Buscar

3. OSSOS DO MEMBRO INFERIOR

Prévia do material em texto

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR
· Os membros inferiores são extensões do tronco especializadas para sustentação do peso do corpo, locomoção e manutenção do equilíbrio.
· Tem seis regiões principais:
· Região glútea: Transição entre o tronco e os membros inferiores. Inclui duas partes, a região posterior (nádegas) e a região do quadril lateral. É limitada superiormente pela crista ilíaca, medialmente pela fenda interglútea e inferiormente pela prega cutânea subjacente às nádegas, o sulco infraglúteo.
· Região femoral: Parte livre do membro inferior situada entre as regiões glútea, abdominal e perineal na parte proximal e o joelho na parte distal. Inclui a maior parte do fêmur. O limite entre as regiões abdominal e perineal e região femoral é demarcado pelo ligamento inguinal anteriormente. O sulco infraglúteo separa as regiões glútea e femoral.
· Região do joelho: Inclui as proeminências (côndilos) da parte distal do fêmur e da parte proximal da tíbia, a cabeça da fíbula e a patela.
· Região crural: Situada entre o joelho e a parte estreita e distal da perna. Inclui a maior parte da tíbia e fíbula. A perna une o joelho ao pé.
· Região talocrural (tornozelo): Inclui as proeminências medial e lateral (maléolos) que ladeiam a articulação talocrural.
· Região do pé: Parte distal do membro inferior que contém o tarso, o metatarso e as falanges. Os artelhos são os dedos do pé. O hálux, como o polegar, tem apenas duas falanges, os outros têm três falanges.
· O esqueleto do membro inferior pode ser dividido em dois componentes funcionais: o cíngulo do membro inferior e os ossos da parte livre do membro inferior. O cíngulo do membro inferior (pelve óssea) é um anel formado pelo sacro e pelos ossos do quadril direito e esquerdo unidos anteriormente na sínfise púbica.
OSSO DO QUADRIL
· É o grande osso pélvico plano formado pela fusão de três ossos primários, o ílio, o ísquio e o púbis.
Ílio
· É a maior parte do osso do quadril. Tem partes mediais espessas e partes posterolaterais finas, as asas.
· O corpo do ílio se une ao púbis e ao ísquio para formar o acetábulo. Anteriormente, o ílio tem espinhas ilíacas anterossuperiores e anteroinferiores.
· Começando na espinha ilíaca anterossuperior, a margem superior curva longa e espessa da asa do ílio, a crista ilíaca, estende-se posteriormente, terminando na espinha ilíaca posterossuperior. Uma proeminência no lábio externo da crista ilíaca, o tubérculo ilíaco, está situada 5 a 6 cm posterior à espinha ilíaca anterossuperior. A espinha ilíaca posteroinferior marca a extremidade superior da incisura isquiática maior.
· A face lateral da asa do ílio tem três linhas curvas e ásperas – as linhas glúteas posterior, anterior e inferior. Medialmente, cada asa do ílio tem uma depressão grande e lisa, a fossa ilíaca.
Ísquio
· Parte posteroinferior do osso do quadril. 
· A parte superior do corpo do ísquio funde-se ao púbis e ao ílio, formando a face posteroinferior do acetábulo.
· O ramo do ísquio une-se ao ramo inferior do púbis para formar o ramo isquiopúbico.
· A margem posterior do ísquio forma a margem inferior da incisura isquiática maior. Inferior a ela está a espinha isquiática, que separa a incisura isquiática maior da incisura isquiática menor.
· Na junção da extremidade inferior do corpo do ísquio e seu ramo está o túber isquiático.
Púbis
· Parte anteromedial do osso do quadril, sendo a parte anterior do acetábulo.
· É dividido em um corpo achatado e medial e dois ramos, superior e inferior, que se projetam lateralmente.
· Na parte medial, a face sinfisal do corpo do púbis articula-se com a face correspondente do corpo do púbis contralateral por meio da sínfise púbica (articulação). Existem projeções nas extremidades laterais dessa crista, os tubérculos púbicos.
· A margem posterior do ramo superior do púbis tem uma elevação, a linha pectínea do púbis.
Forame obturado
· Grande abertura oval irregular no osso do quadril.
· É limitado pelo púbis e ísquio e seus ramos.
· É fechado pela membrana obturadora.
Acetábulo
· Grande cavidade caliciforme na face lateral do osso do quadril que se articula com a cabeça do fêmur.
· O limbo do acetábulo é incompleto inferiormente na incisura do acetábulo.
· A depressão do acetábulo é a fossa do acetábulo.
· A face semilunar do acetábulo que recebe a cabeça do fêmur.
FÊMUR
· Osso mais longo e mais pesado do corpo. Tem um corpo e duas extremidades.
· A extremidade superior é dividida em cabeça, colo e dois trocanteres (maior e menor). A cabeça do fêmur é uma esfera coberta por cartilagem articular, exceto por uma depressão medial, a fóvea da cabeça do fêmur.
· O colo do fêmur possui uma extremidade estreita que sustenta a cabeça e a base mais larga é continua com o corpo.
· No local onde o colo se une ao corpo do fêmur, há duas grandes elevações arredondadas chamadas trocanteres.
· O trocanter menor estende-se medialmente da parte posteromedial da junção do colo com o corpo do fêmur.
· O trocanter maior é uma grande massa óssea, posicionada lateralmente, que se projeta superior e posteriormente onde o colo se une ao corpo do fêmur. O local de união do colo e do corpo é indicado pela linha intertrocantérica, que se inicia no trocanter maior, espirala-se ao redor do trocanter menor e continua em sentido posterior e inferior como linha espiral.
· Uma crista semelhante, porém mais lisa, a crista intertrocantérica, une-se aos trocanteres posteriormente. A elevação arredondada na crista é o tubérculo quadrado. O trocanter maior projeta-se sobre uma depressão profunda medialmente, a fossa trocantérica.
· O corpo do fêmur é um pouco curvo (convexo) anteriormente. A maior parte do corpo é arredondada e lisa, exceto posteriormente, onde há uma linha larga e rugosa, a linha áspera, que é mais proeminente no terço médio do corpo do fêmur, onde tem lábios (margens) medial e lateral. Superiormente, o lábio lateral funde-se à tuberosidade glútea e o lábio medial continua como uma linha intertrocantérica.
· A linha pectínea estende-se da parte central da linha áspera até a base do trocanter menor. Inferiormente, a linha áspera divide-se em linhas supraepicondilares medial e lateral, que levam aos côndilos medial e lateral.
· Os côndilos medial e lateral formam quase toda a extremidade inferior do fêmur.
· Os côndilos do fêmur articulam-se com os meniscos e os côndilos da tíbia para formam a articulação do joelho. 
· Os côndilos são separados posterior e inferiormente por uma fossa intercondilar, mas se fundem anteriormente, formando uma depressão longitudinal rasa, a face patelar, que se articula com a patela.
· A face lateral do côndilo lateral tem uma projeção central denominada epicôndilo lateral. A face medial do côndilo medial tem um epicôndilo medial maior e mais proeminente, superiormente ao qual se forma outra elevação, o tubérculo do adutor.
PATELA
· É um grande osso sesamoide (pequenos ossos acessórios localizados nos tendões e nos músculos) localizado anteriormente à região mediocondilar do fêmur que se articula com a face patelar do fêmur.
· A face anterior subcutânea da patela é convexa. A base (margem superior) se inclina anteroinferiormente e as margens medial e lateral convergem inferiormente para formar o ápice. A face articular posterior é lisa, recoberta por uma camada espessa de cartilagem articular e dividida por uma crista vertical em face articular medial (mais estreita) e face articular lateral (mais larga).
TÍBIA E FÍBULA
· São os ossos da perna. A tíbia articula-se com os côndilos do fêmur superiormente e o tálus inferiormente, transmitindo o peso do corpo. A fíbula atua principalmente como inserção para músculos, mas também é importante para a estabilidade da articulação do tornozelo. Seus corpos são unidos por uma membrana interóssea.
Tíbia
· Está localizada na face anteromedial da perna, sendo o segundo maior ossos do corpo.
· A extremidade superior alarga-se para formar côndilos medial e lateral, formando uma face articular superior, que é formada por duas faces articulares lisas que são separadas por uma eminênciaintercondilar formada por dois tubérculos intercondilares (medial e lateral) ladeados por área intercondilares anterior e posterior. Os tubérculos encaixam-se na fossa intercondilar do fêmur.
· A face anterolateral do côndilo lateral da tíbia tem uma projeção anterolateral (tubérculo de Gerdy). O côndilo lateral também tem uma face articular fibular posterolateral para a cabeça da fíbula.
· O corpo da tíbia possui a margem anterior da tíbia, mais proeminente, e a face medial, que formam a “canela”. Na extremidade superior da margem anterior está a tuberosidade da tíbia.
· O corpo da tíbia é mais fino na junção de seus terços médio e distal. A expansão medial estende-se inferiormente como maléolo medial. 
· A face inferior do corpo e a face lateral do maléolo medial se articular com o tálus na face articular inferior.
· A margem interóssea é o local de inserção da membrana interóssea. Inferiormente a ela está a incisura fibular, onde se encaixa a extremidade distal da fíbula.
· Na face posterior da parte proximal do corpo da tíbia há uma crista diagonal áspera, a linha do músculo sóleo. Imediatamente distal à linha do músculo sóleo, há um sulco vascular oblíquo que leva a um grande forame nutrício.
Fíbula
· Situa-se posterolateralmente à tíbia e está firmemente fixada a ela pela sindesmose tibiofibular, que inclui a membrana interóssea. Não possui função de sustentação de peso.
· A extremidade distal se alarga e é prolongada lateral e inferiormente como o maléolo lateral. É mais proeminente e posterior do que o maléolo medial.
· A extremidade proximal consiste em uma cabeça e um pequeno colo. A cabeça tem um ápice pontiagudo e articula-se com a face fibular na face inferior posterolateral do côndilo lateral da tíbia.
· O corpo da fíbula, assim como o corpo da tíbia, tem três margens e três faces.
OSSOS DO PÉ
· São os tarsais, os metatarsais e as falanges. Existem 7 ossos tarsais, 5 ossos metatarsais e 14 falanges.
Tarso
Tálus
· Tem corpo, colo e cabeça. A face superior, ou tróclea do tálus, é segurada pelos dois maléolos.
· O corpo do tálus está apoiada sobre o calcâneo.
· A cabeça do tálus é arredondada e direcionada anteromedialmente.
· O corpo do tálus se estreita em um processo posterior que tem um sulco para o tendão do músculo flexor longo do hálux, ladeado por um tubérculo lateral proeminente e um tubérculo medial menos proeminente.
Calcâneo
· Maior osso do pé.
· Os dois terços anteriores da face superior do calcâneo articulam-se com o tálus e a face anterior articula-se com o cuboide.
· A face lateral do calcâneo tem uma crista, a tróclea fibular.
· O sustentáculo do tálus, o apoio da cabeça do tálus, projeta-se da margem superior da face medial do calcâneo. 
· A parte posterior do calcâneo tem uma proeminência, a tuberosidade do calcâneo, que tem tubérculos medial (único que toca o solo na posição de pé), lateral e anterior.
Navicular
· Situado entre a cabeça do tálus posteriormente e os três cuneiformes anteriormente.
· A face medial projeta-se inferiormente para formar a tuberosidade do navicular.
Cuboide
· É o osso mais lateral na fileira distal do tarso.
· Anteriormente à tuberosidade do cuboide, nas faces lateral e inferior do osso, está o sulco do tendão do músculo fibular longo.
Cuneiformes
· São três. O maior é o cuneiforme medial, o menor é o cuneiforme intermédio.
· Cada cuneiforme articula-se com o navicular posteriormente e com a base de seu metatarsal apropriado anteriormente. O cuneiforme lateral também se articula com o cuboide.
Metatarso
· São cinco ossos metatarsais, numerados a partir da face medial do pé.
· O metatarsal I é o mais curto, já o metatarsal II é o mais longo. 
· Cada metatarsal tem uma base proximal, um corpo e uma cabeça distal.
· As bases dos metatarsais I e V têm grandes tuberosidades, sendo que a tuberosidade do metatarsal V projeta-se lateralmente sobre o cuboide.
· Na face plantar da cabeça do metatarsal I há ossos sesamoide medial e lateral proeminentes.
Falanges
· As 14 falanges dos membros inferiores são as seguintes:
· O hálux (primeiro dedo do pé) tem duas falanges (proximal e distal);
· Os outros quatro dedos têm três falanges cada: proximal, média e distal.
· Cada falange tem uma base (proximal), um corpo e uma cabeça (distal).

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes