Buscar

simulado HISTÓRIA DOS POVOS INDÍGENAS E AFRO DESCENDENTES

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 6 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 6 páginas

Prévia do material em texto

Acerto: 1,0 / 1,0
Qual a função da catequese jesuítica no Brasil?
Convertê-los ao catolicismo para obrigar os colonos a trocar a mão de obra escrava indígena pela
africana.
 Coube principalmente aos jesuítas a conversão dos índios ao catolicismo e adaptá-los ao modelo de
sociedade portuguesa.
Preservar a cultura indígena pois sua manutenção era essencial para o projeto de dominação da
Metrópole.
Adaptar os indígenas à escravidão.
Deseatabilizar a cultura indígena pois dessa forma terminariam as guerras entre as tribos elevando a
quantidade de convertidos à religião católica.
Respondido em 24/11/2022 01:10:03
 
 
Explicação:
As constatações apontadas na tela anterior serviram como norte para a atuação dos religiosos europeus. Se por
um lado a Coroa portuguesa só passou a se importar efetivamente com sua colônia americana a partir de 1530,
desde os primeiros anos de contato diversos religiosos, sobretudo os jesuítas, iniciaram um intenso trabalho com
os grupos indígenas que ficou conhecido como catequese. Num primeiro momento, os jesuítas visitavam as
aldeias a fim de conhecer um pouco mais a cultura, hábitos e língua dos índios, aproveitando a oportunidade para
fazer pregações e alguns batismos.
Feito o contato inicial, os jesuítas passaram para o segundo estágio da catequese: a conversão, propriamente
dita, dos índios. Para tanto, os missionários organizaram os povos indígenas em aldeamentos. O objetivo
principal era incutir nesses índios valores e práticas europeias. Desse modo, os índios aldeados além de
batizados, também recebiam os primeiros ensinamentos católicos, além de ler e escrever.
Segundo os jesuítas, o aldeamento era fundamental, pois apenas essa estrutura permitia que os índios, de fato,
tivessem um canto sistemático com os preceitos cristãos. O padre Manoel da Nóbrega foi um dos que defendeu
abertamente os aldeamentos, pois, segundo ele os índios eram tão instáveis que, com a mesma facilidade que
eram convertidos, logo voltavam para “sua rudeza e bestialidade”. (Padre Manoel da Nóbrega). Para facilitar a
aprendizagem, muitos jesuítas recorreram às encenações teatrais, o que deu origem a um dos primeiro gêneros
literários do Brasil.
 
Nos aldeamentos, os índios ainda eram treinados para exercer ofícios como tecelões, carpinteiros e ferreiros.
Depois do treino, muitos iam trabalhar para colonos sob a tutela dos jesuítas - que eram responsáveis, inclusive,
pela definição do pagamento dos índios aldeados. Em muitos casos, os aldeamentos acabavam se transformando
em pequenas unidades econômicas, cuja principal mão-de-obra era a indígena. Após a missa, muitos índios iam
trabalhar na lavoura que garantia a subsistência de todos. Os aldeamentos também tinham como objetivo acabar
com a poligamia indígena e com a liberdade sexual que existia em diferentes sociedades, incutindo o modelo
cristão de família.
Como a preocupação maior era a conversão dos índios, os aldeamentos recebiam indivíduos dos mais diferentes
grupos e sociedades. Dessa convivência surgiu a língua geral (baseada no tupi) que durante muitos anos foi a
mais falada em toda a colônia. Esse convívio mais intenso também possibilitou um conhecimento mais
aprofundados dos povos indígenas.
 
Acerto: 1,0 / 1,0
Sobre a relação das populações indígenas com os povos europeus que aqui chegavam, pode-se dizer:
Que muitos embates ocorreram levando inclusive as tribos indígenas a uma união homogênea que
visava combater os colonizadores (portugueses) buscando alianças com outros povos europeus
(franceses), que rivalizavam com seu dominador.
Que não hove embates e as realções estabelecidas com francese e portugueses eram totalmente
pacíficas e baseadas no escambo.
Que muitos embates ocorreram levando inclusive as tribos a uma união homogênea que visava se aliar
somente aos colonizadores (portugueses) e combater qualquer outro povo invasor.
Que muitos embates ocorreram levando inclusive as tribos indígenas a uma união homogênea que
visava combater todo e qualquer invasor.
 Que muitos embates ocorreram com algumas tribos se aliando aos colonizadores (portugueses), outras
a comerciantes e possíveis conquistadores (franceses) e algumas que se recusaram a fazer alianças com
qualquer um dos dois lados.
Respondido em 24/11/2022 01:23:12
 Questão1a
 Questão2a
 
 
Explicação:
 
Exemplo de aliança
Dentre os tupi-guaranis, a sociedade tupinambá acabou tornando-se uma das mais conhecidas, graças ao intenso
contato com os portugueses durante os séculos XVI e XVII. O historiador Stuart Schwartz salientou que os
tupinambás viviam em aldeias que possuíam de quatrocentos a oitocentos indivíduos. Tais aldeias eram divididas
em unidades familiares que viviam em até oito malocas. As unidades familiares, por sua vez, estavam
estruturadas pelo parentesco familiar e obedeciam à divisão sexual do trabalho: grosso modo, aos homens cabia
as atividades de caça, pesca e de guerra, e às mulheres o cuidado com a agricultura e com a casa.
Exemplo de resistência
Como sugerido há pouco, traçar padrões culturais e sociais dos tapuias é uma tarefa muito difícil, na medida em
que eles não formavam um grupo que se identificava como tal. Estudos recentes apontam que os tapuias
pertenciam a diferentes troncos linguísticos, ou seja: eles eram os “não-tupis”, o que significa que eles eram
muitas coisas. Um dos povos tapuias mais estudados é o aimoré devido à frequente resistência imposta ao
aldeamento e catequese portuguesa. Pertencentes ao grupo etnográfico jê, os aimorés, também conhecidos como
botocudos, habitavam o que hoje é o estado do Espírito Santo e o Sul da Bahia.
 
 
 
Gabarito
Comentado
Acerto: 1,0 / 1,0
Após a longa travessia, quando finalmente desembarcavam nos portos da América portuguesa, a situação de
boa parte dos africanos era péssima. Aqueles que tinham conseguido aguentar a viagem passavam por um
breve exame médico e eram rapidamente vendidos. Os africanos mais fragilizados, principalmente aqueles que
haviam contraído escorbuto, passavam por um processo de quarentena em galpões localizados na região
portuária.
Nesses locais eles recebiam uma alimentação especial para recuperar suas forças o mais rápido possível. Assim
que estivessem mais fortes, eram levados para os mercados onde seriam comprados. A partir de então, o
destino desses africanos estava atrelado a de seu senhor e, em muitos casos, eles tinham que continuar a
viagem, só que agora pelo interior do Brasil. Entretanto,muitos negros não sobreviviam, pois:
 
 Muitos deles era preferível morrer a trabalhar como escravo, pois acreditavam que a morte significava o
retorno à sua terra natal, junto a seus ancestrais.
os negros casavam entre si no período conhecido como quarentena, iniciando suas famílias.
Os negros acreditavam que retornariam para seu habitat na África resisitindo, então, ao que viria
posteriormente, a escravidão.
Os negros se rebelavam e fugiam formando os quilombos e movimentos de resistencia com luta
armada.
Os negros buscavam sua aoforria.
Respondido em 24/11/2022 01:27:35
 
 
Explicação:
Nem todos os africanos recém-chegados resistiam ao período da quarentena. Por isso, era comum encontrar
cemitérios nas proximidades do porto. Além dos maus tratos e das doenças adquiridas durante a travessia,
muitos escravos boçais, isto é africanos recém-chegados, sofriam de banzo ¿, uma doença que parecia atacar a
alma de alguns africanos que, tomados por uma tristeza profunda, se deixavam morrer.
Para muitos deles era preferível morrer a trabalhar como escravo, pois acreditavam que a morte significava o
retorno à sua terra natal, junto a seus ancestrais.
 
Acerto: 1,0 / 1,0
 Questão3a
 Questão
4a
De modo geral, a escravidão nunca se estabeleceu sem ter a resistência do grupo subjugado. No caso do negro
africano é possível identificar as seguintes formas de resistências:
religiosa, voluntária, individual
jurídica, religiosa e quilombos
partidária, religiosa e quilombos
 banzo, quilombos e religiosa
quilombos, jurídica,banzo
Respondido em 24/11/2022 01:31:09
 
 
Explicação:
 
Banzo
Estado de depressão profunda que pode levar à morte.
 
 
Quilombos 
Em muitos casos, as fugas coletivas acabam transformando-se em uma outra forma de resistência à escravidão:
os quilombos também conhecidos como mocambos – comunidades formadas por escravos fugidos. Nessas
comunidades, os escravos refaziam suas vidas a margem cativeiro. Lá, construíam famílias, estabeleciam laços
de amizade, plantavam, criavam animais e chegavam a comercializar com povos indígenas que habitavam as
redondezas ou, então, com os vilarejos próximos. 
 
Religiosa
 
Revolta dos Malês 
Esse movimento, que teve a participação de escravos e libertos africanos de diferentes origens, guarda a
particularidade de ter comportado um grande número de africanos nagôs na sua organização. Os nagôs eram
africanos muçulmanos e por isso muitos deles sabiam ler e escrever em uma época em que a maioria dos
homens brancos e livres não sabia assinar o próprio nome. Após diversos encontros e reuniões marcados em
becos ou em casas sublocadas da cidade, a revolta foi marcada para o dia 25 de janeiro de 1835, dia de Nossa
Senhora da Guia. A data foi especialmente escolhida porque as festas religiosas permitiam que os escravos
pudessem andar com mais facilidade pelas ruas de Salvador, o que despistaria as autoridades. No entanto, na
noite anterior, a revolta foi delatada para a polícia que imediatamente iniciou a busca pelos revoltosos: diversas
patrulhas foram colocadas nas ruas e depois de algumas buscas os policiais encontraram sessenta africanos
reunidos no porão de um sobrado. Pegos de surpresa, os africanos tiveram que antecipar o momento da batalha
e saíram às ruas chamando os demais escravos para a luta. Embora o número de escravos que aderiu à luta
tivesse sido alto, as autoridades (que estavam preparadas) conseguiram controlar o levante. Depois do
reconhecimento dos principais líderes ― três escravos e dois libertos, todos africanos ―, os revoltosos receberam
diferentes punições. Os líderes do movimento foram fuzilados, diversos africanos livres foram deportados para a
África e a maioria dos escravos foi açoitada em praça pública e depois entregue aos seus senhores. Mesmo com
um desfecho trágico para seus participantes, o levante dos Malês fez com que as autoridades redobrassem sua
atenção e o controle sobre a população escrava, sobretudo na província da Bahia.
 
Acerto: 1,0 / 1,0
"Em 1711, Antonil afirmava que os escravos eram as mãos e os pés dos senhores de engenho, porque, sem eles
no Brasil, não é possível conservar, aumentar fazenda nem ter engenho corrente" Antonil - "Cultura e Opulência
do Brasil" Sobre o trabalho e a resistência do negro à escravidão, é correto afirmar que:
o negro só foi utilizado como mão-de-obra para a economia açucareira, não participando da mineração
ou criação de gado que usaram, prioritariamente, trabalhadores livres;
o negro era submisso, resignado, não reagia à escravidão, ao contrário dos indígenas; o tráfico negreiro
não tinha importância para a economia da metrópole.
 o engenho tinha no escravo negro a base de toda a produção; qualquer reação era punida
violentamente. As fugas, os quilombos e a prática do suicídio eram evidências da resistência dos negros
à escravidão;
a escravidão no Brasil se revestiu de grande tolerância, mestiçagem e grandes oportunidades de
ascensão social para o negro após a abolição;
os escravos negros constituíam uma minoria nos canaviais, já que índios e trabalhadores livres eram
 Questão5a
responsáveis pelas plantations açucareiras;
Respondido em 24/11/2022 01:32:25
 
 
Explicação:
No enunciado da questão, o texto sinaliza a fundamental importância dos escravos para a
produção nos engenhos, pois essa mão-de-obra era a base que para o seu funcionamento.
Lembrando que esses indivíduos eram reduzidos à escravidão, não aceitavam passivamente
sua condição de cativos; muitos reagiam através de fugas, formação de quilombos,
assassinatos de senhores e feitores e ainda, suicídios. 
 
 
 
Acerto: 1,0 / 1,0
Nova ciência consiste no conhecer as causas explicativas da decadência ou levantamento das raças, visando à
perfectibilidade da espécie humana, não só no que respeita ao físico como ao intelectual. Os métodos têm por
objetivo o cruzamento dos sãos, procurando educar o instinto sexual. Impedir a reprodução dos defeituosos que
transmitem taras aos descendentes. Fazer exames preventivos pelos quais se determina a sífilis, a tuberculose e
o alcoolismo, trindade provocadora da degeneração. Nesses termos, a eugenia não é outra coisa senão o
esforço para obter uma raça pura e forte. Os nossos males provieram do povoamento, para tanto basta sanear
o que não nos pertence. (Artigo do Dr. João Henrique, na revista Brazil Médico, em 1918. In: Negro e Negritude
¿ coord. Zilda Iokoi.) O texto acima vincula-se à concepção de que
 o atraso do país era resultante da miscigenação étnica, devendo-se, portanto, fortalecer o ideal de uma
raça pura.
a ciência, em especial a medicina, era determinante para a eliminação da desigualdade social e
econômica das raças.
o saneamento básico era indispensável à evolução da sociedade, pois acabaria com as diferenças e a
degeneração das raças.
a imigração européia traria o branqueamento da população brasileira, minimizando a ideologia racista e
o cientificismo.
a pobreza e a inferioridade das raças resultavam do precário desenvolvimento científico do país,
negando a eugenia.
Respondido em 24/11/2022 01:33:51
 
 
Gabarito
Comentado
Acerto: 1,0 / 1,0
Manoel Bomfim, Arthur Ramos e Gilberto Freyre romperam com as ideias científicas racialistas do final do século
XIX e início do século XX.Gilberto Freyre, com a publicação do seu Livro Casa Grande e Senzala, impactou o
cenário intelectual da primeira metade do século XX ao analisar a mestiçagem de forma positiva. Segundo as
ideias de Freyre:
A mestiçagem deu origem a uma raça inferior.
A mestiçagem contribuiu para o fim das desigualdades raciais no Brasil.
A mestiçagem era a causa do atraso social e econômico brasileiro.
 A mestiçagem era a brasilidade. A civilização genuinamente brasileira era mestiça.
A mestiçagem era positiva pois acabava com as contradições entre a Casa Grande e a Senzala.
Respondido em 24/11/2022 01:35:44
 
 
Explicação:
 Questão6a
 Questão7a
Freyre em seus estudos constitui o conceito de miscegenação como base da formação do povo brasileiro,
caracterizando o que identifica a sociedade brasileira. 
É possível afirmar também que a grande inovação de Gilberto Freyre residiu, justamente, no exame equilibrado
dos dois extremos da sociedade brasileira. Era a primeira vez que um estudo analisava as contribuições dos
escravos negros e, consequentemente, das heranças africanas no Brasil - na mesma chave utilizada para falar de
brancos e indígenas.
Junto com essa nova abordagem, a forma por meio da qual Freyre construiu sua análise também o distanciava
dos cientistas sociais da época. Escrito de forma ensaística, com uma narrativa que muitas vezes se confunde
com romances do século XIX, Casa Grande e Senzala é um verdadeiro inventário da vida íntima brasileira.
Segundo o autor, o Brasil nascera da tecnologia indígena empregada na produção da mandioca, do leite das amas
negras que alimentaram os meninos das famílias patriarcais, das experiências sexuais desses mesmos meninos
com as mulatas do país.
A intimidade brasileira estava impregnada pela mestiçagem e isso não fazia o Brasil menos civilizado do que os
países europeus. Na realidade, a mestiçagem era a brasilidade.
Longe de esgotar as possibilidades de interpretação da polêmica obra clássica de Gilberto Freyre - o que seria
uma tarefa hercúlea -, é importante pontuar o impacto que Casa Grande e Senzala trouxe para o cenário
intelectual brasileiro.
 
 
 
Gabarito
Comentado
Acerto: 1,0 / 1,0
O SPI foi um dos primeiros órgãos criados para administrar a questão indígena no Brasil. Seu modelo, depoisdebatido e reformulado quando foi substituído pela FUNAI, previa:
 A integração do indígena a sociedade brasileira
O isolamento dos indígenas
A busca pelo direito de voto dos indígenas
A defesa do direito de autodeterminação dos povos indígenas.
O não reconhecimento das tribos indígenas, a fim de assimila-los.
Respondido em 24/11/2022 01:36:28
 
 
Explicação:
O modelo do SPI prioriza a preservação física da população indígena, em detrimento dos elementos culturais. 
 
 
 
Gabarito
Comentado
Acerto: 1,0 / 1,0
Como eram propagados os ideais e as práticas abolicionistas no Brasil?
Através de musicais e de propaganda de rua;
Através de associações abolicionistas e do rádio.
 Através de associações abolicionistas e de jornais;
Através de revistas e de musicais;
Através de jornais e de musicais;
Respondido em 24/11/2022 01:40:28
 
 
 Questão8a
 Questão9a
Explicação:
A incerteza quanto à manutenção da escravidão facilitou a propagação dos ideais e práticas abolicionistas.
Pro ssionais e intelectuais que eram contrários à escravidão no Brasil organizaram associações e jornais por
meio dos
quais pudessem divulgar suas ideias. Conforme mencionado, muitos descendentes diretos da escravidão zeram
parte
deste movimento.
Periódicos como A Gazeta da Tarde, cujo editor era José do Patrocínio, e A Redenção foram instrumentos
importantes
na luta abolicionista. Em pouco tempo, o número de associações abolicionistas cresceu. Tais organizações não
apenas faziam denúncias contra a escravidão por meio dos artigos escritos nos jornais, dos discursos feitos em
praça
pública e das peças teatrais encenadas em importantes teatros do Brasil, realizavam também festas e reuniões
nas
quais arrecadam dinheiro que seria usado na compra da alforria de alguns escravos.
 
Acerto: 1,0 / 1,0
Entre as opções abaixo, assinale aquela que apresenta uma dança que é marcada pela herança indígena:
Dança do Ventre
Jazz
 Maracatu
Tango
Cumbia
Respondido em 24/11/2022 01:41:19
 
 
Explicação:
Cúmbia é a música típica nacional da Colômbia
Jazz é uma manifestação artístico-musical originária de comunidades de Nova Orleães, nos
Estados Unidos
A dança de ventre é uma famosa dança praticada originalmente em diversas regiões do
Oriente Médio e da Ásia Meridional
Tango é uma música e dança típica da Argentina
 Questão10a

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Perguntas Recentes