Resumo de  contratos
15 pág.

Resumo de contratos


DisciplinaDireito Civil I61.131 materiais666.957 seguidores
Pré-visualização8 páginas
do princípio da confiança na relação contratual.
DA FORMAÇÃO DOS CONTRATOS
A formação dos contratos passa por três momentos: negociações preliminares, proposta e aceitação.
* NEGOCIAÇÕES PRELIMINARES: o contrato resulta de duas manifestações de vontade: a proposta e a aceitação. Na maior parte dos casos a oferte é antecedida de uma fase, às vezes prolongada, de negociações preliminares caracterizada por sondagens, conversações, estudos e debates, também denominada fase das tratativas. Nessa, como as partes ainda não manifestaram a sua vontade, não há uma vinculação ao negócio, assim, qualquer delas pode afastar-se, simplesmente alegando desinteresse, sem responder perdas e danos.
Embora as negociações preliminares não gerem, por si mesmas, obrigações para qualquer dos participantes, elas fazem surgir, entretanto, deveres jurídicos para os contraentes, decorrentes da incidência do princípio da boa-fé, sendo os principais os deveres de lealdade, correção, de informação, de proteção, de cuidado e de sigilo. A violação desses deveres durante o transcurso das negociações, é que gera a responsabilidade do contraente. Essa responsabilidade ocorre, pois não no campo da culpa contratual, mas da aquiliana, somente no caso de um deles induzir no outro a crença de que o contrato será celebrado, levando-o a despesas ou a não contratar com terceiro etc. e depois recuar causando-lhe dano. Essa responsabilidade tem, porém, caráter excepcional.
* PROPOSTA: trata-se de um negócio jurídico unilateral, constituindo elemento da formação contratual. Pode-se dizer então, que proposta, oferta, policitação ou oblação, é uma declaração receptícia da vontade, dirigida por uma pessoa a outra, por força da qual a primeira manifesta sua intenção de se considerar vinculada , se a outra parte aceitar.
A proposta deve conter todos os elementos essenciais do negócio proposto, como preço, quantidade, tempo de entrega, forma de pagamento, etc. Deve também ser séria e consciente, pois vincula o proponente (art. 427 CC).
A oferta é um negócio jurídico receptício, pois a sua eficácia depende da declaração do oblato. Não tem, entretanto, força absoluta, gerando desde logo direitos e obrigações.
- A FORÇA VINCULANTE DA OFERTA (ART. 427 CC): a obrigatoriedade da proposta consiste no ônus, imposto ao proponente, de mantê-la por certo tempo a partir de sua efetivação e de responder por suas consequências, por acarretar no oblato uma fundada expectativa da realização do negócio.
OBS: a morte intercorrente do proponente não a desfaz, que se insere como elemento passivo da herança. A proposta se transmite aos herdeiros como qualquer outra obrigação.
- PROPOSTA NÃO OBRIGATÓRIA : as exceções à força vinculante da oferta encontram-se na segunda parte do art. 427 do CC.
A oferta não obriga o proponente, em primeiro lugar, se contiver cláusula expressa a respeito. É quando o próprio proponente declara que não é definitiva e se reserva o direito de retirá-la. Não advirá nenhuma consequência para o proponente se optar por revogá-la, visto que estará usando uma faculdade que a si mesmo reservou.
Em segundo lugar, a proposta não obriga o proponente em razão da natureza do negócio. É o caso, por exemplo, das chamadas propostas abertas ao público, que se consideram limitadas ao estoque existente e encontram-se reguladas no art. 429 do CC.
Por último, a oferta não vincula o proponente em razão das circunstâncias do caso, mencionadas no art. 428 do mesmo diploma, que declara que a proposta deixa de ser obrigatória:
I \u2013 Se feita sem prazo a pessoa presente, não foi imediatamente aceita: quando o solicitado responde que irá estudar a proposta feita por seu interlocutor, poderá este retirá-la. Se o oblato não responde logo, dando pronta aceitação, caduca a proposta, liberando o proponente.
Presente é aquele que conversa diretamente com o policitante, ainda que os interlocutores estejam em lugares distintos. Enfim, a proposta é feita entre presentes quando há possibilidade de simultaneidade na conversa do proponente e do oblato. É o chamado tempo real, que pode se dar não só pela conversa, mas também pelo telefone, Messenger, etc.
II \u2013 Se feita sem prazo a pessoa ausente, tiver decorrido tempo suficiente para chegar a resposta ao conhecimento do proponente: uma pessoa não é considerada ausente para esse fim por estar distante do outro contraente, mas sim devido a inexistência de contado direto. 
III \u2013 Se, feita a pessoa ausente, não tiver sido expedida a resposta dentro do prazo dado: se foi fixado prazo para a resposta, estará liberado, não prevalecendo a proposta feita.
IV \u2013 Se antes dela, ou simultaneamente, chegar ao conhecimento da outra parte a retratação do proponente: a lei permite ao proponente a faculdade de retratar-se, ainda que não haja feito ressalva nesse sentido. Todavia, para que se desobrigue, e não se sujeite às perdas e danos, é necessário que a retratação do agente chegue ao conhecimento do aceitante antes da proposta ou simultaneamente com ela.
* ACEITAÇÃO: 
Aceitação ou oblação é a concordância com os termos da proposta. É a manifestação de vontade imprescindível para que se repute concluído o contrato, ou ainda, consiste na formulação da vontade concordante do oblato, feita dentro do prazo e envolvendo adesão integral à proposta recebida.
Para produzir o efeito de aperfeiçoar o contrato a aceitação deve conter os seguintes requisitos (art. 431 CC): deve ser feita dentro do prazo estipulado, bem como corresponder a uma adesão integral aos termos da proposta, sem que hajam adições, restrições, ou modificações, do contrário, importarão em nova proposta.
A aceitação pode ser expressa ou tácita. A primeira decorre de declaração do aceitante, manifestando a sua anuência; a segunda, de sua conduta, reveladora do consentimento (art. 432 CC).
HIPÓTESES DE PERDA DA FORÇA VINCULANTE DA ACEITAÇÃO: 
Nessas hipóteses a manifestação de vontade do aceitante deixa de ter força vinculante:
- Se a aceitação, embora expedida a tempo, por motivos imprevistos, chegar tarde ao conhecimento do proponente (art. 430, primeira parte, CC).
- Se antes da aceitação, ou com ela, chegar ao proponente a retratação do aceitante (art. 433 CC).
* MOMENTO DA CONCLUSÃO DO CONTRATO: 
CONTRATO ENTRE PRESENTES: 
 Nesse o contrato for celebrado entre presentes, a proposta poderá estipular ou não prazo para a aceitação. Se o policitante não estabelecer nenhum prazo, esta deverá ser manifestada imediatamente, sob pena de a oferta perder a força vinculativa. Se, no entanto, a policitação estipulou prazo, a aceitação opera-se dentro dele, sob pena de desvincular-se o proponente. 
No contrato entre presentes, as partes estarão vinculadas na mesma ocasião em que o oblato aceitar a proposta. Nesse momento caracterizou-se o acordo recíproco de vontades e, a partir dele, o contrato começará a produzir efeitos jurídicos.
CONTRATO ENTRE AUSENTES: 
 Contrato celebrado entre ausentes é aquele em que não há possibilidade de comunicação simultânea entre os contraentes, não havendo a comunicação em tempo real. É feito através de meios de comunicação como o e-mail, telegrama, a correspondência, o fax, ou ainda o uso de mensageiro.
Há divergência doutrinária a respeito do momento em que a convenção se reputa concluída, havendo quatro teorias versando sobre tal assunto. 
- TEORIA DA COGNIÇÃO: Para a teoria da cognição ou informação, o momento do aperfeiçoamento do contrato celebrado entre ausentes é o da chegada da resposta ao conhecimento do policitante, que se inteira de seu teor. Tem o inconveniente de deixar ao arbítrio do proponente abrir a correspondência e tomar conhecimento da resposta positiva. Para essa teoria, não basta que a correspondência chegue a ser entregue, o aperfeiçoamento só se dará quando o policitante abri-la e tomar conhecimento da resposta.
- TEORIA DA AGNIÇÃO NA MODALIDADE DECLARAÇÃO: para esta o instante da conclusão coincide com o da redação da correspondência epistolar, ou melhor,
Lucas
Lucas fez um comentário
alguem pode me enviar esse material ? email: pankeka07@gmail.com
0 aprovações
Eveline
Eveline fez um comentário
Boa Noite! Alguém pode me enviar o resumo de direito civil - A parte de contratos.
0 aprovações
Eveline
Eveline fez um comentário
Boa noite
0 aprovações
Carregar mais