Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Dimensões Conceituais Sobre Humanização em Serviços de Saúde

Pré-visualização | Página 1 de 1

Dimensões Conceituais Sobre 
Humanização em Serviços de Saúde 
Ao ser humano: O amor não se toca, não se vê e não se ouve, simplesmente se sente. O amor é uma emoção 
forte que nos leva a ver o mundo com um outro olhar. Aquilo que a sociedade chama de solidariedade, de 
sentimento de partilha, de colaboração. 
 
Uma questão importante que se coloca hoje nos serviços de saúde, essencialmente nos serviços 
não hospitalares, ou seja, nas unidades básicas de saúde, postos de saúde ou centros de saúde 
é a questão das redes de serviços de saúde como grandes redes de conversações. Uma das 
técnicas de conversa aí aplicadas e hoje intensamente discutidas é o acolhimento dialogado, isto 
é, uma técnica de conversa passível de ser realizada por qualquer profissional, em qualquer 
momento do atendimento. O acolhimento-diálogo, no sentido mais amplo possível, corresponde 
àquele componente das conversas que se dão nos serviços em que identificamos, elaboramos e 
negociamos as necessidades das pessoas que podem vir a ser satisfeitas. Importante salientar 
que o acolhimento dialogado seria uma técnica de conversa de apoio ao processo 
de conhecimento das necessidades humanas básicas, fundadas em certas disposições ético-
cognitivas das pessoas. E as redes de trabalho em saúde podem também ser pensadas 
como redes de trabalho afetivo, no sentido de que o essencial nelas é, de fato, a criação e a 
manipulação de afetos humanos. 
Discutir e procurar soluções, procurar saídas possíveis para o atendimento das necessidades 
das pessoas será sempre um caminho na atenção básica. As nossas necessidades nos são 
sempre imediatamente transparentes e não estão definitivamente definidas, e sempre têm sido 
objeto de um debate interminável, em que o que se discute e refaz sem cessar é a nossa própria 
humanidade 
Outro ponto importante a se discutir aqui está em função de um paralelo que podemos fazer: o 
que se passa num encontro usuário-profissional de saúde, por exemplo, quando este encontro é 
positivo? Corresponde à chamada relação de empatia, que é considerada essencial para a 
adequada realização do trabalho em saúde e que poderá levar à criação do vínculo. O vínculo 
se dá em função da relação de confiança estabelecida entre usuário-profissional de 
saúde. Conquistar a confiança não é apenas uma experiência de alegria, mas de uma relação 
de potência capaz de sustentar as dificuldades maiores que virão posteriormente, na 
continuidade dos atendimentos às pessoas atendidas nos serviços de saúde. 
De novo, pensemos na relação usuário-profissional de saúde: o momento da confiança é aquele 
em que mesmo nas diferenças entre as pessoas: uma parte procura ajuda e a outra parte oferece 
apoio. Ora, o apoio na queda não se faz por um "ter pena de", mas por um "sofrer com", "um 
estar junto de". Amparar o outro "na queda", não para evitar que caia nem que finja que a queda 
não existe; amparar o outro na queda é confiar na potência, é desejar que o outro reaja e se 
recupere, que se fortaleça naquilo que está em desequilíbrio em sua saúde. 
Por fim, e da perspectiva de humanização: as nossas redes de trabalho afetivo (os profissionais 
de saúde) têm, de fato, contribuído para que a população tenha valorizado suas potências, seus 
melhores valores, suas melhores condições? Devemos estar aptos a reconhecer se uma Unidade 
Básica de Saúde, por exemplo, capacita, habilita, instrumentaliza mental e efetivamente os 
indivíduos, de forma tal a ampliar suas capacidades de interação, de formação de comunidade, 
de aumento de suas potencialidades em prol da saúde individual e coletiva. 
Acreditamos que a compreensão dos conceitos: redes de serviços de saúde, redes de 
conversações, acolhimento dialogado, necessidades humanas básicas, redes de trabalho em 
saúde, redes de trabalho afetivo, empatia, relação de confiança usuário-profissional de saúde, 
relação de potência contribuam para que você consiga entender, como pode se dar, na prática, 
o processo de humanização em serviços de saúde. Como os profissionais podem amparar as 
pessoas nas suas dificuldades em saúde. 
Este Texto Complementar faz parte da sequência desta aula e, portanto, é essencial para a 
aprendizagem.