Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
251 pág.
Cadeia produtiva do açai

Pré-visualização | Página 1 de 50

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS 
 
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DO AMBIENTE E 
SUSTENTABILIDADE NA AMAZÔNIA 
DOUTORADO ACADÊMICO 
 
 
 
 
 
 
A CADEIA DE VALOR DO AÇAÍ: UMA ESTRATÉGIA 
SISTÊMICA NA CONSERVAÇÃO DOS 
AGROECOSSISTEMAS AMAZÔNICOS NO MUNICÍPIO DE 
CARAUARI-AM 
 
 
 
 
JHASSEM ANTÔNIO SILVA DE SIQUEIRA 
 
 
 
 
 
 
Manaus - Amazonas 
Julho - 2018 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS 
CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE 
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DO AMBIENTE E 
SUSTENTABILIDADE NA AMAZÔNIA 
DOUTORADO ACADÊMICO 
 
 
 
A CADEIA DE VALOR DO AÇAÍ: UMA ESTRATÉGIA 
SISTÊMICA NA CONSERVAÇÃO DOS 
AGROECOSSISTEMAS AMAZÔNICOS NO MUNICÍPIO DE 
CARAUARI-AM 
 
 
Orientador: Dr. Henrique dos Santos Pereira 
 
 
 
Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em 
Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia 
PPG-CASA, da Universidade Federal do Amazonas, como 
requisito parcial para a obtenção do título de Doutor em 
Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, 
área de concentração Conservação de Recursos Naturais. 
 
 
 
Manaus - Amazonas 
Julho - 2018
iii 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FICHA CATALOGRÁFICA 
 
 
 
JHASSEM ANTÔNIO SILVA DE SIQUEIRA 
 
 
A cadeia de valor do Açaí: uma estratégica sistêmica na conservação dos 
agroecossistemas amazônicos no município de Carauari-AM 
 
 
Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e 
Sustentabilidade na Amazônia PPG-CASA, da Universidade Federal do Amazonas, como 
requisito parcial para a obtenção do título de Doutor em Ciências do Ambiente e 
Sustentabilidade na Amazônia, área de concentração Conservação de Recursos Naturais. 
 
 
Aprovado em: 31/08/2018 
 
 
 
BANCA EXAMINADORA 
 
 
Prof. Dr. Henrique dos Santos Pereira 
 Universidade Federal do Amazonas – UFAM 
 Presidente 
 
Prof. Dr. Jackson Fernando Rego Matos 
Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA 
Membro Titular 
 
Prof. Dr. Gil Vieira 
Instituto de Pesquisa da Amazônia – INPA 
Membro Titular 
 
Profa. Dra. Therezinha Fraxe 
Universidade Federal do Amazonas - UFAM 
Membro Titular 
 
Prof. Dr. Hiroshi Noda 
Instituto de Pesquisa da Amazônia – INPA 
Membro Titular 
 
Profa. Dra. Suely de Souza Costa 
Instituto de Pesquisa da Amazônia – INPA 
Membro Titular 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
À minha mãe, Balbina Silva do Nascimento. 
À minha família, Claudia Patrícia, Zíllam Lennon e Lívia Ellen. 
Aos meus irmãos, Igor Nascimento e Marinete Siqueira. 
Ao meu avô, João Pereira do Nascimento (In memoriam). 
OFEREÇO 
 
A minha avó, Alzira Ramos da Silva, e ao seringueiro Chico Mendes (In memoriam) 
Aos homens e mulheres que vivem em complementariedade com a Floresta 
Amazônica 
DEDICO 
 
AGRADECIMENTO 
À Deus e as demais entidades santificadas pela proteção e energia na condução de minhas 
ações. 
A todos de minha família Nascimento, de forma especial pela força ao longo do caminho da 
Vida. 
A todos os professores de minha trajetória acadêmica que comungaram de seus saberes para a 
realização deste momento, em especial a saudosa Dra. Sandra do Nascimento Noda (In memoriam), ao 
orientador Dr. Henrique dos Santos Pereira e ao Dr. Frédéric Mertens, pessoas fundamentais para a 
realização desta obra. 
A todos do PPG-CASA, em especial Dra. Therezinha Fraxe, Dr. Carlos (Tijolo), Fernandinha, 
Luiz. Aos amigos do mestrado de 2014. Aos amigos (as) de turma: Sandro Lira, Eloisa Gadelha, Alíria 
Noronha, Wagner Mateus, Geise Canalez, Eliana Noda, Gisele Uchoa, Meire Pereira, Sylvia Forsberg, 
João Tezza, Jurandir Dutra, Raimundo Vitor, Christiane Rodrigues, Carlitos Sitoie, que me 
abrilhantaram com suas amizades ao longo desta jornada. 
Ao Núcleo de Etnologia na Amazônia Brasileira (NETNO), à Rede de Estudo em 
Agroecossistemas Amazônicos, ao Núcleo de Socioeconomia (NUSEC) e ao Instituto Acariquara - 
Organização de Serviços Socioambientais Sustentáveis, pela amizade, contribuição, colaboração e 
energia positiva. 
A todos da ASPROC, do Memorial Chico Mendes, da AMPAER, da AMARU, do IDAM, da 
Agroindústria Açaí Tupã, do ICMBio de Carauari, da FAS, do Instituto Coca-Cola Brasil, da SEMA, 
do Território Médio Juruá, pela receptividade e apoio na realização da pesquisa. Aos produtores de 
açaí do PA Riozinho, da RESEX Médio Juruá e RDS de Uacari pela receptividade, companheirismo, 
colaboração e boa vontade no fornecimento das informações. 
Aos amigos que surgiram ao longo da pesquisa, De Açúcar e família, Adevaldo Dias, Rosi 
Batista, Manoel Cunha, Manoel do Alcides, Francisco (Bolo), Edervan Vieria e família, Caboco e 
família, Tota e família, Joaquim Cunha e família, Ronivon (IDAM), Samir Chagas, valeu meus 
prezados pelo acolhimento e contribuição. 
Ao Programa Pró-Amazônia: Biodiversidade e Sustentabilidade (CAPES) e à Universidade 
Federal do Amazonas pelo apoio financeiro. Aos amigos Pedro Mariosa, Noeli Moreira, Jhon Lemos, 
Dra. Suely Costa, Dra. Suzy Pedrosa, Dra. Geise Canalez, Prof. Gilberto Peixoto pela colaboração na 
construção deste documento. A todos os amigos de longa data que me fortalecem na caminhada. Além 
de todos que direta ou indiretamente contribuíram para a realização desta obra. 
Meus sinceros agradecimentos! 
vii 
RESUMO 
O produtor rural de comunidades tradicionais é um dos componentes vitais para a manutenção 
das características da fitofisionomia do ambiente florestal na Amazônia. Atividades como a 
produção e coleta do açaí (Euterpe spp.) em comunidade no município de Carauari apontam 
para um manejo complexo e integrado com os aspectos sociais e organizacionais das 
paisagens locais. A Amazônia Legal é um emaranhado de comunidades humanas, associadas 
com a flora e fauna, numa construção e reconstrução constante das estruturas que a compõem. 
A permanência de atividades produtivas como a comercialização do fruto do açaí, possibilita 
obter agroecossistemas prósperos do ponto de vista da prestação de serviços ambientais 
globais. O saber coletivo para o desenvolvimento da atividade propõe produções e 
reproduções em forma de auto-organização em redes. Essas redes são representações 
esquemáticas das estruturas socioambientais que compõem determinados locais. Elas 
expressam a forma do viver coletivo, servem também como ferramentas para análise social da 
condução do trabalho realizado no interior dos agroecossistemas. O açaí (Euterpe spp.) é um 
fruto tradicionalmente consumido no norte do Brasil. É um importante componente da 
biodiversidade amazônica, com expressiva relevância social, ambiental e econômica. Nos 
primeiros anos do século XXI, o açaí obteve sua inserção em cadeias de valor globais, em 
grande parte por ser uma reconhecida fonte de antioxidante, associando, dessa forma, o suco 
da fruta como alimento saudável e revitalizante. No entanto, as pressões que o capital 
econômico exerce sobre os mecanismos de controle junto às práticas de produção 
demonstram impactos sociais e ambientais negativos no âmbito das comunidades na 
Amazônia. Uma das formas de minimizar tal impacto ocorre por meio do estabelecimento de 
abordagens sistêmicas junto às cadeias de valor. Frente a isso, o presente estudo tem o 
objetivo de desenvolver uma abordagem sistêmica da produção do açaí (Euterpe spp.) junto 
às diferentes formas de manejo dos sistemas produtivos mantidos por comunidades rurais em 
Carauari no estado do Amazonas. As estratégias estabelecidas nos processos de organização 
do trabalho associadas às cadeias de valor do açaí se mostraram eficientes na conservação dos 
agroecossistemas, garantindo a pluriatividade nas ações do agroextrativista e mantendo uma 
relação harmoniosa com a biodiversidade amazônica e na diversidade de sistemas 
socioculturais em Carauari. Com o desenvolvimento da abordagem sistêmica neste estudo foi 
possível
Página123456789...50