Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Direito Constitucional

Pré-visualização | Página 1 de 3

NOME: Daiane Duarte
RECEPÇÃO – quando uma lei é recepcionada pela CF, ou seja, antes da promulgação da CF a lei já existia na anterior, mas a mesma foi recepcionada ou não, caso não fora recepcionada não é considerada inconstitucional, apenas não recepcionada.
SENTIDO MATERIAL E FORMAL 
· Material – o que importa é seu CONTEÚDO para definir-se uma norma, ter caráter constitucional ou não.
· Formal – o que importa é se o texto (a lei) faz parte do texto constitucional, pouco importando seu conteúdo.
SENTIDO JURÍDICO (HANS KELSEN)
· Sentido lógico-jurídico – acima da CF, norma fundamental hipotética
· Sentido jurídico-positivo – norma positiva suprema, conjunto de normas que regula e cria outras normas (Arts. 59 ao 69).
Art. 5 LXXVIII, § 3º - “Os tratados e convenções internacionais sobre os direitos humanos ... são equivalentes à emendas constitucionais”.
Qual a hierarquia dos Tratados Internacionais de direitos humanos?
Art. 5 LXXVIII, § 3º - eles equivalem às emendas constitucionais, quando aprovado pelo Congresso Nacional nas duas casas, em dois turnos, tendo 3/5 dos votos dos membros, não necessitando do voto do Chefe de Estado.
Emenda Constitucional – duas casas (Câmara e Senado), dois turnos e 3/5 dos votos dos respectivos membros.
Não há hierarquia entre LEI ORDINÁRIA e LEI COMPLEMENTAR, apenas se diferem no coro de aprovação.
LEI ORDINÁRIA – maioria simples – 50% + 1 do voto dos PRESENTES;
LEI COMPLEMENTAR – maioria absoluta – 50% + 1 do voto dos MEMBROS.
CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTITUIÇÕES 
· Quanto à origem:
- OUTORGADAS – são impostas de maneira unilateral, o povo não participa.
- PROMULGADAS – democráticas, votadas, populares, fruto do trabalho de uma Assembleia Nacional Constituinte, nesta tendo membros eleitos pelo povo para expressar as vontades do mesmo.
- PACTUADAS – casos de o Poder Constituinte estar nas mãos de mais de uma pessoa ou órgãos.
- CESARISTAS – sem participação popular, submetida somente para ratificação.
· Quanto à forma:
- ESCRITA – compilação de regras sistematizadas (organizadas) em um único documento.
- COSTUMEIRAS – regras não são fixadas em um único texto, há textos esparsos, reconhecidos como fundamentais usando costumes e jurisprudências.
· Quanto à extensão:
- SINTÉTICA – básica, leve, veiculam apenas princípios fundamentais e estruturais do Estado.
- ANALÍSTICA – ampla, extensa (prolixa), abordam assuntos que os representantes do povo julgam fundamentais.
· Quanto ao conteúdo:
- MATERIAIS – conjunto de regras que estruturam o Estado e fixam garantias fundamentais.
- FORMAIS – cujo critério é a forma do texto, não a matéria, ou seja, se consta no texto é constitucional (rígida).
· Quanto ao modo de elaboração:
- DOGMÁTICAS – refletem o dogma no contexto de sua elaboração, momento político do Estado (reflete o momento).
- HISTÓRICAS – formadas por um lento processo de formação ao longo de anos, “resumindo” histórias e tradições de um povo.
· Quanto à estabilidade:
- IMUTÁVEL – não pode sofrer alterações.
- RÍDIGIDA – exige processo dificultoso para alteração, difíceis de editar, geradora do princípio da rigidez constitucional. 
- SEMI-RÍGIDA – há especificações na CF que não pode mexer em determinadas partes.
- FLEXÍVEIS – pode haver alteração sem muitas especificações.
ESTRUTURA DA CF/88
PREÂMBULO – Duas teses são ditas a respeito do mesmo:
- TESE DA IRRELEVÂNCIA JURÍDICA – ele é irrelevante juridicamente.
- TESE DA PLENA EFICÁCIA – tem força normativa.
O da CF/88 não se situa no âmbito do Direito, mas no domínio da política, não tendo força normativa. Não constitui norma centra da CF de reprodução obrigatória nas Constituições Estaduais.
LAICIDADE – Neutralidade quanto à questões religiosas;
LAICISMO – intolerância religiosa, hostilidade estatal aos credos.
PARTE PERMANETE (ART. 1º AO 250) – Por se chamado de “Permanente”, não significa que a CF não possa ser alterada, ela mesma estabelece critérios para sua alteração (Art. 60), que é por meio de Emendas, estas sendo propostas (PEC) e para que sejam aprovadas é necessária a votação de 3/5 das duas casas do CN, votadas as propostas em dois turnos.
ADCT (ATOS DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS TRANSITÓRIAS) – Podem ser emendados, é uma nome a constitucional, pode ser objeto de Emenda, sendo normas temporárias ou excepcionais.
ELEMENTOS DA CF
· ORGÂNICOS – organizam a estrutura do Estado. Exemplos:
- Art. 2º - Reza sobre os poderes da União, sendo eles independentes e harmônicos entre si: LEGISLATIVO, EXECUTIVO E JUDICIÁRIO.
-Art. 18 – Formação/divisão do Estado em, União, Estados, DF e os Municípios, todos autônomos.
- Art. – 92 – Órgãos do poder Judiciário, STJ, STF, estes com jurisdição nacional, CNJ (sede na capital federal), TRF e juízes federais, TJT, TJE, TJM, estes sendo regionais.
· LIMITATIVOS – limitam o exercício do poder do Estado. 
- Art. 5º XI – onde a casa é asilo inviolável, salvo disposições dias no mesmo.
· ELEMENTOS SÓCIO-IDEOLÓGICOS – que mostram o compromisso do Estado individualista e o social, intervencionista. Exemplo:
- Capítulo dois, do Título dois, Art. 6º - “São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta CF”.
· ELEMENTOS DE ESTABILIDADE (solução de conflitos pacíficos) – consagrados para assegurar solução de conflitos constitucionais, a defesa da CF e das instituições democráticas.
- Art. 34 – “A União não intervirá nos Estados nem no DF, exceto para (...)” UNIÃO – ESTADOS.
- Art. 35 – “O Estado não intervirá em seus Municípios, nem a União nos mesmos localizados em Território Federal, exceto quando (...)” ESTADO/UNIÃO – MUNICÍPIOS.
- Art. 36 – “A declaração da intervenção dependerá (...)”
- Art. 102, I, a – “Compete ao STF, precipuamente, a guarda da CF, cabendo-lhe: I – processar e julgar, originariamente – a) a ADIn de lei ou ato normativo federal ou estadual e a ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal.” 
EFICÁCIA E APLICABILIDADE DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS
· NORMAS DE EFICÁCIA PLENA – são aquelas que no momento em que entram em vigor, estão aptas a produzir todos os efeitos, independente de norma infraconstitucional. Ela é imediata (não depende de nada) e integral (toda a norma aplica à sociedade). Exemplo:
- Art. 2º - “São poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, Executivo e o Judiciário”.
- Art. 14, § 2º - “Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o serviço militar obrigatório, os conscritos (recrutados para o serviço).”
- Art. 17, § 4º - “É vedada a utilização pelos partidos políticos de organização paramilitar.”
- Art. 18 § 1º - “Brasília é a capital federal.”
· NORMAS DE EFICÁCIA CONTIDA – embora tenham condições de produzir todos os efeitos poderá a norma constitucional reduzir sua abrangência. Há restrições na lei, tendo de, para adquirir o direito, CUMPRIR REQUISITOS, JÁ EXISTINDO LEI ESPECÍFICA. Outra norma constitucional, ou infra, pode interferir na norma constitucional. Ela é imediata, direta e não integral. Pode sofrer restrições. Quando tiver salvo! 
- Art. 5, XIII – “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício, ou profissão, atendias as qualificações profissionais que a lei estabelecer”.
· NORMAS DE EFICÁCIA LIMITADA – aquelas que quando entram em vigor não tem o condão de produzir todos os efeitos, precisando de uma lei integrativa infraconstitucional. TEM DE HAVER E CRIAR LEIS ESPECÍFICAS, para ditar as especificações. Ela é mediata, indireta reduzida. Quando tiver nos termos da leis, na forma da lei, sem salvo. Ela é mediata, indireta e reduzida.
- Art. 37, VII – “O direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica.”
· NORMAS DE EFIFÁCIA EXAURIDA (ACABADA) – são aquelas que já extinguiram a produção dos seus efeitos.
- Art. 3º ADCT – “A revisão constitucional será realizada após 5 anos, contados da promulgação da Constituição, pelo voto da maioria absoluta dos membros do CN, em sessão
Página123