 
e Local, com fluxos de armazenamento e distribuição (BRASIL, 2017.A; 2017.B). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
2. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 
Ao chegarmos à visita técnica no Departamento da Rede de Frio, a professora 
nos explicou a importância que a Enfermagem tem no progresso da mesma. Já iniciou 
a explicação com o conceito de Rede de Frio e Imunização, abordando que esta é 
uma das áreas da saúde de responsabilidade da enfermagem e que a mesma deve 
ter o domínio, pois é necessário que o profissional entenda toda a cadeia desta rede, 
para que ele possa trabalhar com total responsabilidade, pois neste tipo de Unidade 
não podemos conclui-la como um local isolado, sendo assim uma cadeia. Lembrou 
também que a cadeia é um tipo de modalidade que permite otimizar a trajetória do 
imunobiológico a todo o país, mantendo suas condições preservadas até a chegada 
ao consumidor final. No entanto, é necessário respeitar as técnicas de procedimento 
para a manutenção, sendo necessário um treinamento com todos os profissionais de 
forma adequada para que possa manter os padrões da temperatura, controle do 
imunobiológico e a manutenção de forma adequada. 
 
Imagem 1: Explicação do Enfermeiro da Rede de Frio sobre a rotina do Enfermeiro em uma Rede de 
Frio. 
Fonte: Arquivo pessoal. 
 
A Rede de Frio é uma estrutura técnico-administrativa onde estão inseridas: 
normatização, planejamento, avaliação e financiamento e o seu direcionamento está 
voltado para a manutenção adequada da Cadeia de Frio. A Cadeia, é representada 
pelo processo logístico que é o recebimento, armazenamento, distribuição e 
transporte dos imunobiológicos da Rede. A sala de vacinação é a instancia final da 
Rede de Frio, onde os procedimentos de vacinação são executados, como por 
exemplo, nas ações de rotina, campanhas e outras estratégias. Na sala de vacinação, 
todas as vacinas devem ser armazenadas entre +2°C e +8°C, sendo ideal +5°C 
(BRASIL, 2014). 
5 
 
O Departamento de frio na cidade de Teresina é uma estância municipal e 
trabalha com o tipo de regime local, sendo este um sistema de armazenamento 
diferente. A professora frisou que, de acordo com o Manual de Normas e 
Procedimentos para Vacinação não é mais recomendado o uso de geladeira 
doméstica em salas de vacinas, devendo ser armazenadas em câmaras frias. 
Foi visualizado também que a rotina dos imunobiológicos vai desde a saída 
do laboratório credenciado, segue em caminhões do tipo frigorífico de câmara fria e 
segue até a cadeia Nacional. A partir da Cadeia Nacional será despachada para a 
Estadual e da Estadual vai para Municipal. Quando chega no departamento de frios 
de Teresina, a equipe de enfermagem faz a conferência da quantidade recebida e 
logo após faz a distribuição para todas as 104 unidades de vacinação instaladas na 
cidade de Teresina, assim como as zonas rurais. Então, lidar com este tipo de insumo 
requer seriedade e competência principalmente com a parte de controle de estoque 
de material de instituição. 
 
Imagem 2: Da esquerda para direita: Câmara Fria com a identificação das unidades básicas e 
vacinas; logo após, técnica em enfermagem acomodando as vacinas que chegaram da UBS. 
Fonte: Arquivo pessoal. 
 
Foi ressaltado também que o Enfermeiro responsável, deve-se atentar a 
prestação de contas e notas dos imunobiológicos, desde a solicitação, pedido e 
liberação até o despache propriamente dito às unidades básicas, tudo isso passa nas 
mãos enfermeiro para se obter o controle. 
Se por ventura houver uma queda ou falta de energia em uma determinada 
unidade de saúde e se o horário estiver compatível com o horário de trabalho é de 
responsabilidade da enfermagem informar à Rede de Frio sobre o ocorrido, para que 
o departamento faça a remoção das vacinas e que a mesma não perca a sua 
6 
 
eficiência. Porém, se o horário não for a do expediente a responsabilidade se 
depositará no vigia da unidade básica, o mesmo é orientado a somente realizar a 
ligação ao departamento para que uma equipe plantonista seja encaminhada a este 
estabelecimento e faça retirada dos insumos para que estes sejam armazenados de 
forma correta na própria Rede de Frio. 
Foi-nos comunicado que a Rede de Frio também conta com a enfermeira. 
Esta enfermeira é a plantonista da rede, sendo também a responsável pelo setor de 
controle de distribuição. 
O enfermeiro chefe responsável que é encarregado pela Rede de Frio, nos 
informou como é a sua rotina de trabalho. Ele no relatou que trabalha com uma 
equipe de 8 funcionários, sendo distribuídos em: o Enfermeiro chefe responsável, 
Enfermeira Coordenadora do estabelecimento), Enfermeira responsável pelo setor 
de controle de distribuição, três técnicos em enfermagem e mais dois plantonistas 
que estão sempre à disposição a cada plantão e também responsáveis pelo 
armazenamento, controle e transporte de vacinas para mais de 104 salas, frisou 
também que hospitais, unidades básicas de saúde e zonas rurais estão inclusas 
neste processo existindo também os extramuros. 
O trabalho do enfermeiro na Rede de Frio é de realizar o controle diário da 
temperatura pelo termômetro de cabo extensor. A unidade disponibiliza o digital e o 
de milímetro de mercúrio, o enfermeiro lembrou que as vacinas devem ser 
armazenadas entre +2°C e +8°C, sendo a temperatura ideal +5°C, pois é preconizado 
pelo o Ministério da Saúde. Deve-se também realizar a avaliação dos pedidos mensais 
que as unidades básicas fazem, relacionando com os insumos recebidos pela rede 
Estadual. A enfermagem responsável pela Rede de Frio, deverá atentar, se
Página123