Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Embriologia do SN

Pré-visualização | Página 1 de 1

- Sistema Nervoso - 
| Embriologia | 
 
Introdução 
• O Sistema Nervoso é composto por duas 
regiões principais: 
◘ Sistema Nervoso Central, que inclui o 
encéfalo e a medula espinhal. 
◘ Sistema Nervoso Periférico que inclui 
os neurônios fora do SNC, nervos e 
gânglios cranianos e os nervos e gânglios 
espinais. O Sistema Nervoso Autônomo 
é composto por neurônios aferentes e 
eferentes, nos quais os últimos são 
inseridos no SNP. 
Cronologia 
• O Sistema Nervoso é originado a partir do 
ectoderma. 
• Durante a 3ª semana de gestação ocorre o 
desenvolvimento da placa neural e sulco neural 
na parede posterior do embrião. 
• Durante a 4ª semana, especificamente no 
processo de neurulação, ocorre a fusão das 
pregas neurais, formação do tubo neural e do 
canal neural. 
• O tubo neural se diferencia em Sistema 
Nervoso Central. 
• A crista neural dá origem as células que 
formam o Sistema Nervoso Periférico e o 
Sistema Nervoso Autônomo. 
• Ocorre a abertura do neuroporo rostral e 
dorsal, no qual, o fechamento ocorre no final da 
4ª semana. 
• Células neuroprogenitoras da parede do tubo 
neural se espessam para formar o encéfalo e 
a medula espinhal, enquanto o canal neural 
forma o sistema ventricular do encéfalo e o 
canal central da medula espinhal. 
Medula Espinhal 
• Origem: parte caudal da placa neural e da 
eminência caudal. 
• O ácido retinóico tem papel fundamental no 
desenvolvimento da medula espinhal. 
• O tubo neural caudal ao 4º par de somitos se 
desenvolve e gera a medula espinhal. 
• A princípio, a zona ventricular do tubo neural 
(mais interna) é composta por um neuroepitélio 
pseudoestratificado colunar. As células 
neuroepiteliais organizam uma camada mais 
interna da medula espinhal denominada camada 
ependimária ou zona marginal (mais externa, 
próximo às meninges). 
 
• A zona ventricular dá origem à neurônios e 
células macrogliais, enquanto a zona marginal dá 
origem à substância branca da medula espinhal. 
• A zona intermediária é formada por 
neuroblastos, que são neurônios primordiais. 
• O espessamento das paredes e 
adelgaçamento das placas do teto e do assoalho 
formam o sulco limitante gerando a placa alar e 
a placa basal. Na placa alar, as fibras que 
chegam são sensitivas ou aferentes. Na placa 
basal, as fibras que saem são motoras ou 
eferentes. 
• Na placa alar encontra-se corpos celulares e 
núcleos aferentes. Na placa basal encontra-se 
corpos celulares e raízes ventrais dos nervos 
espinhais. 
Meninges 
• Origem: mesoderma que circunda o tubo 
neural. 
• Divide-se em três camadas: dura-máter (mais 
externa), aracnoide-máter (intermediária) e a 
pia-máter (mais interna). 
• Na separação entre pia-máter e aracnoide 
cria-se no espaço subaracnóideo, no qual passa 
o líquor, que se forma a partir da 5ª semana 
de gestação. 
• A medula espinhal sofre alteração de posição 
diante do crescimento da coluna vertebral. 
 ◘ 24 semanas: até o nível de S1. 
 ◘ Neonato: até o nível de L2-L3. 
 ◘ Adulto: até o nível de L1. 
 
Encéfalo 
• Origem: neuroectoderma do tubo neural 
acima do 4ª somito. 
• A partir do final da 4ª semana ocorre a fusão 
das pregas neurais e fechamento do neuroporo 
rostral formando três dilatações, que são 
denominadas as três vesículas encefálicas 
primárias. 
1. Prosencéfalo (encéfalo anterior). 
2. Mesencéfalo (encéfalo médio). 
3. Rombencéfalo (encéfalo posterior). 
• Durante a 5ª semana de desenvolvimento, 
formam-se as vesículas encefálicas 
secundárias. 
◘ O Prosencéfalo dá origem ao 
Telencéfalo e ao Diencéfalo. 
◘ O Mesencéfalo continua em 
desenvolvimento. 
◘ O Rombencéfalo dá origem ao 
Metencéfalo e ao Mielencéfalo. 
• Após o desenvolvimento da 5ª semana, as 
estruturas geradas dão origem a outros 
derivados adultos. 
◘ As paredes do Telencéfalo dão 
origem aos hemisférios cerebrais. As 
cavidades do Telencéfalo dão origem aos 
ventrículos laterais. 
◘ As paredes do Diencéfalo dão origem 
ao tálamo, hipotálamo, epitálamo, 
glândula pineal e hipófise. As cavidades 
do Diencéfalo dão origem ao terceiro 
ventrículo. 
◘ As paredes do Mesencéfalo somente 
se desenvolvem e permanecem com o 
mesmo nome. As cavidades do 
Mesencéfalo dão origem ao aqueduto. 
◘ As paredes do Metencéfalo dão 
origem à ponte e ao cerebelo. As 
cavidades do Metencéfalo dão origem à 
parte superior (teto) do quarto 
ventrículo. 
◘ As paredes do Mielencéfalo dão 
origem ao bulbo. As cavidades do 
Mielencéfalo dão origem à parte inferior 
(assoalho) do quarto ventrículo. 
 
Flexuras Encefálicas 
• Surgem durante a 5ª semana de 
desenvolvimento. 
• A flexura mesencefálica e cervical são 
produzidas pela curvatura ventral do encéfalo 
e da cabeça. 
◘ A flexura cervical marca a divisão 
entre o rombencéfalo e a medula 
espinhal. 
• A flexura pontina é produzida pelo 
crescimento mais acelerado do encéfalo. 
◘ A flexura pontina divide o 
rombencéfalo nas porções rostral 
(metencéfalo) e caudal (mielencéfalo). 
Plexo Corioideo 
• O plexo corioideo resultado da proliferação 
ativa da pia-máter que causa invaginação do 
teto do quarto ventrículo. 
◘ Plexos semelhantes desenvolvem-se 
no teto do terceiro ventrículo e paredes 
mediais dos ventrículos mediais. 
• O líquor é secretado pelo plexo corioideo e 
percorre os ventrículos e todo o espaço 
subaracnóideo. A sua produção, secreção e a 
reabsorção são extremamente controladas.