CEL0017-WL-LC-01-01-Divertido Exemplo de Criacionismo
8 pág.

CEL0017-WL-LC-01-01-Divertido Exemplo de Criacionismo


DisciplinaMetodologia Científica45.901 materiais967.688 seguidores
Pré-visualização2 páginas
DIVERTIDO EXEMPLO DE CRIACIONISMO! 
 
Para aqueles que queiram examinar um exemplo de argumentação criacionista escolhi uma pequena estória em 
quadrinhos que apesar de um pouco mais caricata que a média, sintetiza com perfeição alguns dos mais famosos 
argumentos dos "Cientistas" da Criação. 
Essa "pérola" foi obtida no site WWW.CHICK.COM de Jack T. Chick, especializado em produzir fundamentalismo 
cristão em quadrinhos para vários idiomas. Este em especial está contido neste Link Direto com o nome de 
PAPAI?, mas podem ser encontrados muitos outros sobre temas diferentes. Vale a pena dar uma conferida. 
Recomendo que se leia primeiro apenas os quadrinhos, e só depois se examine meus comentários passo a passo, 
e posteriormente, se consulte os links. 
E divirta-se. 
Marcus Valerio XR 
 
A estória já inicia com uma 
situação imprópria. Essa pergunta 
não deveria ser feita por um 
professor, não porque o assunto 
seja delicado, mas porque a 
princípio pouco importa se os 
alunos acreditem ou não na 
Evolução. O que deve ser 
examinado em âmbito escolar é 
se eles a entendem. Sem 
comentários para o quadro na 
parede. 
 
Também não consigo imaginar 
uma turma responder a essa 
pergunta com qualquer 
empolgação. O cartunista 
claramente quer colocar o aluno 
criacionista como um heróico e 
corajoso contestador que se 
levante ante uma multidão 
adversária. 
 
 
Aqui vemos a insinuação de que o 
cientistas e professores de 
biologia (Evolucionistas) são 
autoritários e intransigentes, não 
admitindo contestação. É uma 
situação que duvido muito ocorra. 
Na verdade tenho certeza que a 
experiência de qualquer um 
mostrará que essa reação é muito 
mais comum por parte de 
religiosos. 
 
Mas a estória tem que seguir, o 
professor reconsidera e sua 
reação anterior fica contraditória, 
o autor tinha que insinuá-la e a 
encaixou sem cuidado. Depois 
num raro momento honesto, o 
autor admite através de seu herói 
criacionista ser antes de tudo um 
crente, ou seja, sua base é a 
Bíblia e irá defendê-la a todo 
custo não importando as 
consequências para a Razão e a 
Ciência. 
 
Agora o professor se mostra além 
de agressivo, estúpido. A própria 
nota de rodapé assume que 
ninguém poderia ser preso por 
uma afirmação destas. É a 
Liberdade de Religião e 
Pensamento, que não havia na 
época em que o Paradigma 
dominante era o Criacionista. A 
estória quer flagrantemente 
denegrir a imagem dos Cientistas 
e por tabela do Humanismo 
Secular. 
 
Aqui parece haver uma 
insinuação de Conspiração para 
manter o Evolucionismo, como se 
ele só se sustentasse, como 
afimam alguns criacionistas, 
graças a disseminação de uma 
Filosofia atéia com o objetivo de 
banir a "palavra de Deus". Uma 
obra de Satan por sinal. 
 
MENTIRA! Não existem tais 
conceitos básicos para Evolução! 
Os 3 primeiros nada tem haver 
com evolução biológica, o 4 está 
totalmente errado e os dois 
últimos são invenções 
criacionistas para aceitar a parte 
da Evolução que é impossível 
negar. Desse jeito fica fácil a 
"Tacada" do rapaz, e o professor 
se mostra incomodado com seu 
alegado "preparo". 
 
ERRADO! O Neanderthal não é 
ancestral do Homo Sapiens! É 
uma espécie paralela! Isso 
equivale ao gracejo do título da 
estória, insinuando que "O 
Homem veio do Macaco", o que 
nunca foi dito pelos 
evolucionistas. Os humanos e os 
primatas superiores descendem 
de hominídeos primitivos. 
 
Tripla mentira do aluno. Cita um 
velho erro de datação há muito 
corrigido que mesmo assim não 
corresponde a tal data. Veja Aqui 
o site de Paleantropologia de "clã" 
de Richard Leakey e confira se 
ele apoia o Criacionismo. Note 
que a referência fornecida é uma 
publicação tendenciosa, o autor 
jamais citaria qualquer fonte 
neutra. E a afirmação de que Lucy 
é considerada um chipanzé é 
falsa, como qualquer profissional 
da área poderá confirmar e pode-
se ver Aqui. 
 
Insiste no infelizmente fortíssimo 
equívoco do senso comum de que 
o "Homem veio do Macaco" e 
ironiza os nomes científicos em 
latim. E o aluno criacionista alega 
ter "surpreendentes" achados, de 
fato, pois tratam-se de alegações 
criacionistas há muito tempo 
rechaçadas pela comunidade 
científica ou argumentos que 
sequer merecem atenção de 
qualquer cientista sério. 
 
De novo as referências citadas 
são parciais. Os desenhos estão 
caricaturados ao ridículo. Lucy é 
representada como um 
chimpanzé (com cauda?) 
estilizado, e a mentira é 
reafirmada. Só criacionistas 
alegam ser ela um chimpanzé. 
Vários outros comentários sem 
qualquer base foram 
acrescentados. O Homem de 
Piltdown foi fraude de oportunistas 
para ganhar dinheiro, há muito 
desmascarada pelos próprios 
cientistas. 
 
Mais uma vez o Neanderthal é 
erroneamente inserido e com um 
comentário absurdamente 
mentiroso, e mais comentários 
infundados, aceitos apenas pelos 
criacionistas, são adicionados. O 
Cro-Magnom sempre foi 
considerado um Homo sapiens, e 
por fim repete mais uma vez a 
máxima do senso comum, 
acrescentando um versículo da 
Bíblia. 
 
O professor se mostra fraco, 
insinuando ser a Teoria da 
Evolução fundamentada em 
bases frágeis. Só em sonho os 
argumentos apresentados até 
agora possuiriam algum valor. A 
datação de fósseis e de rochas 
são realizadas por métodos 
distintos, como degradação 
radioativa e análise de 
fragmentos. Leia aqui um Texto 
Introdutório de um paleontólogo, e 
depois se aprofunde mais no tema 
em: Paleontologia. O tal 
"raciocínio" circular é idéia 
Criacionista. 
 
O bravo aluno criacionista solta 
argumentos irrelevantes e mais 
referências bíblicas são citadas. 
Como se fizessem sentido o 
professor desiste, muda de 
assunto e comete a falácia do 
Declive Escorregadio, onde uma 
conlusão é tirada 
exageradamente de uma 
premissa. Os dados a que se 
referem são de fato ultrapassados 
e não são mais considerados pela 
comunidade científica, ao 
contrário dos argumentos 
criacionistas que nunca saem de 
uso por mais refutados que já 
tenham sido. 
 
Veja com o professor é 
representado! Insinuando ser a 
Evolução, e toda a Ciência 
Moderna na qual ela se baseia 
uma frágil e descuidada quimera. 
A explicação sobre órgãos 
vestigiais está incompleta e o 
aluno refuta o argumento com 
uma afirmação irrelevante. 
 
Mais um "Declive Escorregadio", o 
tal órgão nada prova disso. O 
aluno rebate com outra afirmação 
suspeita, embora seja fato que 
muitos órgãos antes tidos 
vestigiais tiveram depois funções 
descobertas. Um dos pouco 
trunfos criacionistas com algum 
valor. Depois o aluno demonstra 
outro erro comum, achar que 
"evolução" significa 
necessariamente "ganho" quando 
na verdade é apenas mudança. 
"Perder" também faz parte da 
adaptação. 
 
E aqui o Ponto Alto da Hipocrisia. 
O aluno sai para o campo da 
Física e faz uma afirmação 
abissalmente mentirosa. Quem 
disse isso?! Não cita nem mesmo 
uma fonte criacionista! Os Glúons 
são fortemente estabelecidos 
dentro do modelo atômico atual. 
(Sobre Gluons e Física Atômica). 
Além disso seu comentário é 
ridículo, Também jamais se viu ou 
mediu um elétron. O aluno declara 
que os Glúons não existem sabe-
se lá com que autoridade. E o que 
isso tem haver com o assunto? 
 
Agora todo o festival de mentira 
descamba para a simples burrice. 
Os Prótons não se repelem no 
Núcleo por quê? Não seria porque 
os Neutrôns os isolam!? Por isso 
eles existem! Na verdade é mais 
porque o Núcleo não está 
exatamente submetido a força 
Eletromagnética mas sim à Força 
Nuclear. O autor deliberadamente 
omitiu tais fatos e construiu um 
raciocínio estúpido. 
 
Por fim, após a ridicularização da 
Ciência na figura do professor, o 
autor apela para a autoridade 
Religiosa, assumindo de vez seu 
fundamentalismo cristão 
fanaticamente compromentido e 
sem qualquer compromisso com a 
Razão. O professor lamuriento 
carrega seu ridículo quadro, que 
aliás tal como a capa desta 
estorinha, conseque sintetizar 
com perfeição seu nível mental. 
 
Mais uma vez insinua que a