Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Resinas Compostas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Resinas Compostas 
estágio atual e perspectivas 
 
Lembrar: tensão, deformação, modulo de 
elasticidade, coeficiente de expansão térmico-linear, 
dúctil x friável, polímero, contração de 
polimerização, fator C, bulk-fill 
Definição ⤑ é um polímero 
 
Composição ⤑ o que varia são os tipos de 
compostos 
o Matriz orgânica 
o Carga inorgânica 
o Agente de união 
o Acelerador-iniciador 
 
Matriz orgânica 
Monômeros BIS GMA ou UDMA ⤑ possuem alto 
peso molecular, alta viscosidade e baixo poder de 
penetração 
 
Diluentes TEGDMA ⤑ produz consistência de pasta, 
mas age na contração da polimerização da resina 
 
 
 
Carga inorgânica 
Presença de partículas de vidro, quartzo e/ou sílica 
de diferentes tamanhos, formas e quantidades 
É o composto responsável por diminuir a absorção 
de agua, reduzir a contração de polimerização, 
diminuir o coeficiente de expansão térmico-linear e 
aumentar a resistência ao desgaste 
Agente de união 
É uma molécula anfótera que promove a união entre 
a parte orgânica e a parte inorgânica de uma resina 
composta. Geralmente é um silano. 
Iniciadores aceleradores 
É responsável pela reação de polimerização 
Propriedades ideais de uma resina composta 
 Resistência ao 
desgaste 
 Resistência à 
fratura 
 Lisura superficial  Resistência à 
fratura 
 Estabilidade de cor  Boa radiopacidade 
 Expansão 
higroscópica 
controlada 
 Expansão térmica 
similar à estrutura 
 
 
Classificação 
o Escoamento ⤑ compactável, 
convencionais, flow 
o Tamanho das partículas de carga ⤑ 
macropartículas, micropartículas, híbridas, 
microhíbridas, nanohíbridas, nanopartículas 
Resinas compactáveis 
 Maior resistência à abrasão e à 
compressão 
 Pouco desgaste da superfície 
 Contração de polimerização ≤ 2% 
 Alta densidade, o que possibilita uma 
melhor escultura, acomodação e obtenção 
de ponto de contato 
Resinas convencionais 
 Melhora nas propriedades 
 Podem ser usadas em áreas de grandes 
esforços 
 Lisura superficial melhorada 
 Maior contingente de marcas atuais 
 Indicação universal 
 Dispositivos e técnicas especiais para 
fazer um contato proximal 
 
Resinas flow 
 Indicações restritas: para alto desgaste de 
superfície, cáries incipientes, reparos de 
restaurações e selantes 
TODAS AS RESINAS COMPOSTAS SE 
CONTRAEM, MAIS OU MENOS, mas 
contraem 
 Regulariza cavidades e amortece choques 
 Menor estresse interno de contração, 
ajuda no vedamento marginal 
Macro partículas 
Partículas de 15 a 100µm com 60 a 65% de carga. 
Possuía um problema de lisura. Era mais usado para 
dentes posteriores, devido à necessidade de maior 
resistência 
Micropartículas 
Partículas de 0,01 a 0,1µm com 30 a 50% de 
carga. Mais usado para dentes anteriores, devido a 
menor necessidade de resistência e maior 
necessidade de lisura 
Híbridas 
Partículas de 0,6 a 5 µm com 60 a 65% de carga 
Microhíbridas 
Combinação de partículas de 0,4µm e partículas 
maiores que 2 µm com 60% de carga. Melhor 
balanço entre resistência e lisura 
Nanopartículas 
Partículas de 20 a 75nm com 60% de carga. É 
exclusividade da 3M 
Nanohíbridas 
Partículas entre 0,04 e 3µm com 60% de carga. É 
exclusividade da 3M 
 Propriedades mecânicas iguais as da resina 
híbridas e microhíbridas 
 Baixa contração de polimerização e alta 
resistência ao desgaste 
 Lisura superficial superior À das resinas 
de micropartículas 
 Manutenção do brilho superficial 
 Elas funcionam em relação as 
micropartículas devido ao comportamento 
das partículas que, durante o polimento, 
são removidas dos nanoaglomerados, sem 
os retirar por direito. Isso causa uma lisura 
de superfície menor 
Vantagens 
 
 
 
 
 
Desvantagens 
 
 
 
 
 
Contração de polimerização 
 
 
 Após a contração 
 
 
Processo de polimerização 
1. Fase pré-gel 
2. Ponto gel 
3. Fase pós-gel 
 
Fator C de configuração cavitária 
 
 
 
Quanto maior o fator C, pior a contração de 
polimerização 
 
Estética 
Adesividade 
Reforça a estrutura 
remanescente – forma um 
corpo único novamente 
 
Preservação da estrutura 
dental 
Radiopacidade 
Facilidade de reparo 
 
Contração de polimerização 
Resistencia ao desgaste 
 
Técnica sensível 
Dificuldade do 
restabelecimento do ponto 
de contato proximal 
 
Como contornar a contração de polimerização? 
 
 Técnica incremental: contornando o fator 
C 
 Técnica de fotopolimerização por soft-
start ou por pulso tardio: aumenta o 
tempo da fase pré-gel 
 
 
 
 
Resinas bulk-fill 
São resinas que podem ser utilizadas em 
incrementos únicos convencionais ou flow. Elas 
possuem menor estresse de tensão de 
polimerização. 
É feita com um incremento único de ate 5mm e é 
fotopolimerizado por 10s em cada face. 
Sua coloração é mais acizentada/translúcida para 
que a luz atija os 5mm 
 
Cuidados ⤑ potência do fotopolimerizador (800 a 
100Mw/cm²), translucidez da resina, adaptação da 
matriz e cunha 
Resinas supra-nanométricas 
Resinas com partículas de tamanho de 100-300nm 
esféricas de forma monodispersas 
Possuem um “efeito camaleão”: devido a difração da 
luz e a composição de vidros esféricas, “puxa a cor 
do dente”. Brilho e polimento bons, desgaste muito 
baixo 
Sistemas VITA ⤑ é a escala base para escolha de 
cor 
Sistemas não-VITA ⤑ saturação, opacidade e 
feito 
Resinas multicromáticas ⤑ efeito camaleão, 
resina única que se adapta a coloração do dente 
Resinas universais ⤑ resinas “simplificadas”, 8 
cores correspondente a todas as cores da escala 
VITA clássica 
Indicações para uso de resinas compostas 
o Restaurações de classes I,II, III, IV e V 
o Lesões cervicais não-cariosas 
o Cimentação de restaurações indiretas 
o Restaurações indiretas e PPF 
o Colagem de fragmentos dentários 
o Mascarar descolorações 
o Selamento de fossulas e fissuras 
o Reparos (resina, cerâmica e amálgama) 
o Recontorno dental 
o Colagem de brackets 
o Fechamento de diastemas 
o Selamento apical