Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
84 pág.
Micropaisagismo Aula3

Pré-visualização | Página 1 de 3

Micropaisagismo 
1. Introdução 
• Micropaisagismo: é todo o trabalho de remodelação da 
paisagem, em terrenos com área inferior a 1000m2 
 
• Incluem-se: ↪ jardins de residências, ↪ jardins comerciais, 
 sejam eles internos ou externos. 
• O planejamento de um jardim deve iniciar antes da 
conclusão definitiva da construção 
– Alguns elementos como: acessos, floreiras, caminhos 
– Projetados pelo paisagista 
 
2. Jardins residenciais e 
comerciais 
• As residências (casa ou edifícios), podem 
apresentar, na sua composição: 
– Jardins internos 
– Jardins externos 
 
• Construções comerciais (loja, galeria, shopping, 
...) podem apresentar áreas para jardins. 
2. Jardins residenciais e 
comerciais 
• Jardins são definidos de acordo com: 
– Estilo da construção 
– Desejos do proprietário 
– Cores das paredes 
– Paisagem do local 
– Clima 
 
• De modo que fiquem integrados a residência 
 ou estabelecimento comercial 
• Constituindo parte desta e não uma estrutura a parte 
2.1 Levantamento do local e das 
necessidades para construção de um 
jardim 
• Para iniciar um projeto 
– Há necessidade a planta da casa 
• com as representações das construções e dos limites 
 
– Deve-se levantar os elementos já existentes como: 
postes, fiação, redes subterrâneas, árvores, 
palmeiras, etc. 
• Realizar um cadastro, relacionando as 
características da área, como: 
 
– Estilo da construção 
– Orientação da construção em relação aos pontos 
cardeais 
– Clima 
– Incidência de sol e sombra 
– Tipo de solo 
– Presença de elementos naturais → pedras, troncos 
– Presença de veículos e pedestres 
• para prever a funcionalidade do jardim, caminhos, linhas de vista 
 
– Necessidade de proteção contra ruídos e poeira 
– Desejos do proprietário 
• Um projeto pode ser realizado: 
 
– Em área onde não haja nada realizado ainda 
relacionado ao paisagismo; 
 
– Onde algumas estruturas e plantas já existam; 
 
– Uma reformulação de um jardim; 
 
• Nesses casos, deve-se realizar um levantamento, locando as 
estruturas e/ou plantas existentes na área 
 
Alguns itens a serem observados 
• Necessidade de sol 
 
– Por ex: observar a disposição das janelas 
 
– O sol da manhã é desejável nas residências 
 
• Não se deve usar plantas de porte alto nesses locais 
 
• Em locais úmidos, rebaixados, necessita-se do sol pelo calor 
e também, pela luminosidade. 
 
• Necessidade de sombreamento 
 
– No período da tarde, o sol, geralmente, não é 
desejável nas edificações 
• Pelo excesso de aquecimento proporcionado 
• Vegetação deve ser usada objetivando impedir a insolação e 
evitar o aquecimento excessivo a tarde 
 
– Em consultórios médicos (algumas especialidades), 
outros tipos de consultórios, escritórios, lojas, o sol 
não é aceito 
• As plantas devem servir, também, como impedimento 
http://www.tropicalpaisagismo.com.br/images/resid_artur_1.jpg
• Necessidade de vedação de linhas de vista 
 
– Muito comum em residências ↪ procurar vedar a 
linha de vista da vizinhança ou dos transeuntes na 
parte frontal. 
 
 
– A vegetação deve ser planejada com esse objetivo 
• Proporcionando maior privacidade aos proprietários 
• Necessidade de vedação de ruídos 
– Ruídos (por exemplo o trânsito) podem ser 
atenuados utilizando-se a vegetação 
 
 
• Piscina 
– Geralmente programada no projeto arquitetônico 
– O paisagista tem a função de ornamentar o seu 
entorno 
• Pátio para lazer e/ou área de recreação para 
crianças 
 
 
– Muitas vezes já planejadas no projeto arquitetônico 
– O paisagista pode definir os elementos que 
constituirão esta área 
• Bancos 
• Tipos e estilos de brinquedos 
• Caixa de areia, etc. 
 
– Podem ser constituídos de área de sombra ou área 
ensolarada, ou ambas 
• Depende dos anseios do proprietário e dos usuários que 
frequentarão 
http://4.bp.blogspot.com/_MGlG9mRRhus/R4vzJZG5gCI/AAAAAAAAAMk/mwub4_qzfxs/s1600-h/arquiteto++Aquiles+Nicolas+Kilaris+-+novidade+XIII.jpg
http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://images01.olx.com.br/ui/1/44/22/12804222_4.jpg&imgrefurl=http://blumenau.olx.com.br/parquinho-infantil-de-madeita-rolica-escorregador-casa-do-tarzan-balanco-carrossel-iid-12804222&usg=__QHIIxz5e13IMTSu4dkmTNP4UnLw=&h=480&w=580&sz=82&hl=pt-BR&start=5&um=1&tbnid=5zG97P811xpz8M:&tbnh=111&tbnw=134&prev=/images%3Fq%3Dbrinquedos%2Bde%2Bparquinho%2Bmadeira%26ndsp%3D20%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN%26um%3D1
• Quiosques e churrasqueiras 
 
 
– Itens previstos no projeto arquitetônico 
 
– Paisagista projeta a vegetação de acordo com o estilo 
destas construções 
 
http://www.tropicalpaisagismo.com.br/images/resid_americana_5.jpg
• Áreas de silêncio 
 
– Caracterizam principalmente as áreas próximas aos 
dormitórios 
 
– Essas áreas devem ser levantadas para evitar 
– a presença de estruturas ou setores que permitam a 
ocorrência de barulhos ou ruídos 
• Áreas nobres 
 
– Observar quais são elas 
– Geralmente correspondem às áreas de entrada e 
de espera 
– Nestas áreas deve-se “elaborar” mais o projeto, 
utilizando plantas de maior valor ornamental 
 
• Áreas para entrada de veículos 
– São áreas que exigem grande visibilidade e 
segurança 
– Evitar vegetação que possa causar obscuridade ou 
que limite a visão 
http://www.studiodamata.com.br/ServicosDetalhesItem.asp?Id_Servico=2&NoItem=10
• Hortas 
 
– De acordo com o interesse do proprietário 
 
• Devem ser projetadas com áreas destinadas ao cultivo de 
plantas olerícolas, medicinais e/ou aromáticas 
 
• Jardins internos ou “de inverno” 
 
– São áreas também previstas no projeto arquitetônico 
 
– Deve-se observar a localização, a incidência de sol, 
ventilação, 
 ↪ prever o tipo de vegetação a ser utilizada 
 
• Jardim de inverno = denominação usada nos países de clima 
temperado 
 
• Hoje ⇔ jardins internos 
http://3.bp.blogspot.com/_XyB_tansraY/SfT7ob4f6TI/AAAAAAAAANU/9B3ipz0-g8k/s1600-h/jardim+de+inverno6.jpg
• Vasos 
– Paisagista deve observar o 
ambiente e a decoração 
 ↪ e então, planejar os vasos que irão 
compor o local 
 
• Circulação 
 
– Determinar quais os caminhos destinados à 
circulação 
 
– Pode-se sugerir o tipo de pavimentação para o 
ambiente 
 
• Neste caso, especificar o tipo mais adequado de piso para a 
área em questão 
 
• Sombreamento 
 
 
– Essencial conhecer e demarcar as áreas de 
sombreamento provocadas 
 
• Pela disposição da residência, de muros, de árvores 
existentes, ... 
 
 
• De acordo com a trajetória solar diária para cada estação do 
ano 
 Desejos e anseios do proprietário 
 
 
 Manifestações de suas preferências em relação ao 
estilo a ser adotado para o jardim 
 
 Podem determinar algumas espécies que devem ser 
cultivadas 
 O paisagista deve, sempre que possível, atender a estes 
desejos e anseios 
 ↪ proporcionar um bom nível de satisfação ao cliente 
• Disponibilidade para manutenção do jardim 
 
 
– O paisagista deve conhecer os hábitos e interesses 
do proprietário 
 
 
• Em função disso, o jardim poderá ser mais ou menos 
exigente ou prático em relação a sua manutenção 
 
 Presença de crianças e animais 
 
 
 É preciso saber se desejam destinar parte do jardim às 
crianças e se haverão animais na área a ser planejada 
 
 
 
 Nesse caso, devem ser evitadas a utilização de plantas com 
espinhos e/ou tóxicas 
Plantas tóxicas 
Amarílis Antúrio 
Comigo ninguém pode 
Coroa de Cristo 
Costela de Adão 
2.2 Jardins internos 
• Criados com o objetivo de aproximar mais o 
homem da natureza 
 
• Podem apresentar abertura na parte superior 
– Recebe luminosidade e chuva diretamente 
Ou 
• Fechados, cobertos com estrutura de vidro ou 
policarbonato 
• Jardim interno pode ser: 
– Uma simples floreira 
– Até uma estrutura de vários m2 
 
 
• Geralmente situam-se em locais mais 
sombreados 
 
– Exigindo uma adequação
Página123